Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Segundo a Sociedade Botânica da América (https://botany.org/) existem cerca de 250.000 espécies de plantas, divididas em 460 famílias mas, destas, só usamos cerca de 300 espécies de 20 famílias. Acontece que só identificamos cientificamente uma minoria. A Amazônia, p.ex., que cobre mais da metade do nosso território, é uma desconhecida.

Os métodos tradicionais de identificação das espécies de plantas ditas superiores usam características que incluem as folhas, flores, caules, raízes e frutos, entre outras. As folhas de cada espécie dispõem de informações úteis para a sua classificação. Entre essas estão as: formas, nervuras, bordas, cor, cheiro, etc.

As folhas apresentam particularidades que as indicam para o uso sistemático na identificação de espécies, entre as quais se destacam: com exceção das espécies caducifólias, elas permanecem constante em todas as estações, são fáceis de encontrar, coletar e guardar na forma digital.

Com o advento do microcomputador, na década de 1980, vários estudiosos já tentaram agilizar o processo, através da identificação da espécie por meio digital. Dia 28 de Maio de 2014 eu publiquei aqui o post APP ECOLÓGICO (*), que tratava de um aplicativo para celular que identificava a espécie pela foto de uma folha.

Du e aux. (2006) estudaram sistema que combina folhas de imagens por ajuste de polígonos ao contorno e usando um descritor de Fourier modificado com programação para realizar a correspondência.

Pode parecer difícil mas, veja na Figura abaixo como o processamento digital pode resolver o problema.

(*) http://agronomos.ning.com/profiles/blogs/app-ecol-gico

Exibições: 304

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 8 maio 2018 às 11:49

O PEIXE MASCOTE DA COPA

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 26 abril 2018 às 18:48

IDADE DA ÁRVORE

A Ciência de predição da idade da árvore através da contagem dos anéis do tronco chama-se Dendrocronologia. Cada círculo é chamado anel de crescimento e cada anel corresponde a um ano de vida. Os anéis são contados de dentro para fora, a partir da medula. Nas regiões tropicais os anéis são difíceis de discernir. Um ano civil pode ter mais ou menos de 12 meses, dependendo do clima. O trado de Pressler perfurando a árvore a 1,30 m do solo pode ser usado na árvore viva.

A contagem dos anéis com o software ImageJ pode ser feita com a seguinte rotina:

1) File > Open > pinus_ponderosa.gif;

2) Image > Duplicate;

3) Straight > 1 cm;

4) Analyze > Set Scale > Known distance: 1.00, Unit of length: cm;

5) Image > Type > 8-bit;

6) Image > Adjust > Threshold;

7) Rectangular > Delimita estreita faixa pegando todos os anéis;

8) Analyze > Analyze Particles.

Os resultados da medição estão nas janelas Drawing, Summary e Results. Embora o resumo (Summary) tenha encontrado 31 anéis, observamos na janela Drawing e nos 3 últimos valores da tabela Results que foram contabilizados 3 fragmentos que, pelo seu reduzido tamanho, não são considerados anéis. Então, o resultado final é 31 - 3 = 28, ou 28 anos de idade da árvore.

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 26 abril 2018 às 9:06

MORFOLOGIA

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 25 abril 2018 às 18:40

USO DE MAPAS

Esse software (ImageJ) é mesmo porreta. Já vi aplicações dos seus recursos na identificação de folhas, diatomáceas, contagem de mosquitos, grãos de areia, identificação de nódulo em câncer de mama e muito mais. Resolvi então, por minha conta, medir a área e perímetro de um lago. Aqui está o roteiro.

1) Baixar a imagem de satélite com a escala gráfica, que chamei de lake.gif;

2) File > Open > lake.gif;

3) Image > Type > 8-bit;

4) Straight > Linha de 30 km no mapa;

5) Analyze > Set Measurements > Area & Perimeter;

6) Analyze > Set Scale > Known distance: 30 & Unit of length: km;

7) Rectangular > Retângulo em volta do lago;

8) Image > Crop; e

9) Analyze > Measure.

O resultado está na janelinha do canto inferior direito da Figura abaixo.

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 25 abril 2018 às 9:53

ALGUNS RECURSOS DO IMAGEJ

(Plugins)

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 24 abril 2018 às 17:08

The Plant List (LISTA DE PLANTAS)

http://www.theplantlist.org/1.1/browse/A/

Bom proveito.

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 23 abril 2018 às 14:56
Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 23 abril 2018 às 10:39

IDENTIFICAÇÃO PELA FORMA

(Um exemplo da complexidade)

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 23 abril 2018 às 9:05

MACRO PARA DISTÂNCIAS PARTE 2

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 22 abril 2018 às 16:56

MACRO PARA DISTÂNCIAS

© 2018   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo