Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Armazenamento e Beneficiamento de Grãos

Informação

Armazenamento e Beneficiamento de Grãos

Destinado para Agrônomos que tenham interesse na área de Armazenamento e Beneficiamento de Grãos, desde os processos de recebimento de grãos, classificação dos grãos, descarga, pré-limpeza, secagem de grãos, limpeza, armazenamento, aeração, verificação da qualidade dos grãos, verificação de pragas, expurgo e expedição do produtos.

Esse grupo visa divulgar os avanços na área, leis, artigos sobre o tema, relatos de experiências, empregos, bem como relacionar os adeptos dessa área da Agronomia.

Participem.

Membros: 36
Última atividade: 28 Jul

Fórum de discussão

Quebrando Paradigmas 3 respostas 

Colegas:Gostaria de propor um tema interessante:Que acham de projetarmos Unidades de Secagem/Armazenamento sem uso de Poços de Elevadores?Ou seja, projetar para que os elevadores dos grãos, sejam construídos ao nível de toda unidade, eliminando os poços de elevadores e consequentemente os espaços confinados. Nesse caso, para adequar o nível de caimento dos grãos (talude), as construções deveriam ser acima do nivel do solo.Qual o pensamento dos colegas?Comparem custos de impermeabilização,…Continuar

Iniciado por César Augusto Pires Moutinho. Última resposta de José Boaventura da Rosa Franco 6 Jan, 2016.

Uso de Silos Secadores

Qual a opinião dos colegas referente ao uso de Silos Secadores em Propriedades Rurais?Continuar

Iniciado por César Augusto Pires Moutinho 4 Jan, 2016.

Participantes de audiência pública defendem investimento em armazenagem de grãos;

http://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2014/11/14/participantes-de-audiencia-publica-defendem-investimento-em-armazenagem-de-graosDa Redação | 14/11/2014, 19h47 - ATUALIZADO EM 17/11/2014, 12h52Os participantes de audiência pública realizada nesta sexta-feira (14), na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA), afirmaram que a baixa…Continuar

Iniciado por Aline Monsani Miranda 30 Dez, 2014.

Capacidade de armazenagem de grãos do Brasil crescerá em 2015; déficit permanece.

Notícia recente em relação a questão de armazenamento no Brasil, segue abaixo:Por Gustavo BonatoSÃO PAULO (Reuters) - A capacidade de armazenagem de grãos no Brasil deverá registrar em 2015 o maior avanço dos últimos anos, impulsionada por obras financiadas por juros baixos do governo federal, mas ainda será pouco para cobrir o déficit histórico do país neste setor, mostrou um estudo ao qual a Reuters teve acesso.No próximo ano serão instalados novos silos para receber 10,5 milhões de…Continuar

Iniciado por Aline Monsani Miranda 30 Dez, 2014.

Déficit na Capacidade de Armazenamento de Grãos no Brasil

Caros Colegas...Observei essa notícia na net e decidi compartilhar com vocês.Essa notícia trata da região do Mato Grosso do Sul, mas leva em conta também a situaçãoobservada no Brasil inteiro, em relação a baixa capacidade estática no armazenamento de grãos.Podemos analisar que no ramo do agronegócio tivemos grandes avanços nas tecnologias de plantio, manejo e colheita de grãos, porém observo que o setor de armazenamento de grãos ficou meio "Esquecido", nossas estruturas de armazenagem são…Continuar

Iniciado por Aline Monsani Miranda 19 Dez, 2014.

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de Armazenamento e Beneficiamento de Grãos para adicionar comentários!

Comentário de Renato Borges em 25 maio 2019 às 19:25

Olha esse artigo que achei sobre armazenamento de milho: http://blog.agrointeli.com.br/milho/

Comentário de César Augusto Pires Moutinho em 5 janeiro 2016 às 18:53

Prezado Colega José Boaventura da Rosa Franco:

Muito prazer em conhecê-lo!

Também sou egresso da FA/UFRGS na turma de 1987/II.

Trabalho há 30 anos no setor de Pós-Colheita focado no arroz. Por essa experiência, em 1999 fui convidado a integrar o corpo técnico do SENAR-RS para ministrar treinamentos nessa área. De lá para cá, conheci todas as regiões de produção de todos os grãos, inclusive as demais regiões produtoras de arroz, já que sou oriundo da fronteira-oeste, residindo em Alegrete.

Acho que poderemos sim trocar experiência e enriquecer esses debates.

Obrigado por colaborar.

Abraço.

Comentário de Francisco Lira em 5 janeiro 2016 às 9:37

Excelente contribuição José Boaventura.

Comentário de José Boaventura da Rosa Franco em 5 janeiro 2016 às 8:26

Bom dia Colegas.

Deixa que me apresente melhor; sou Eng.Agr. formado na UFRGS em 1965 e mesmo antes de me formar já trabalhava com secagem e armazenagem e isto foi o que mais fiz na minha vida profissional sendo assistente agronômico do dep. de Engenharia da então Comissão Estadual de Silos e Armazéns e posteriormente Gerente de Unidades Armazenadoras onde trabalhei por 35 anos. Depois disso continuei prestando consultoria nesta área para diversas empresas e produtores individuais.

 

Falando ainda um pouquinho sobre a secagem em silos secadores.

Aqui tambem se faz secagem de arroz com o uso de queimadores a gaz com chama modulada e o controle é feito baseado na umidade vrelativa.. Tenho visto ocorrer alguns problemas. O arroz aqui é plantado nas áreas de várzea, portanto em baixa altitude e a adoção do sistema para manter 60% de U.R. por vezes faz a temperatura do ar de entrada ficar com até 10 ou 12°C acima da temperatura ambiente este fenômeno faz com que o produto das partes inferiores do silo fique com umidade mais baixa do que a desejada e cria dentro do silo um gradiente de umidade dos grãos o que é indesejável. Particularmente gosto de adotar, nestes casos, um diferencial de temperatura entre o ar ambiente e o ar que vai para o silo de no máximo 5°C e para compensar utilizo vazões um pouco acima das convencionais, isto é o suficiente para uma secagem segura.

A Umidade relativa é o do que se dispõe, no entanto ela é muito triçoeira, pois podemos ter uma umidade relativa dse 60%  com 18 gramas de vapor d'água por metro cúbico de ar  e uma umidade relativa de 60% com 10 gramas de vapor d'água por metro cúbico de ar. Os resultados de uma aeração ou secagem num caso ou noutro serão diferentes por isso só levo em consideração a temperatura. Um exercício com um gráfico psicrométrico explica tudo. 

Ainda vamos voltar ao assunto . Não quero monopolizar com a minha opinião. quero que os colegas contribuam para o debate.  

Comentário de Francisco Lira em 5 janeiro 2016 às 0:06

Concordo com o Eduardo B. Mendes, realmente é gratificante ver esse espaço sendo enriquecido com debates de alto nível agronômico. A Rede tem sido a cada dia agraciada com novos colegas e todos tem a contribuir a esse espaço .

Comentário de Eduardo B. Teixeira Mendes em 4 janeiro 2016 às 23:21

É muito bom ver colegas ativando os debates no grupo. Na área de armazenamento tenho conhecimentos básicos, pois inclusive na minha região grãos não é uma tradição.

Meu contato com a área de armazenamento é somente fazendo avaliação de condições estruturais das construções para seguradoras. Porém a parte de operacionalização e processo eu não conheço.

Assim, mais do que participar do debate, estou muito mais em busca de conhecimento.

Comentário de César Augusto Pires Moutinho em 4 janeiro 2016 às 22:33

Caro José Boaventura: É por aí mesmo. Assim, tenho experiência em arroz em silos de maior capacidade, 30-50 mil sacos, operando normalmente e sem riscos. Nesses casos o tempo médio de secagem circula na ordem de 45 dias e sempre usando o queimador à gás, no sentido de desumidificar o ar, garantindo a UR do ar de entrada em torno de estar sempre abaixo de 60 %. Também opero com Consultoria nessa área e treinamento de Secagem e Armazenamento de Grãos, pelo SENAR-RS e de forma particular.  Se precisares de algo, estou à disposição do colega. Abraço.

Comentário de José Boaventura da Rosa Franco em 4 janeiro 2016 às 19:22

Caro César Augusto,

Eu pessoalmente sou inteiramente a favor da tecnologia de secagem com ar natural a prova disto é que projeto UAs para pequenos e médios produtores e, todos eles, estão plenamente satisfeitos . Há, no entanto, que ter cuidado para usar esta tecnologia, é preciso que os silos sejam projetados para tal fim e respeitem alguns parâmetros que a experiência e a busca permanente de bibliografia sobre o assunto nos indicam; assim as características físicas do silo  devem ser consideradas e uma das condições para que se possa fazer a secagem de maneira econômica é que a relação H/D(altura ÷ diâmetro) fique dentro de uma margem que possibilite usar um ventilador de custo moderado. Assim, os projetos desenvolvidos para a pequena e média propriedades devem ter uma altura máxima de 3,5m e uma relação H/D ≤0,64. Nestas condições pode-se ter silos com até 3.000 sacos de capacidade. Nestas condições pode-se adotar fuxos de ar entre 2 e 2,64 m³/min/t e com isto possibilitar a secagem, por exêmplo do milho, em quinze dias de aeração. O limite de quinze dias está associado à possibilidade de rancificação hidrolítica do óleo do milho. Produtos como soja secam nestas condições em espaço de tempo menor do que quinze dias, já o arroz pode levar até 22 ou23 dias e o trigo até 25 dias sempre considerando o mesmo modelo de silo. A foto que aqui aparece é de uma unidade que projetei há mais de dez anos para uma associação de produtores de Nova Araçá RS os silos não silos secadores e sim armazenadores, mas silos secadores aqui no Rio Grande do Sul são milhares projetados pelos colegas da EMATER.Eu não sou da EMATER apenas presto consultoria nesta área. A EMATER daqui está bem servida de técnicos capazes de projetar e orientar os produtores.O colega Ricardo Ramos Martins é o Assitente Técnico Estadual de Armazenagem e desenvolve um trabalho magnífico neste sentido sendo um profundo conhecedor da matéria.

Bem, isto para começar a falar sobre este assuno que me agrada muito

Comentário de César Augusto Pires Moutinho em 4 janeiro 2016 às 18:45

http://agronomos.ning.com/xn/detail/u_2wzmmanhduq3a

Eduardo B.Teixeira Mendes: vamos debater!

Que achas do uso de Silos Secadores em Propriedades Rurais?

Comentário de César Augusto Pires Moutinho em 4 janeiro 2016 às 18:36

Disponibilizo aos colegas e Responsáveis técnicos por UA´s, cursos de capacitações de Secagem & Armazenagem de Grãos, bem como os treinamentos exigidos pelo MTE, referente às NR´s  31-Segurança do Trabalho Rural; NR 33-Espaços Confinados - Supervisores de Entrada e Vigias e Trabalhadores; NR 35 - Trabalho em Alturas Contatos via e-mail: cesar@agropec.com.br, ou pelo celular VIVO 55 8405 5579.

 

Membros (35)

 
 
 

© 2019   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço