Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Fertilidade de Solo e Nutrição de Plantas

Informação

Fertilidade de Solo e Nutrição de Plantas

Grupo criado para trocar idéias, informar, fortalecer a classe e unir colegas neste tema.

Local: Assis Chateaubriand - PR
Membros: 577
Última atividade: 8 horas atrás

Modos de Absorção de Enxofre nas plantas

Atualmente o ENXOFRE está se tornando um nutriente limitante na produção das culturas, muito mais que no passado, por muitos motivos, principalmente desbalanço nutricional e aumento de adubos concentrados e aumento de produtividades. 

Temos então que relembrar que embora as plantas absorvam S via foliar, a maneira ainda mais importante e onde a planta absorve em maior quantia é via radicular. Grande parte do S encontrado nas células é absorvida da SOLUÇÃO DO SOLO e transportado até o sistema radicular principalmente por fluxo de massa. 

O Elemento participa de numerosos compostos no interior da planta, com aminoácidos, proteínas, coenzimas, flavonóides, polissacarídeos, entre tantos outros compostos. JUnto com o Nitrogênio, o enxofre participa em todas as funções e processos vitais para as plantas, inclusive no controle hormonal para o crescimento e desenvolvimento das plantas o que explica a relação existente entre N/S entre 12/1 e 15/1 associada ao crescimento e produção das plantas. 

A fonte das mais baratas de repor enxofre no solo é o gesso agrícola, ficando aqui a dica de ampliarem o conhecimento e divulgação sobre o uso de gesso agrícola como fonte de enxofre, além de mais barato, ele irá contribuir para o aproveitamento de forma técnica e econômica de milhões de toneladas de gesso das sobra da fabricação do ác.fosfórico que acaba impactando o meio ambiente. 

Fórum de discussão

Fosforo, como ampliar a disponibilidade e repensar o uso dele. 17 respostas 

Iniciado por Paulo Renato Morales Vaz. Última resposta de Jose Luiz M Garcia 13 Maio.

Método Albrecht de Correção da Fertilidade do Solo e Equilibrio de Bases 6 respostas 

Iniciado por Jose Luiz M Garcia. Última resposta de Jose Luiz M Garcia 13 Maio.

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de Fertilidade de Solo e Nutrição de Plantas para adicionar comentários!

Comentário de Jose Luiz M Garcia 8 horas atrás

Depois dessa notícia de que a Adubação Biológica hoje alcança 2,4 milhões de hectares eu vou deixar aqui a sugestão para mudar a foto que tenta ilustrar erroneamente esse grupo pois nos faz crer que a Fertilidade e a Nutrição de plantas emana dos adubos químicos.

http://www.agrolink.com.br/noticias/ClippingDetalhe.aspx?CodNoticia...

Como diria o saudoso Ibrahim Sued : Sorry Periferia.

Comentário de Jose Luiz M Garcia 12 horas atrás

Temos 577 membros nesse tópico, correto ?

Então, alguém aí me dê um exemplo numérico com as respectivas concentrações de Cálcio e de Magnésio de algum tipo de calcário, pode ser do Piaui do MS, de São Paulo ou do RGS e eu vou te demonstrar como nem sempre as coisas são o que aparentam ser.

Para facilitar as coisas eu peguei essa analise na rede http://dolomitacalcario.com.br/

• Calcário Dolomítico

Alguém aí poderia me dizer qual seria a relação Ca/Mg desse calcário ?
Aguardo sugestões .
Jose LuizTemos 
Comentário de Denise Viola Correa 13 horas atrás

Esclarecimento: quando digo que um elemento químico desce quero dizer que ele lixivia, é o costume de fazer com que leigos me entendam e encurtar caminhos. Mas como é o termo técnico pra ele subir? Será que só desce? Não estou lembrando se já estudei alguma coisa a esse respeito.

Francisco, imagina uma área de 2.000 hectares, mapeada com análises a cada 5 ha, essa interpretação só com programas prontos e que contenham esses cálculos que propõe. Boa ideia de negócio, aos empreendedores do campo. Já existem, mas podem ser aperfeiçoados e abertos pra nós sabermos o que estão propondo.

Comentário de Francisco Cezar Dias ontem

Denise, transforme as quantidades de Ca e Mg apresentadas na análise em Kg/ ha. Transforme as quantidades de Ca e Mg do calcário em Kg/ ha  e você terá as quantidades para buscar o equilíbrio no solo desejado. Com certeza, se você tem um objetivo a ser alcançado, precisará utilizar 2 tipos de calcário (dolomítico e calcítico) para alcança-lo. Seria muita sorte conseguir com uso de um só tipo porque, dependendo da região, a relação Ca/Mg não varia muito. Por exemplo, MS está entre 2,2 a 2,7: 1. Piauí, entre 1,2 a 1,6:1.

Lembre-se que o equilíbrio deve considerar a saturação do H, Ca, Mg e K.

O restante, é devido a realização dos trabalhos com esmero.

Comentário de Jose Luiz M Garcia ontem

Gustavo,

Desse jeito eu vou ter que te dar uma nota 10.

Aprovado com louvor.

Parabéns

Jose Luiz

Comentário de Gustavo Santa ClaraRoque da Mata ontem

Sulfato de cálcio é 100 vezes mais solúvel que o carbonato de cálcio. Fornece Ca, e S e ainda traços de Mg. Precipita o excesso de Al da CTC, do perfil do solo. Excelente opção, pois sendo oferecido em embalagens de bigbag, ou a granel, ou ainda em sacos de 50 ou 25 kg. Uma verdadeira ferramenta de produtividade. Pois em solos tropicais, ocorre frequentemente a deficiência de cálcio associada ou não com toxidez de alumínio, não só na camada arável como também embaixo onde a correção com calcário não é eficiente.Portanto, como uso do gesso agrícola é possível aumentar os teores de cálcio e diminuir os teores de alumínio, favorecendo maior crescimento radicular e volume de solo explorado, deixando a planta mais resistente as pragas e doenças e as situações de deficit hídrico.

O gesso agrícola também pode ser usado como preventivo de enfermidades de plantas, provavelmente em função de duas características deo gesso:

a) Melhoria na taxa de infiltração de água ao longo do perfil do solo em função da floculação da argila(melhor estruturação dos agregados do solo), reduzindo o encrostamento do solo;

b) fonte de cálcio, fundamental no desenvolvimento e  vigor do sistema radicular(boca da planta).

Assim, o gesso agrícola tem contribuído na diminuição de certas enfermidades, de ocorrência comum em plantas novas(seedlings).

A aplicação do gesso deve ser feita em área total, após a aplicação do calcário, sem necessidade de incorporação.

Atenciosamente,

Gustavo Santa Clara Roque da Mata, 81-99711736. 

Comentário de Jose Luiz M Garcia ontem

Tem razão não é apenas o gesso. É uma coisa que a ciência agrícola se recusou muito tempo a admitir mais que agora está tendo que admitir na marra. É o CÁLCIO que flocula as argilas do solo, como disse o bom velinho do vídeo. FLOCULAÇÃO  NEUTRALIZAÇÃO DO ALUMINIO TÓXICO e de quebra ENXOFRE para maior síntese de proteínas e CÁLCIO que nutre não só as plantas mas também o solo e toda a sua microvida.

Eu comparo esse pessoal da Agricultura de Precisão (e aqui eu posso estar comprando + uma briga) com homens da caverna tentando dirigir uma Ferrari ultimo tipo. O ferramental é bom e deslumbra as pessoas com os tais "mapas coloridos"e tudo o mais, mas se o conceito que irá reger esse ferramental todo estiver equivocado então nem toda a precisão do mundo vai ajudar.

Envie as analises para drvinagrephd@hotmail.com e não se esqueça de mencionar o nome do laboratório para eu possa checar os métodos de determinação ( se é Embrapa, IAC, etc…)

Comentário de Gustavo Santa ClaraRoque da Mata ontem

Prezado José Luiz,

Vou providenciar as análises feitas e vou te enviar.E temos duas já feitas e todo ano são realizadas as análises FÍSICAS E QUÍMICAS, e quanto a granulometria do produto, explico que dependendo da necessidade do cliente/fazenda, podemos diminuir o granulometria ou aumentar, para cada tipo de exploração agrícola e seu efeito residual no solo. Pois como sabemos que diminuindo a granulometria o contato da partícula com a solução do solo é maior e aumentando a granulometria o contato será menor, e com efeito residual por mais tempo, culturas como algodão entre outras podem solicitar diferentes granulometria de acordo com a sua necessidade. Fica a dica técnica.

Comentário de Denise Viola Correa ontem

KKK o velhinho é ótimo... você também!

Apenas não acredito que tudo aquilo seja apenas o gesso.

Pode ser um mapa todo colorido que chamam de precisão? O problema desses tempos modernos é que são muitas análises, uma apenas não vai ter como analisar, qual seu e-mail te mando e você posta aqui o seu parecer.

Comentário de Jose Luiz M Garcia ontem

Denise,

A Dra Christine Jones, da Australia, com a qual estou em tratativas para poder traduzir e publicar os seus artigos no meu blog, diz que alguma perturbação do solo, ou seja, uma preparação mínima de solo, não chega a ser tão ruim para o complexo solo-planta , que inclui obviamente as micorrizas, como a aplicação de herbicidas e fungicidas.

Então, não adianta nada fazer PD e usar altas doses de herbicidas e fungicidas porque micorriza não vai ter e a produção vai diminuir.

O que você tem que falar para essa gente que defende o uso de Calcário Dolomitico, "porque senão desequilibra o solo", é pedir para que eles definam o que vem a ser Calcário Dolomitico. Cada jazida tem uma determinada % de Ca e de Mg diferente. Então, que "equilíbrio" seria esse baseado em que ? O equilíbrio está baseado justamente na % desses elementos na CTC. Aí sim.

Me dê um exemplo do seu solo: Qual a % de Ca e de Mg na CTC e eu te digo qual a melhor fonte de cálcio a ser usado. Esquece o pH. O pH não serve para nada. Dois solos podem ter o mesmo pH e um perfil de nutrientes totalmente diferente. Por favor leia o artigo : Equilíbrio de Bases e Fertilidade do Solo no Blog. Lá está tudo explicado.

http://institutodeagriculturabiologica.wordpress.com

O que nós não podemos fazer é endeusar qualquer tipo de enfoque. Eu fiz uns dos primeiros cursos de AP na ESALQ há mais de 15 anos atrás e pude observar que, embora eles tivessem um equipamento muito sofisticado de coleta de amostras, o principio usado ainda era o que eu considero errado, ou seja, de querer corrigir o solo com base no pH e usando indiscriminadamente qualquer tipo de calcário baseado única e exclusivamente no P.N. Porque eles não corrigem o pH com KCl ou NaCl ? Esses dois sais são bastante alcalinos e garanto que fariam um bom serviço se o problema fosse apenas "corrigir o pH".

Se o velinho do vídeo não conseguiu te convencer sobre as vantagens do gesso então eu também não vou conseguir.

Quanto a profundidade, 5 cm só se for para PD. O mais correto seria 20 cm pois temos experiências que mostram que o perfil desses primeiros 20 cm , com o tempo, tende a se expandir por todo o perfil do solo e vai acabar refletindo a camada superficial.

Se você amostrar 40 cm as intervenções vão sair ainda muito mais caras pois irá demandar mais material para corrigir esse solo.

E, à proposito, o Dr Albrecht dizia que uma célula de raiz tinha mais inteligência do que todos os PhDs da Universidade do Missouri. A planta sabe. É uma pena que a planta não consiga falar, mas com paciência a gente consegue ver alguma coisa do que ela está querendo transmitir. Dai o livro da Primavezi.

 

Membros (577)

 
 
 

© 2015   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo