Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Gostaria de saber como funciona as pericias e avaliações  judicias,

Se e preciso algum curso especial?

Se a algum documento padrão?

Quais os dados são indispensáveis?

 A remuneração e atrativa, como e calculada a remuneração?

Como e feito o processo para poder começar a trabalhar com esse aramo onde tenho que ir para começa a diferença entre justiça estadual, federal, do trabalho?

E uma boa área pra recém formados?

Estou pensando em entrar nessa área quais as dicas que vcs  me dariam sobre essa hora 

Exibições: 1178

Respostas a este tópico

estou com essas duvidas, é uma área  interessante.

Colega Igor:

É uma área interessantíssima e excelente para se trabalhar. Porém requer conhecimento aguçado sobre os assuntos técnicos. Tanto que normalmente os Peritos são chamados pelas partes, de "experts".

Sugiro cursares cursos sobre Perícias e Avaliações, que devem ter em teu domicílio, ou muito perto daí.

A medida que vais desempenhando vais aprendendo. Humildade para reconhecer nossas limitações, nunca é demais.

Há muita literatura técnica tb que ensina a confeccionar laudos.

Se precisares de ajuda, podes pedir, pois faço isso desde 1990 em minha Comarca, onde resido: Alegrete-RS.

O importante é o bom senso...

Às tuas ordens.

Att,

César Moutinho

Eng.Agrônomo e de Segurança do Trabalho

Inspetor Chefe da Inspetoria de Alegrete

CREA-RS

Olá, Igor,
Para iniciar sua atuação como perito de agronomia, é importante  que se  prepare para tal, por meio de cursos específicos. Para mais informações, recomendo que acesse "eliezer space blog", onde você encontrará
programas de 4 (quatro) módulos de cursos de perícias no campo da agronomia, além de divulgação de dois importantes livros que tratam desse tema de forma abrangente e com a profundidade necessária.
Embora, a princípio, todo engenheiro agrônomo esteja legalmente habilitado para as atividades de perícia, não é recomendável que se lance nestas atividades sem antes passar, pelo menos, por um curso específico de aperfeiçoamento nesta área, ainda que de apenas 24 horas. Do contrário, será muito difícil que tenha um bom
desempenho e isso poderá prejudicar o seu ingresso nesta promissora área da agronomia. A propósito, está previsto
um curso de 24 horas, de "Perícia agronômica em divisão, partilha e demarcação de imóveis rurais", a ser realizado pelo IBAPE-SP (Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia), que será ministrando nos dias 26 a 28 de fevereiro/2013, na Capital Paulista (ibape-sp.org.br ou (11)4332-9808. Neste curso, todas as suas dúvidas e perguntas sobre esse assunto poderão ser esclarecidas. É uma ótima oportunidade para o início da sua preparação para atuar no vasto campo de perícias de agronomia.


Aguardo vc lá.
SDS
Eliezer

Caro colega Igor Madruga.

Acabo de concluiir Curso de Avaliação e, Perícia Judicial e Engenharia Legal na PUC com o fabuloso Sergio Abunahmann dedicado apenas a Engenheiros .Sérgio é o Papa da Avaliaçãono Brasil . Grave este nome sérgio Abunahmann ...É o melhor , senão o único  que existe no Brasil para Avaliações e Perícias Judiciais . Vale a pena o investimento pois , no mínimo , o deixará qualificado para este ramo promissor de trabalho desde que vc seja atuante e dedicado.Perícia em Agronomia é uma extensão da Engenharia Legal .No Curso vc vai conhecer e aplicar as ferramentas  COMPLETAS de avaliação .

 Não sei se este ano haverá outro  na PUC mas tenho certeza que acertei 100% em minha escolha .    

Boa Sorte!

Álex Ramos

PS .. Fuja de Cursos de carga horária baixa , tipo 2 ou 3 dias ....é enrrolação ( e tem um montão por aí).

Prezados Colegas Igor Madruga e Alex Ramos,

Ao ler a mensagem do Colega Alex Ramos, vejo com alegria o seu entusiasmo, pois, tudo que se aprende é útil e pode ser aplicado, principalmente quando se aprende de um grande mestre da Engenharia Legal, como o Eng. Abunahmann.

Porém, como engenheiro agrônomo, com mais de 40 anos atuando na atividade pericial, tanto na condição de perito judicial, quanto de assistente técnico, e tendo participado de vários cursos de perícias e avaliações ministrados por engenheiros civis e engenheiros agrônomos e conhecendo bem as peculiaridades das perícias referentes a imóveis rurais e às atividades rurais e, conhecendo também os limites entre as habilitações do engenheiro agrônomo e do engenheiro - voltadas para o meio rural - e do civil - voltadas para o meio urbano, tenho o dever ético de esclarecer que existe grande diferença entre a atividade de avaliação de imóveis rurais, que é da habilitação do engenheiro agrônomo e a avaliação de imóveis urbanos, cuja habilitação é do engenheiro civil e do arquiteto. Alguns cursos de perícias avaliatórias de engenharia não fazem referência à habilitação legal do profissional, condição imprescindível para que a perícia e o laudo pericial tenham validade jurídica. Alguns chegam até a dizer que qualquer profissional que fizerem o curso com eles, passariam a ter habilitação para atuar em qualquer tipo de perícia no campo das engenharias, o que não é verdade, mas um absurdo, que configura o despreparo de quem transmite tamanha heresia. Mas o problema não para por aí. Por conta disso, multiplicam-se o número de profissionais que cometem exercício ilegal da profissão, infringindo o artigo 6º, alínea "a", da Lei 5.194/66, que regulamenta o exercício das profissões ligadas ao Sistema CONFEA/CREA.

Em fim, é necessário que se reconheça que, para estar devidamente preparado para atuar como perito ou como assistente técnico no âmbito da agronomia, é muito importante, senão necessário, que o engenheiro agrônomo participe de cursos de perícias agronômicas, ministrado por engenheiro agrônomo reconhecidamente preparado para este mister.

        

A propósito da preparação para atuar na importante atividade de perícias judiciais ou particulares de agronomia, tenho a honra de informar a todos os ilustres membros do grupo Perícias e avaliações rurais que estarei ministrando um curso de 40 horas-aula, sobre "Perícias e avaliações de imóveis rurais", no período de 19 a 23/08/13, na Cidade de Jataí-GO, organizado pela AEAJA - Associação dos Engenheiros Agrônomos de Jataí, com o apoio do CREA-GO e da AEAGO.

Quem se interessar, favor entrar em contato pelo e-mail: aeajadiretoria@yahoo.com.br ou pelo telefone: (64)3631-3384, com a Tatilene, para mais informações e/ou para efetivar a inscrição.

   

Caro colega Eliézer F.Carvalho ...Respeito muito sua conceituada posição mas peço que me desculpe por discordar parcialmente do seu comentário ,devido a uma ótica e informação equivocada e muito perigosa no que tange a aplicação de Engenheiros . O meio Rural não é propriedade exclusiva dos colegas Agrônomos e muito menos de qualquer especialidade de Engenheiro .Esta é uma visão antiga e completamente deteriorada Pelo que sei por exemplo ,a avaliação de uma propriedade não exige conhecimento de Química. Os predicados fundamentais para um bom avaliador e perito são úteis quer na área Rural quer na Urbana . Se fosse assim um Engenheiro Civil não poderia construir nenhuma edificação numa fazenda. A Lei atual não exige nem que o Avaliador seja Engenheiro o que discordo nesta parte pelo trato de calculo que a especialização exige. Tratar o Engenheiro Civil como Urbano é um absurdo indesculpável que não consta de nenhuma Lei o atributo desta profissão . Engenheiros Estruturais estão a todo o momento nos Campos em todas as áreas desde Saneamento como em Obras de ARTE tal Pontes e Viadutos ou Sondagens e Contenções dos mais diversos tipos . No meio Rural na Cidade , onde quer que seja .um absurdo este teu argumento Corporativista .

Neste momento em que existe tentativa absurda  de excluir   os colegas  Agrônomos e Veterinários  da profissão de Zootecnista , vejo atitude similar nesta postura . Não cabe agora tratar da mesma forma absurda os colegas Engenheiros e Arquitetos pois a Avaliação Rural apesar de exigir conhecimento superficial  do Solo não os impede de uma graduação complementar a nível de informação .Ou seja , não tira de forma alguma a Classificação de Solo que deve ser  feita por Agrônomo competente caso haja  necessidade requerida no processo ou na demonstração para encontrar o valor de decisão no caso de Avaliação de um Propriedade .  

.Ao Avaliador ou Perito  cabe sustentar seu trabalho com dados específicos contratando  se preciso os profissionais fora de sua área .   

Voltando ao Curso Rural ,Eu mesmo, no tempo devido ,teria  imenso prazer em acompanhar o seu Curso e mesmo como Engenheiro Master ,com décadas de profissão , humildemente  me posicionar junto aos  seus alunos e aprender com sua experiência acrescentando sempre algo mais aos  meus  sempre pequenos conhecimentos , que contribuísse no aprimoramento dos laudos e avaliações  futuras.

Indiquei  conscientemente o Sérgio  Abunahman para  quem quiser  começar nesta carreira  imediatamente com quem  é atuante na Profissão ,sabe e faz bem o que leciona permitindo ao aluno aulas práticas com os próprios Processos em andamento ,

.Depois poderá até , se quiser , fazer uma especialidade em áreas Rurais .Repare bem que falei em começar do “início”. . O Abunahman acabou de promover o melhor Curso de Avaliação e Perícia do Brasil .No Curso  fazem parte professores como a Simone Feigelson  Deutch ( livro Perícia de Engenharia –Apuração dos Fatos )  , o Engenheiro Milton MANDELBLAT e outros deste naipe  .

Abunahman  já deu palestras de Avaliação e Perícia  em mais de 20 países no mundo . O Curso dele é aberto apenas a Engenheiros , (Agrônomos ou não)e a Arquitetos sem distinção  . Um Curso sério voltado a Engenheiros .Gostaria de frisar que não tenho nenhum interesse nisso e , se o conhecesse , da mesma forma estaria indicando o seu Curso da mesma forma como indico primeiramente em todas as situações o do Professor Sérgio Abunahman , uma referência inquestionável e obrigatória no cenário da Avaliação e Perícia Brasil .

Atenciosamente

Álex Ramos

 
 
Eliezer Furtado de Carvalho disse:

Prezados Colegas Igor Madruga e Alex Ramos,

Ao ler a mensagem do Colega Alex Ramos, vejo com alegria o seu entusiasmo, pois, tudo que se aprende é útil e pode ser aplicado, principalmente quando se aprende de um grande mestre da Engenharia Legal, como o Eng. Abunahmann.

Porém, como engenheiro agrônomo, com mais de 40 anos atuando na atividade pericial, tanto na condição de perito judicial, quanto de assistente técnico, e tendo participado de vários cursos de perícias e avaliações ministrados por engenheiros civis e engenheiros agrônomos e conhecendo bem as peculiaridades das perícias referentes a imóveis rurais e às atividades rurais e, conhecendo também os limites entre as habilitações do engenheiro agrônomo e do engenheiro - voltadas para o meio rural - e do civil - voltadas para o meio urbano, tenho o dever ético de esclarecer que existe grande diferença entre a atividade de avaliação de imóveis rurais, que é da habilitação do engenheiro agrônomo e a avaliação de imóveis urbanos, cuja habilitação é do engenheiro civil e do arquiteto. Alguns cursos de perícias avaliatórias de engenharia não fazem referência à habilitação legal do profissional, condição imprescindível para que a perícia e o laudo pericial tenham validade jurídica. Alguns chegam até a dizer que qualquer profissional que fizerem o curso com eles, passariam a ter habilitação para atuar em qualquer tipo de perícia no campo das engenharias, o que não é verdade, mas um absurdo, que configura o despreparo de quem transmite tamanha heresia. Mas o problema não para por aí. Por conta disso, multiplicam-se o número de profissionais que cometem exercício ilegal da profissão, infringindo o artigo 6º, alínea "a", da Lei 5.194/66, que regulamenta o exercício das profissões ligadas ao Sistema CONFEA/CREA.

Em fim, é necessário que se reconheça que, para estar devidamente preparado para atuar como perito ou como assistente técnico no âmbito da agronomia, é muito importante, senão necessário, que o engenheiro agrônomo participe de cursos de perícias agronômicas, ministrado por engenheiro agrônomo reconhecidamente preparado para este mister.

        

Prezado Alex,

Discordar é um direito de todos e um dos principais instrumentos do diálogo, da democracia e do progresso. Mas, peço sua permissão para dizer que suas palavras, em vários pontos me decepcionaram e me levaram a pensar que eu não me tenha feito entender naquilo que eu disse.

Gostaria muito de ver você valorizando e defendendo a agronomia, com a mesma ênfase com que defende e valoriza a engenharia civil. Quanto às leis que você diz não existir no Brasil, distinguindo o campo de atuação da agronomia, em relação à engenharia civil, creio que poderia lhe ser útil ler os seguinte dispositivos: Constituição Federal, art. 5º, XIII; CPC, art. 145; Lei 5.194/66, arts. 7º ao 9º; Resolução CONFEA Nº 218/73, art. 1º,

c/c arts. 5º e 7º; Resolução CONFEA 345/90, arts. 1ª ao 5º; Medida Provisória 1577/97, art. 12 § 3º, além da jurisprudência consubstanciada em vários Acórdãos dos Tribunais, confirmando que a "atividade de avaliação de imóveis rurais é atribuição do engenheiro agrônomo", não cabendo tal atividade ao engenheiro civil ou arquiteto.         

Diante disso, só me resta confirmar integralmente o teor da mensagem que lhe enviei anteriormente, com pequenas correções, ou seja: 

Ao ler a mensagem do Colega Alex Ramos, vejo com alegria o seu entusiasmo, pois, tudo que se aprende é útil e pode ser aplicado, principalmente quando se aprende de um grande mestre da Engenharia Legal, como o Eng. Abunahmann.

Porém, como engenheiro agrônomo, com mais de 40 anos atuando na atividade pericial, tanto na condição de perito judicial, quanto de assistente técnico, e tendo participado de vários cursos de perícias e avaliações ministrados por engenheiros civis e engenheiros agrônomos e conhecendo bem as peculiaridades das perícias referentes a imóveis rurais e às atividades rurais e, conhecendo também os limites entre as habilitações do engenheiro agrônomo - voltadas para o meio rural - e do civil - voltadas para o meio urbano, tenho o dever ético de esclarecer que existe grande diferença entre a atividade de avaliação de imóveis rurais, que é da habilitação do engenheiro agrônomo e a avaliação de imóveis urbanos, cuja habilitação é do engenheiro civil e do arquiteto. Alguns cursos de perícias avaliatórias de engenharia não fazem referência à habilitação legal do profissional, condição imprescindível para que a perícia e o laudo pericial tenham validade jurídica. Alguns chegam até a dizer que qualquer profissional que fizer o curso com eles, passaria a ter habilitação para atuar em qualquer tipo de perícia no campo das engenharias, o que não é verdade, mas um absurdo, que configura o despreparo de quem transmite tamanha heresia. Mas o problema não para por aí. Por conta disso, multiplicam-se o número de profissionais que cometem exercício ilegal da profissão, infringindo o artigo 6º, alínea "a", da Lei 5.194/66, que regulamenta o exercício das profissões ligadas ao Sistema CONFEA/CREA.

Em fim, é necessário que se reconheça que, para estar devidamente preparado para atuar como perito ou como assistente técnico no âmbito da agronomia, é muito importante, senão necessário, que o engenheiro agrônomo participe de cursos de perícias agronômicas, ministrado por engenheiro agrônomo reconhecidamente preparado para este mister.



Eliezer Furtado de Carvalho disse:

A propósito da preparação para atuar na importante atividade de perícias judiciais ou particulares de agronomia, tenho a honra de informar a todos os ilustres membros do grupo Perícias e avaliações rurais que estarei ministrando um curso de 40 horas-aula, sobre "Perícias e avaliações de imóveis rurais", no período de 19 a 23/08/13, na Cidade de Jataí-GO, organizado pela AEAJA - Associação dos Engenheiros Agrônomos de Jataí, com o apoio do CREA-GO e da AEAGO.

Quem se interessar, favor entrar em contato pelo e-mail: aeajadiretoria@yahoo.com.br ou pelo telefone: (64)3631-3384, com a Tatilene, para mais informações e/ou para efetivar a inscrição.

   

Caro Eliezer

Não foi necessário repetir todo seu argumento anterior pois acredito que temos condição de continuar discordando dela da mesma forma ..Gostaria apenas que tivesse compreendido que minha "alegria e entusiasmo" esta em tudo o que abraço e acredito , mas que esta mesma crença esta consubstanciada em fatos e argumentos conforme descrevi .Outra afirmação sua equivocada é a de que defendi os Engenheiros Civis apenas.. Acho que numa segunda leitura menos radical parcial poderás ver que se alguma classe defendi aqui  foi exatamente a de meus conceituados amigos Agrônomos os quais mantenho fortes laços de amizade e cooperação alem de imensa admiração e respeito mas que independente disso , como Perito, meu compromisso é com verdade .

"""""" Neste momento em que existe tentativa absurda de excluir os colegas Agrônomos e Veterinários da profissão de Zootecnista , vejo atitude similar nesta postura . Não cabe agora tratar da mesma forma absurda os colegas Engenheiros e Arquitetos pois a Avaliação Rural apesar de exigir conhecimento superficial do Solo não os impede de uma graduação complementar a nível de informação .Ou seja , não tira de forma alguma a Classificação de Solo que deve ser feita por Agrônomo competente caso haja necessidade requerida no processo ou na demonstração para encontrar o valor de decisão no caso de Avaliação de um Propriedade ."""""           Questão de princípios

. Sou do campo , trabalho nos campos e no Interior deste Estado mas mesmo assim não vejo diferença entre seres humanos em qualquer situação que estejam quer por moradia ou cargo que ocupam .Quanto ás declarações que fiz anteriormente, as mantenho da mesma forma e teor sem necessidade de repeti-las ... , e sendo assim peço que me desculpe a franqueza na certeza que os leitores já possuem elementos suficientes para compreensão e análise..

Desejo sucesso nos seus empreendimentos

Atenciosamente

Álex Ramos

Olá Sr. Eliezer Furtado de Carvalho,

estou muito interessada nesta área e gostaria de saber se o senhor tem conhecimento de algum curso sobre o tema.

Desde já, obrigada!

Eliezer Furtado de Carvalho disse:

Olá, Igor,
Para iniciar sua atuação como perito de agronomia, é importante  que se  prepare para tal, por meio de cursos específicos. Para mais informações, recomendo que acesse "eliezer space blog", onde você encontrará
programas de 4 (quatro) módulos de cursos de perícias no campo da agronomia, além de divulgação de dois importantes livros que tratam desse tema de forma abrangente e com a profundidade necessária.
Embora, a princípio, todo engenheiro agrônomo esteja legalmente habilitado para as atividades de perícia, não é recomendável que se lance nestas atividades sem antes passar, pelo menos, por um curso específico de aperfeiçoamento nesta área, ainda que de apenas 24 horas. Do contrário, será muito difícil que tenha um bom
desempenho e isso poderá prejudicar o seu ingresso nesta promissora área da agronomia. A propósito, está previsto
um curso de 24 horas, de "Perícia agronômica em divisão, partilha e demarcação de imóveis rurais", a ser realizado pelo IBAPE-SP (Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia), que será ministrando nos dias 26 a 28 de fevereiro/2013, na Capital Paulista (ibape-sp.org.br ou (11)4332-9808. Neste curso, todas as suas dúvidas e perguntas sobre esse assunto poderão ser esclarecidas. É uma ótima oportunidade para o início da sua preparação para atuar no vasto campo de perícias de agronomia.


Aguardo vc lá.
SDS
Eliezer

Olá, Paula Viol,

Estão previstos, mas ainda pendentes de datas, alguns cursos que serão promovidos pela AEAARP - Associação de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Ribeirão Preto. Também encontra-se em estudo a realização de vários cursos de perícias de agronomia, que seriam coordenados pela SMEA - Sociedade Mineira de Agronomia. Por enquanto, o que está com data definida é um minicurso sobre "Perícia agronômica em divisão, partilha e demarcação de imóveis rurais" a ser ministrado no dia 19/05/15, durante as comemorações da Semana de Agronomia, pela AEAARP. Outros cursos de perícias agronômicas, em vias de confirmação, também deverão ser ministrados por mim, possivelmente a partir de julho deste ano, sob a coordenação do PECEGE, da ESALQ-USP, em Piracicaba-SP. 

Peço que mantenha contatos, para confirmação de datas e locais dos cursos.

Grande abraço.

Eliezer

Boa tarde Dr. Eliezer Furtado,

Tenho pesquisado sobre a área de pericia e pude observar o quanto o Sr. é um ponto de referencia para tal tema, além de sua luta e orgulho pela classe de Eng. Agrônomo, assim como eu me orgulho.

Gostaria de saber se tem previsão de abertura de curso ainda para esse ano, pois estou ansioso para começar a saber mais sobre tais assuntos (jé entrei em contato por e-mail solicitando a compra dos livros).

Desde ja grato pela atenção, e parabenizando mais uma vez pelo seu trabalho e excelente profissionalismo que serve de espelho para nós que estamos iniciando a carreira agora. 

RSS

© 2018   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo