Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Esta data foi criada com o objetivo de alertar a população internacional sobre a importância da preservação da água para a sobrevivência de todos os ecossistemas do planeta. A data foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 21 de Fevereiro de 1993.

Estatísticas da ONU mostram que 25% da população do planeta não têm acesso a água potável e cerca de 58% dos municípios no Brasil não possuem água tratada. Vale lembrar que o Brasil é um país que detém cerca de 12% da água doce do planeta.(1)

A água sempre esteve presente em atividades da agricultura e pecuária, permitindo ao homem se estabelecer em comunidades fixas para produzir o próprio alimento. O recurso foi e é tão primordial que as primeiras civilizações se desenvolveram próximas de bordas de rios e córregos. Hoje, a agricultura é o setor que mais utiliza água no mundo — em torno de 70%, e esse percentual pode chegar a 80% nos países mais desenvolvidos.(2)

Mesmo sem ter conhecimento desses dados, desde o meu primeiro emprego em 1967, eu elegi a água como prioridade, até me tornar (como agora) um Especialista em Irrigação. Outras áreas da Engenharia Agronômica que privilegiam a água são, p. ex.: Irrigação, Drenagem, Hidráulica, Hidrologia, Hidrogeologia, Piscicultura, Barragens (incluindo as PCHs e outras hidrelétricas), Climatologia, Fluviologia,  Pluviologia, Limnologia, Indústria rural,  Saneamento Básico, Incêndios florestais, Criação de animais silvestres (rãs, camarões, tartarugas, jacarés, capivaras, patos, peixe-boi, etc.) e outras.

E mesmo para os colegas que se dizem especialistas em SOLOS, a água é importante pois, entre outros aspectos

a) influi na formação inicial e na erosão do solo;

b) auxilia na identificação da cor do solo (uso da escala de Munsell); e

c) por ser um solvente universal, dissolve os sais do solo, permitindo a alimentação mineral das plantas superiores.

 

REFERÊNCIAS.:

(1) https://www.todamateria.com.br/dia-mundial-da-agua/

(2) http://www.superbac.com.br/a-importancia-da-agua-na-agricultura/

Exibições: 41

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 24 março 2019 às 10:29

ALGUNS PROBLEMAS RELACIONADOS À ÁGUA

1 - Escassez. Este problema nem sempre está ligado apenas ao baixo consumo per capita. A  distribuição geográfica dos mananciais também tem peso importante. Aproximadamente 70% da água doce do Brasil está na Região Norte (Amazônia), onde há uma baixíssima densidade populacional (apenas 6% da população vive nessa área). Já a Região Sudeste tem 40% dos habitantes do país e apenas 6% de toda a reserva de água doce.

2 - Desperdício. Ainda hoje, nas cidades (onde vivem mais de 8 de cada 10 brasileiros), o desperdício de água potável produzida é, em média, de 38%. O estado do Rio desperdiça 50%. Os vazamentos dos canos enferrujados, o uso da vassoura d´água (foto) e a descarga das privadas com água potável, são três causas que poderiam ser evitadas. Na agricultura, ainda persistem extensas áreas irrigadas com 60% ou mais de perdas (método da inundação).

3 - Poluição. Logo depois da (pouca) quantidade e do desperdício (jogar água fora), vem a (baixa) qualidade, provocada pela poluição dos mananciais. Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento Regional, ainda temos no Brasil 35 milhões de pessoas sem água tratada, e quase 100 milhões (quase a metade da população) não contam com tratamento de esgoto doméstico. Os dejetos, então, são jogados na natureza e poluem os rios.

4 - Pegada hídrica. Esse termo está relacionado à quantidade de água potável necessária ao abate de animais, à produção de um quilo de alimentos e à produção industrial.(1) As indústrias utilizam grandes quantidades de água, seja como matéria-prima, na remoção de impurezas, geração de vapor e refrigeração. A Figura abaixo mostra alguns exemplos.

5 - Mananciais pouco utilizados. Entre os mananciais menos utilizados encontram-se a água das chuvas, as águas salobras ou do mar e os aquíferos subterrâneos. As águas de chuva ainda são pouco aproveitadas no Brasil. Uma pesquisa da Universidade da Malásia revelou que após o início da chuva, somente as primeiras águas carreiam ácidos, microrganismos, e outros poluentes atmosféricos, sendo que pouco tempo depois, a chuva adquire características de água destilada, podendo ser coletada em reservatórios fechados. A Austrália também fez um estudo comparando em um condomínio residencial o uso da água da chuva com e sem tratamento e concluiu que não houve muita diferença no número de doentes.

REF.:

(1) http://ayhoekstra.nl/pubs/Hoekstra-et-al-2013-ManualDeAvaliacaoDaPe...

Pense nisso.

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 22 março 2019 às 7:52

TAXA DE CONSUMO PER CAPITA

© 2019   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço