Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Agenda Parlamentar das Câmaras de Agronomia

Projetos de Lei que Afetam a Agronomia

Uma imagem pra lembrar que não se consegue nada sem luta!

Um comunicado enviado pelo colega Kleber Santos, Coordenador Nacional das Câmaras Especializadas de Agronomia, informa que foram analisados 194 projetos de lei federais afetos ao sistema profissional, e as Câmaras Especializadas de Agronomia do Sistema CONFEA / CREA definiram posicionamentos para 13 projetos de lei considerados prioritários.

Antes de apresentar a listagem, alguns destaques: há alguns projetos de lei que foram arquivados, mas não foram encerrados, daí sua importância; além disso precisamos verificar em que Comissões eles se encontram para priorizarmos e melhor direcionarmos nossas manifestações. Para tanto conto com a ajuda dos demais colegas da Rede Agronomia.

Segue então a listagem dos Projetos de Lei considerados prioritários:

Segue arquivo em PDF com o conteúdo das imagens postadas acima:

PLs%20prioritarios%20com%20posicionamento%20CCEAGRO%20-%202014.pdf

Exibições: 653

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de Flavio Rangel em 29 julho 2014 às 12:48
Comentário de Gilberto Fugimoto em 27 julho 2014 às 19:55

Caro Luiz Antonio,

Agradeço sua atenção e gentis palavras.

Esperamos contar sempre e cada vez mais com a participação de todos nós!

abração

Comentário de luiz antonio ce castro chagas em 27 julho 2014 às 13:38

Minhas congratulações aos ilustres colegas que lutam pelas causas de nossa classe, em especial ao Gilberto.

Contem comigo sempre.

Luiz Antonio de Castro Chagas - Engº Agrº CREA 8.375/D - MG

Comentário de Francisco Lira em 23 julho 2014 às 21:19

Realmente isso aí tem que partir daqueles que estão no topo da representatividade Agronômica e que literalmente tem essa atividade como emprego ou função. Dificilmente profissionais do setor privado ou publico teriam tempo e condições para estar a frente de uma coisa dessas como por exemplo provocar os Nobre Deputados a isso, contudo embora não sejamos o topo temos que encontrar meios de mobilizar de baixo para cima, se é que isso seja possível para acordar aqueles que estão digamos assim, alguns degraus acima e que realmente tem a força da caneta para direcionar os anseios da classe agronômica que diga-se de passagem é muito grande.

Comentário de Gilberto Fugimoto em 23 julho 2014 às 11:02

Caros Francisco, Gessias, Nilo e colegas,

Inicialmente gosto de nomear, em consideração aos colegas que tiveram... consideração de participar!

E é sobre mobilização e participação que eu gostaria de compartilhar algumas reflexões e propostas de ações.

Eu tendo a defender a importância da articulação em redes resultando na autonomia de participação, mas reconheço que no caso do Congresso Nacional frente a essa agenda complexa, é preciso um corpo profissionalizado ou, no mínimo em grande dedicação, para entender os trãmites e encaminhar as lutas.

Em resumo, um trabalho dedicado de LOBBY sem, no entanto, desconsiderar a importância da mobilização da categoria escolhendo os alvos prioritários como o Francisco vem apontando.

O que acham?

abraços

Comentário de Francisco Lira em 22 julho 2014 às 20:00

Temos mais de uma Dezena de Dep. Federais Eng. Agrônomos alguns inclusive com atuação parlamentar bastante reconhecida, o que falta mesmo unir esse grupo com ações conjuntas interligadas entre os desejos da classe através de nossas associações e as demandas agronômicas via CREA. Somos fortes o que falta é o pontapé inicial para isso.

Comentário de Nilo Ribas em 22 julho 2014 às 15:51

Urge que a classe agronômica tome as providências cabíveis para convencimento dos parlamentares no sentido de manter nossas atribuições que estão sendo retiradas paulatinamente do nosso currículo.

Comentário de Gessias Jardim dos Santos em 21 julho 2014 às 22:44

Concordo com o colega Francisco, temos que ficar de olho nesta PL, afinal de contas, cada um no seu quadrado.

Comentário de Francisco Lira em 20 julho 2014 às 20:43

Pois bem começando a analisar as prioridades já começo a ver uma coisa que salta aos olhos o fato de no Projeto nº 4 PL 2250/1996 se dar ao eng. florestal a mesma responsabilidade  de um Engenheiro Agrônomo,  isso a meu ver é um absurdo e tem que ser revisto afinal qual são as atribuições dessa turma na área de olericultura, pastagens, fruticultura  já que sua atuação é restrita por isso isso creio vai que ser mudado, pois não vejo nenhum cabimento racional na inclusão desse profissional nesse importante projeto que valoriza nossa engenharia e com certeza temos peso para fazer valer nossos direitos.

© 2020   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço