Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Foi anunciado hoje no jornal O Globo (Muita carne, pouca salada, caderno Sociedade, 8.4.15, pág.26), que o Ministério da Saúde (www.saude.gov.br) lançou o livro “Alimentos Regionais Brasileiros”, que pode ser baixado gratuitamente no site:

http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/livro_alimento...

No artigo consta que pesquisa mostra que só 24% da população consomem o necessário de frutas e hortaliças. No livro, segundo o MS, um dos objetivos é divulgar a variedade de alimentos em todas as regiões, orientar seu uso em preparações culinárias e resgatar, valorizar e fortalecer a cultura alimentar brasileira.

Além de excelente fonte de consulta, o ensejo nos remete a algumas reflexões, apesar de não termos tido qualquer disciplina em nossos cursos de Agronomia, que se dedicassem ao tema:

a)      Assim como as plantas saudáveis resistem mais às pragas e doenças, uma boa alimentação é a base de nossa saúde;

b)      O desperdício de alimentos no Brasil, da colheita à comercialização, é típica do terceiro mundo;

c)       O combate à fome também se faz com o aproveitamento das sobras de alimentos, seja nas feiras como nos restaurantes; e

d)      A Agricultura Familiar deveria ter mais a nossa atenção, orientando-se os agricultores a privilegiarem a produção de frutas e legumes.

E você colega, quer dar o seu piteco ?

Exibições: 169

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 15 abril 2015 às 19:42

ALIMENTOS MAIS CONTAMINADOS

(Segundo a Anvisa)

Comentário de Mario Sergio Alves de Godoy em 13 abril 2015 às 16:44

recebi alguns comentários (a ser verificado) que vários dos nossos colegas, expoentes, conhecidos, que publicaram livros que hoje são referência nos cursos de agronomia não estão mais prescrevendo seus próprios livros... eles defendiam (conscientes ou não) uma indústria de agrotóxicos (e fertilizantes...).Talvez muitos de nós estejamos esperando a aposentadoria... para nos unirmos a eles no que seria um retorno às origens da agronomia. Precisamos de mais um tempo para garantir nossa comodidade. A fonte, um agrônomo que se dedica a agricultura orgânica, nos acusa de termos aceito, do lobby da indústria de insumos, o papel de sermos responsáveis pela receita dos produtos que eles apenas fabricam, não fazem propriamente a recomendação.

estou fazendo um curso e aguardando os resultados... estamos levantando os canteiros, já fizemos a sementeira, vamos cultivar uma hortaliça e, num canto do local escolhido, tem um formigueiro (saúva). Pelo menos eu e mais um já perguntamos, a parte, para o professor, se não se incomodava com o sauveiro... garante que é pra ficar ali e que não provocará danos (elas ocupam-se das plantas em desequilíbrio). Também não se assusta quando lembro que nas experiências de campo de muitos pós-graduandos que acompanhei nos tempos de faculdade, tal cultura era infringida severamente por não somente tal praga, mas por também esta outra e mais esta outra praga... além deste frequente problema causado por deficiência de tal mineral no solo. Estou aguardando os resultados com ansiedade! Na agricultura orgânica, o cuidado com o solo começa muito antes do plantio e não se descuida um minuto sequer da sua cobertura e do seu ciclo de nutrientes e do equilíbrio da vida que ali existe... Exige muito conhecimento agronômico. Também não dispensa os avanços tecnológicos.

a publicação do INCA citada vem de encontro com outro depoimento do professor de que o acúmulo de substâncias de todo tipo nos alimentos tem minado a saúde e encarecido o tratamento das pessoas, que a recuperação nos Hospitais de Câncer tem buscado alimentos orgânicos para favorecer seus pacientes, que a Europa tem favorecido que crianças comecem desde cedo a ter acesso a esta alimentação saudável, para adquirirem cultura, para baraterar o custeio de saúde. Fiquei de procurar o Relatório sobre Segurança Alimentar da FAO que, segundo ele foi lançado recentemente indicando esse caminho para a agricultura e para a alimentação. E, finalmente, diz que foi disponibilizado 4 bilhões pelo Governo Federal e mais 2 bilhões por um organismo externo, a fundo perdido, a ser investido principalmente na comunicação aos brasileiros sobre os alimentos orgânicos por diversos Ministérios.

Olha, deixa fazer uma confissão, não sei se pelo menos mais um de nós vai perceber comigo e que todos os demais vão rir da minha ignorância: eu sempre fiz pé que o termo "agricultura orgânica" pegou, mas de forma incoerente, pois orgânico se diz do que é composto por cadeias carbônicas... percebo agora {:-;> que orgânico tem o mesmo radical de organismo, de um conjunto harmônico, de uma orquestra.

penso que esta retomada de rumo deveria ser orquestrada pelas empresas de extensão rural... aqui em SP, a CATI. Tem alguém da CATI aí?

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 13 abril 2015 às 11:41

Caro amigo,

Não concordo com a sua afirmação. A busca por alimentos orgânicos é (ou deveria ser) de TODOS, principalmente os agricultores familiares, que os produzem (para consumo dos brasileiros) em maior volume.

Ingerir alimentos contaminados por agrotóxicos é ruim para todos.

Comentário de altair roberto de carvalho em 13 abril 2015 às 10:59

A Emater-Mg é a mais indicada para buscar mais alimentos organicos,

e menos venenos nos alimentos.

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 10 abril 2015 às 16:39

Gilberto,

Não acredito que o INCA tenha mais prestígio no alerta ao uso exagerado de agrotóxicos do que a FIOCRUZ (ambas, felizmente ficam aqui no Rio de Janeiro, em bairros próximos), e nunca adiantou nada. O uso inadequado (ou o não-uso) do Receituário Agronômico; a venda indiscriminada do produto no interior do Brasil; e até a venda de produto pirateado do Paraguai, continuam impunes.

Um abraço.

Comentário de Gilberto Fugimoto em 10 abril 2015 às 12:04

José Luiz,

Essa matéria sobre agrotóxicos vai dar repercussão especialmente pela instituição que realizou a pesquisa: INCA.

abração

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 9 abril 2015 às 11:20

A edição de hoje (9.4.15) de O Globo trás uma importante reportagem sobre o uso exagerado de agrotóxicos no Brasil (o país de maior consumo no mundo), dizendo que consumimos um milhão de toneladas por ano do produto, o que dá 5,2 kg/hab.ano. Aí associei com ALIMENTOS SAUDÁVEIS e lembrei de uma imagem de um avião pulverizando sobre um prato de comida. Vou ver se acho pra mostrar aqui.

Não estaria na hora de darmos uma maior importância à produção orgânica ? Fica aqui essa gotinha de reflexão à classe (agronômica).

Tenha um bom dia.

© 2019   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço