Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

HFF: Tudo sobre Hortaliças, Frutas e Flores

Informação

HFF: Tudo sobre Hortaliças, Frutas e Flores

O foco de várias empresas de âmbito nacional e multinacional, está se voltando para este setor, dado por muitos como cultura de subsistência.

Aos interessados, aos curiosos, aos visitantes: Sejam TODOS bem-vindos!

Membros: 68
Última atividade: 4 Maio, 2015

Fórum de discussão

Este grupo ainda não possui nenhum tópico.

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de HFF: Tudo sobre Hortaliças, Frutas e Flores para adicionar comentários!

Comentário de Revista Hidroponia em 24 abril 2015 às 11:34

Produção integrada de hortaliças e peixes com sustentabilidade

Vários produtores rurais de Mato Grosso do Sul estão procurando a Universidade Federal da Grande Dourados em busca de mais informações sobre o projeto de aquaponia, um sistema de criação de peixes e de hortaliças idealizado por professores.

Leia mais: www.revistahidroponia.com.br

Comentário de Eduardo B. Teixeira Mendes em 4 junho 2014 às 1:02

SERÁ QUE O SETOR DE HFF ESTÁ COM TODAS AS SUAS DEMANDAS RESOLVIDAS E NINGUÉM QUE TRABALHA NA ÁREA TEM NECESSIDADE DE DISCUTIR NADA????

Comentário de Paulo ricardo Santos Cerqueira em 1 setembro 2013 às 19:25

Tecnologia que usa pó de rocha como fertilizante é alternativa para recuperação de solos degradados

Projeto Piloto será Implementado em Campo no Perímetro de Irrigação Baixio de Irecê (BA) .
O uso de rochas moídas, conjuntamente com adições de máteria orgãnica por adubação verde, inoculação de sementes por microorganismos para fixação de nitrogênio, uso de rejeitos de indústria(escórias),e  como alternativa aos fertilizantes químicos solúveis foi tema do workshop sobre Rochagem na sede da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), em Brasília, nesta quinta-feira (9). A tecnologia, que já é uma realidade em muitos sistemas de produção agrícola sustentável, em especial entre agricultores familiares do sul do Brasil, está em conformidade com os princípios agroecológicos e serve como uma opção viável de recuperação de solos tropicais degradados.

O evento promoveu uma discussão – entre técnicos da Codevasf, da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) – Serviço Geológico do Brasil, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e da Universidade de Brasília (UnB) – sobre a tecnologia de rochagem, as possibilidades de aplicação no âmbito das ações da Codevasf e as perceptivas de elaboração de um projeto piloto em conjunto.

“A ideia é agregar ao agricultor familiar uma matéria-prima que seja de baixo custo e disponível na região próxima à área de produção, eliminando a dependência desses agricultores dos fertilizantes, que são em sua maioria importados¨", o Brasil exporta 80 a 90% do nitrogênio e 70 a 80% do Potassio, afirma o assessor da presidência da Companhia, Stênio Petrovich.

Segundo o assessor, o projeto piloto, ainda em fase de formatação, será multidisciplinar e contará com a expertise dos órgãos envolvidos – a geologia, a cargo da CPRM; os experimentos agronômicos, da Embrapa; a pesquisa de laboratório mineral, da UnB; e a disponibilização da área e do pessoal para aplicar a técnica na ponta, da Codevasf. “A região escolhida para aplicar esse projeto piloto com os agricultores foi uma parte do perímetro de irrigação Baixio de Irecê (BA) com pouca fertilidade, que são as areias do rio São Francisco”.

Rochagem - Pode ser entendida como um processo de rejuvenescimento ou remineralização do solo, mediante a adição de pó de rocha (ou seus subprodutos), desde que contenha quantidades consideráveis de macro e micronutrientes necessários ao pleno desenvolvimento das plantas.


“As rochas têm molibdênio, cobre, vanádio, sílica, uma série de outros elementos que, mesmo em pequenas quantidades, são importantes. A banana e o mamão dependem muito de potássio, já o morango depende muito do molibdênio”, exemplifica Magda Bergmann.

O reconhecimento e o interesse despertado por essa prática tem crescido em função de resultados obtidos por várias instituições de pesquisa e fomento – CPRM, Embrapa, UnB, entre outras – que confirmam os resultados promissores obtidos em diversos testes e áreas demonstrativas, em substituição ou complementação aos fertilizantes convencionais. Mas a geóloga ressalta que não se pode moer qualquer rocha para usar na produção de alimentos. “Essas rochas devem ter uma certificação de que não possuem elementos nocivos à saúde e que realmente contribuem para a nutrição da planta”, diz.

 

A CETEM está estudando APLs-Arranjos Produtivos locais, no raio de 100Km da cidade de Irecê-Bahia, para exploração dos agrominerais por pequenas e médias Britadoras.

Comentário de Roberto Luis Brugnera em 31 agosto 2013 às 12:15

Bom dia a todos. Estou em Foz do Iguaçu - Pr. Produzo fertilizantes orgânicos e organominerais, fico a disposição de todos para auxiliar no segmento.

Abraço e sucesso.

Comentário de Rejane Falcão de Ataíde em 4 julho 2013 às 11:16

Comentário de Álvaro Arruda em 26 dezembro 2012 às 17:20

Se possivel atualize uma foto em sua comunidade abraço!

Comentário de Sindicato dos Engenheiros RS em 31 outubro 2012 às 15:47

No dia 8 de novembro, o SENGE-RS realiza o Seminário Alimento Seguro e Responsabilidade Técnica, com inscrições gratuitas. 

Conheça a programação em http://bit.ly/PHwCNn  e participe!

Comentário de Roberto Silva em 11 fevereiro 2012 às 8:59

Algum colega poderia informa-me algum site sobre manejo de hortaliças.

Exceto embrapa hortaliças, esse já possuo.

Comentário de Paulo Ricardo Campos em 22 dezembro 2011 às 9:13

Alguem pode me ajudar falando que espécie é essa trepadeira!?! Pensei que era melão mas nao é.

Comentário de Revista Hidroponia em 19 outubro 2011 às 14:48

Boa tarde,

tudo bem?

 

Visite nosso site Revista Hidroponia

 

Membros (65)

 
 
 

© 2019   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço