Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

ANÁLISE DO PLANO AGRÍCOLA E PECUÁRIO 2014/15

http://www.sistemafaep.org.br/wp-content/uploads/2014/05/AN%C3%81LI...

Todos os anos uma espécie de “constituição” passa a reger o agronegócio brasileiro, estabelecendo as normas de crédito, incentivos, avanços e recuos que vão influenciar decisivamente a produção agropecuária. Trata-se do Plano Agrícola e Pecuário, mais conhecido pela sigla PAP e que compreende os anos-safra, no caso 2014/15, que foi trombeteado em cerimônia no Palácio do Planalto, dia 19/05, como se o paraíso estivesse estabelecido no meio rural do País.

É o papel do governo, principalmente em tempos eleitorais. O imediatismo da informação derrama nos meios de comunicação interpretações, na maioria das vezes, superficiais. O grande catatau do PAP 2014/2015, porém, merece a análise de causas e efeitos que provoca não só na vida dos produtores rurais, mas na economia do país. Afinal a agricultura é o único setor que continua a crescer no cenário econômico nacional repleto de nuvens escuras, e ocupa cerca de 32 milhões de brasileiros (IBGE 2012), que sustentam os restantes 168 milhões, sem contar bocas e mesas pelo resto do mundo.

O Departamento Técnico e Econômico da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (DTE/FAEP) se debruçou sobre linhas e entrelinhas do PAP anunciado e elaborou uma Nota Técnica.

Quais as principais medidas adotadas nas linhas de financiamento de custeio e investimento nas políticas de apoio à comercialização e aos instrumentos de gestão de risco da agricultura?

Há pontos positivos? Sem dúvida, mas quais são aqueles que merecem ser revistos pelo governo federal; que precisam ser monitorados pelo setor público e privado para observar a eficácia das medidas anunciadas.

Por que há o subdimensionamento de recursos e as políticas erráticas para o seguro rural e a sua falta de planejamento de longo prazo?
Uma sentença composta está sempre presente na cabeça (e na vida) do produtor: plantar, colher, armazenar, comercializar, pagar o que foi emprestado pelo banco. Se o saldo da venda for positivo após a dedução de custos: lucro. Se não….

Confira no link abaixo a Nota Técnica do DTE/FAEP, os prós e contras do PAP 2014/2015.
- See more at: http://www.sistemafaep.org.br/nota-tecnica-sugere-revisoes-para-o-p...

Todos os anos uma espécie de “constituição” passa a reger o agronegócio brasileiro, estabelecendo as normas de crédito, incentivos, avanços e recuos  que vão influenciar decisivamente a produção agropecuária. Trata-se do Plano Agrícola e Pecuário, mais conhecido pela sigla PAP e que compreende os anos-safra, no caso 2014/15, que foi trombeteado em cerimônia no Palácio do Planalto, dia 19/05, como se o paraíso estivesse estabelecido no meio rural do País.

É o papel do governo, principalmente em tempos eleitorais. O imediatismo da informação derrama nos meios de comunicação interpretações, na maioria das vezes,  superficiais.  O grande catatau do PAP 2014/2015, porém, merece a análise de causas e efeitos que provoca não só na vida dos produtores rurais, mas na economia do país. Afinal a agricultura é o único setor que continua a crescer no cenário econômico nacional repleto de nuvens escuras, e ocupa cerca de 32 milhões de brasileiros (IBGE 2012), que sustentam os restantes 168 milhões, sem contar bocas e mesas pelo resto do mundo.

O Departamento Técnico e Econômico da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (DTE/FAEP) se debruçou sobre linhas e entrelinhas do PAP anunciado e elaborou uma Nota Técnica.

Quais as principais medidas adotadas nas linhas de financiamento de custeio e investimento nas políticas de apoio à comercialização e aos instrumentos de gestão de risco da agricultura?

Há pontos positivos? Sem dúvida, mas quais são aqueles que merecem ser revistos pelo governo federal; que precisam ser monitorados pelo setor público e privado para observar a eficácia das medidas anunciadas.

Por que há o subdimensionamento de recursos e as políticas erráticas para o seguro rural e a sua falta de planejamento de longo prazo?
Uma sentença composta está sempre presente na cabeça (e na vida) do produtor: plantar, colher, armazenar, comercializar, pagar o que foi emprestado pelo banco. Se o saldo da venda for positivo após a dedução de custos: lucro. Se não….

Confira no link abaixo a Nota Técnica do DTE/FAEP, os prós e contras do PAP 2014/2015.

- See more at: http://www.sistemafaep.org.br/nota-tecnica-sugere-revisoes-para-o-p...

Exibições: 130

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de pedro loyola em 29 maio 2014 às 9:49

íntegra da análise

Aqui vocês podem ler em detalhe a análise do PAP. Essa é a realidade da nossa política agrícola...

Comentário de Eduardo B. Teixeira Mendes em 29 maio 2014 às 3:26

Bastante oportuna a análise, por sinal uma das primeiras disponibilizadas.

Comentário de Elpidio Cronemberger Junior em 26 maio 2014 às 12:10

Oportuno e esclarecedor, a análise do Plano Agrícola e Pecuário 2014/ 2015, feito 

 pela FAEP.

Parabéns, Pedro Loyola pela Postagem em Rede Agronomia.

© 2020   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço