Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Encontrei um método mais confiável de recomendação chamado Adubação Econômica. Ele é uma análise científica de qual é a dose do fertilizante que proporcionará o maior retorno financeiro possível a cultura, que se baseia na curva de resposta da cultura ao fertilizante, ao preço de venda e no custo do fertilizante.

É um método de recomendação da adubação mais preciso que o tradicional, que usa a análise de solo com determinante, pois a Adubação Econômica leva em consideração as interações entre o solo, o cultivar e a atmosfera. No site abaixo, você poderá encontrar informações detalhadas de como funciona, exemplos de uso.

http://www.planejamentoavancado.com.br/o-que-e-adubacao-economica.html

Queria saber a opinião de vocês sore isso.

Valeu.

Exibições: 1499

Responder esta

Respostas a este tópico

Esse trabalho parece ser um trabalho bem legal, o que você precisa para fazer uma recomendação, além da análise química?

Francisco Cezar Dias disse:

Senhores, tenho um software que desenvolvi para a interpretação, formulação e recomendação de fertilizantes. Nele tenho todos os cálculos necessários para interpretar uma análise e, com os dados nas mão, fazer as recomendações. Nada me dá mais prazer do que relacionar solo com os fatores que interferem na produtividade. E, posteriormente, fazer as avaliações financeiras do trabalho implementado.

Uma coisa que até hoje me mantém na dianteira é o conhecimento de substâncias com as quais faço minhas recomendações. Por exemplo, qual é melhor fonte de fósforo para determinado trabalho? Parece incrível, mas, até hoje, a mais cara no desembolso é a que promove o maior lucro líquido ao longo de um período. Como trabalhar o material corretivo para tornar o investimento mais barato ao longo de um período? É possível reduzir as agressões dos pesados maquinários utilizados no Centro Oeste brasileiro em relação ao solo?

Gostaria de saber se estes exemplos dos senhores de ferramentas poderiam responder a estas perguntas?

Essa parece ser uma forma diferente de recomendação. Teria como você postar no fórum uma imagem de um exemplo de resultado feito pelo seu trabalho em recomendação de adubação, para podermos entender mais? 

um abraço.

Francisco Cezar Dias disse:

Eduardo, como sou profissional de campo, fiz Processamento de Dados para atender minha demanda nesta área. Meu software que aborda o tema fertilidade de solos é um banco de dados Firebird1.5.2, com sistema desenvolvido em Delphi 7.

Ele possue um cadastro básico onde registro cliente, propriedade e talhóes.

Depois registro os resultados de análises de solo no sistema internacional. Dai para frente, interpreto as análises segundo dados de pesquisa da EMBRAPA, USP e UNESP. Faço recomendações de Corretivos (calcário, gesso e fósforo), bem como, com os dados da amostra, trabalho formulãções de fertilizantes com opções de reduzir um ou mais nutrientes em função de seus níveis no solo.

Trabalho fórmulas de fertilizantes, aberta, podendo escolher as substâncias que utilizarei para fechar as fórmulas.

Posso formular fetilizantes com sobrinhas de meus clientes na fazenda. Controlo os níveis dos elementos nutrientes em gráffico.

Eduardo B. Teixeira Mendes disse:

Olá Francisco, fico feliz de mais gente ter entrado nessa discussão. Eu gostaria de saber um pouco mais, sobre o software que vc disse que desenvolveu, pois gosto de conhecer diferentes ferramentas de trabalho. 


Francisco Cezar Dias disse:

Senhores, tenho um software que desenvolvi para a interpretação, formulação e recomendação de fertilizantes. Nele tenho todos os cálculos necessários para interpretar uma análise e, com os dados nas mão, fazer as recomendações. Nada me dá mais prazer do que relacionar solo com os fatores que interferem na produtividade. E, posteriormente, fazer as avaliações financeiras do trabalho implementado.

Uma coisa que até hoje me mantém na dianteira é o conhecimento de substâncias com as quais faço minhas recomendações. Por exemplo, qual é melhor fonte de fósforo para determinado trabalho? Parece incrível, mas, até hoje, a mais cara no desembolso é a que promove o maior lucro líquido ao longo de um período. Como trabalhar o material corretivo para tornar o investimento mais barato ao longo de um período? É possível reduzir as agressões dos pesados maquinários utilizados no Centro Oeste brasileiro em relação ao solo?

Gostaria de saber se estes exemplos dos senhores de ferramentas poderiam responder a estas perguntas?

Caro Márcio

Obrigado pelos elogios, mas eu gostaria de ver alguma referência bibliográfica que corrobora o que vc propõe, pois até o momento, inclusive tive o cuidado de consultar vários colegas... eu não vejo muito embasamento técnico, até mesmo porque a curva de resposta é dependente do equilíbrio dos nutrientes no solo.

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço