Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Gostaria de saber a opinião dos colegas sobre essa prática e de igual forma,expor algumas informação obtidas através de experimentos realizados no solo do cerrado em M.G.

Exibições: 7635

Responder esta

Respostas a este tópico

Na minha região nunca utilizamos gesso para correção da acidez. Acredito que pesquisas sobre o assunto nunca existiu.
Existe algum benefício do uso do gesso para corrigir a acidez em substituição ao calcario??????? Aliás, acredito que essa substituição não deva acontecer, e sim, uma combinação entre os dois materiais para aplicação conjunta. Com isso, poderemos suprir as culturas com calcio, magnésio e enxofre. Desta forma, os custos com adubos que contem enxofre ( que são os mais caros) poderiam ser diminuídos. Acredito que o poder de neutralização do gesso seja mínimo (ACREDITO). Por isso, o uso conjunto do calcario (Poder de Neutralização elevado ) e gesso ( fonte de enxofre) seria o ideal.
Abraços...
Essa substituição já têm sido feitas em muitas regiões principalmente no latossolo do cerrado,há um certo termo chamado irrigação branca,que eu particularmente não concordo.
Sendo o gesso sub-produto de indústria de adubos fosfatados,seu custo é menor; quanto a sua eficácia na correção da acidez é fato,o calcário aprofunda pouco no solo,já o gesso,aprofunda-se em média 60 cm; no entanto a questão do fornecimento do Ca e Mg torna esse método pouco viável.Já o uso conjunto do calcário e gesso é interessante.
Abraçoss
Ilustres colegas, com relação ao uso do gesso como corretivo do solo lhes tenho a dizer:
Próximo de minha cidade existe um residuo de industria química (gesso), e vim a esperimentar este material na lavoura e fomentei o mesmo, os resultados foram:
Devemos utiliza-lo em terrenos arenosos( poroso e de grande lixiviação). Sua ação é mais lenta que o calcário dolumitico ou calcitico. E como grande ponto positivo foi de apresentar nas culturas uma pequena resistencia a doenças.Em resumo somente pontos positivos, neste caso.
Atenciosamente
Alcides Sandini Filho
Olá Alcides,obrigada pelas informações,a aplicação do gesso no latossolo também apresentou resultados satisfatórios;é conveniente que se use de gesso,1/4 da recomendação de calcário.
Abraços.
Essa prática é muito realizada aqui na região!

Com que objetivo se recomenda a gessagem do solo?

Para elevação dos teores de cálcio e neutralizar o alumínio trocável em camadas
subsuperficiais do solo.Melhorando o ambiente radicular das plantas.

Pesquise no livro da 5 aproximação.
Então Aninha,o uso de gesso,tem como função neutralizar o Al no solo,ele aprofunda mais que o calcário.
Não fornece Ca e nem Mg;no entanto é fonte de enxofre.
Bjussss
Ilustre colega, vejo que todo e qualquer agente neutralizador como K, Ca, entre outros,agem de forma à juntar-se ao Al trocável e em sintese deixando outros nutrientes a disposição do sistema radicular, contudo vejo que o gesso com sua paciência ( mais lento que o calcário ),prorroga o tempo para que ocorra estas liberações de nutrientes e, em patagens com a baixa movimentação do solo funciona bem em solos de alta lixiviação, com bons resultados.
abraços.
O alumínio tem sido o principal fator associado, de modo negativo, ao crescimento radicular. Como os nossos solos apresentam uma acidez subsuperficial e não há muita eficácia na incorporação profunda do calcário, recomenda-se a aplicação do gesso agrícola que é um sal neutro e dissocia-se, quando em solução, em Ca2+ e SO4-2. Logo, não apresenta receptores de prótons, ou seja, não é capaz, a princípio, de neutralizar a acidez do solo, muito menos de elevar a CTC. considerado como um condicionador do solo, não um corretivo. Composto, basicamente, por sulfato de cálcio (CaSO4.2H2O), contendo, aproximadamente, 32,6% de CaO e 18,7% de S, sendo fonte, além de cálcio, de enxofre,o ânion, acompanhante sulfato (SO42-), imprime elevada mobilidade ao cálcio, permitindo que este nutriente chegue a camadas mais profundas do solo. Além disso, o sulfato, oriundo do gesso, se liga ao alumínio do solo, formando o sulfato de alumínio (AlSO4+), que é uma forma menos tóxica para as plantas, e por se tratar de um sal solúvel, sua penetração no perfil ocorre com as águas de percolação, atingir camadas mais profundas do solo e reduz em um tempo menor a saturação do alumínio, sobretudo quando associada à *maior dose de calcário, promovendo assim o aprofundamento das raízes, em conseqüência das melhorias subsuperficial do solo. Portanto a decisão da necessidade de aplicação de gesso só pode ser tomada com base nos resultados analíticos da camada de 20 a 50 cm.
*Quando não houver necessidade do uso do calcário para a camada superficial, pode-se aplicar apenas o gesso, decisão essa que deve ser revista todos os anos e com base na analise do solo da camada agricultável de 20 cm
A gessagem é uma alternativa de manejo da acidez em profundidade, ela melhora o ambiente radicular, abaixo da camada corrigida pela calagem usual, principalmente em solos c argilas de baixa atividade. O uso do gesso para gerar condições proprícias ao crescimento radicular tem tido maior abrangência nos solos da região do cerrado q apresentam, mais ou menos 80% de área com algum problema de acidez subsuperficial. Essa técnica tem permitido minimizar os efeitos dos veranicos, principalmente nos meses de Janeiro e Fevereiro, época crítica p desenvolvimento das culturas de grãos. Bom galera, nós sabemos que para corrigir a acidez e a deficiência de Ca e Mg em superfície, a calagem é suficiente. E o gesso constitui importante insumo p a agricultura, mas por suas características, tem seu emprego limitado. Seu uso indiscriminado e sem critérios pode acarretar problemas em vez de benefícios. Sabendo da movimentação descendente de cálcio, a aplicação de gesso pode ocasionar lixiviação de potássio e magnésio. Tal lixiviação pode representar significativa perda de bases da região das raízes e provocar desequilíbrio entre as quantidades de cálcio, magnésio e potássio do solo. Esta movimentação varia muito em relação ao tipo de solo e pode ser benéfico ou maléfico dependendo do desempenho do crescimento radicular da cultura. Outro ponto que pode acarretar problemas é o aparecimento de impedimentos físicos ao longo da descida do gesso no perfil, podendo agravar ainda mais o problema. Por tanto, não se pode perder de vista que o gesso se solubiliza e movimenta verticalmente no solo em velocidade que depende da dose aplicada e da quantidade de água que percola o solo. Qdo o o gesso é aplicado nas doses recomendadas para cada tipo de solo, não se observa movimentação de K e Mg no perfil do solo em quantidades q possam trazer problemas de perdas destes nutrientes.
TRABALHANDO COM CONSCIÊNCIA E SEMPRE QUESTIONANDO CORREMOS MENOS RISCOS DE ERRAR!!!
olha eu concordo com a pratica de aplicar gesso pra corrigir o solo porque essa prática melhora o perfil de solo, favorecendo o crescimento radicular em profundidade.o gesso reduz a toxidade do solo, e  é uma tecnologia relativamente barata - uma tonelada de gesso está em torno de R$ 30,00. Dependendo do local da propriedade, o maior custo é o do frete, mas cuidado pois se mal manejada, essa técnica pode causar perda de bases trocáveis por lixiviação ao longo do perfil de solo, favorecida pela granulometria mais grosseira do solo. E sobre informações sobre experimentos realizados no solo do cerado eu ñ posso ajudar!
Tenho resultados positivos no uso de gesso como fonte de enxofre e com ganhos na ação conjunta com calcário no momento de correção de cálcio e magnésio. Acredito na correção da acidez pelo simples calculo de equilíbrio das bases na CTC. Para repor e equilibrar as cargas de cálcio e magnésio me utilizo de Calcário Calcítico e Dolomítico, ou um ou outro ou ambos dependendo da situação. O GESSO é usado para complementar com Enxofre estas correções ou auxiliar na incorporação do calcário em plantio direto. Tenho coletado bons resultados a mais de 10 anos. Abraços!

Ola neydinha!

Até hoje ainda as pesquisas não concluiram a verdadeira utilidade do gesso no solo; O que se sabe é que ele não  altera o ph do solo, ele está sendo muito usado no cerrado para formação de um perfil no solo, por ele ser mais móvel que o calcario, tem efeito de agregação das particulas do solo, que da uma condição de melhor enraizamento nas camadas mais profunda do solo por elimina o Aluminio por troca com Calcio. Só que o ph nesta camada não muda.

 

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço