Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

(Animais atropelados, O Globo, Gabriel Morais, caderno Sociedade, 16.9.2019, pág. 29)

O Globo de ontem divulgou levantamento em que mais de 2 milhões de bichos (animais selvagens) morrem por ano nas rodovias do país, tendo como principais vítimas: o cachorro-do-mato, tamanduá-mirim, tatu, tamanduá-bandeira e capivara (nesta ordem), além de anfíbios e outros.

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) é o órgão responsável pelo monitoramento de atropelamento de animais nas rodovias federais mas, o último levantamento sobre o tema feito pelo órgão é de 2014.

A solução técnica mais indicada para evitar os atropelamentos e mortes, é a construção de passarelas arborizadas só para eles (os bichos, daí o cognome bicho-duto) e bueiros especiais sob as rodovias que cruzam os córregos, projetados com estreitos caminhos de terra nas laterais, para os répteis e anfíbios.

A pouquíssima adesão a essas estruturas é o custo de construção e o desprezo à fauna silvestre. E, também, o pouco valor que damos à vida humana. Quem dirige sabe o cuidado que temos com as lombadas nas ruas, reduzindo ao mínimo a velocidade ao ultrapassá-las. Agora, imagine uma jiboia das grandes atravessando a pista, e você a 100 km/h passando direto.

O agravante desses acidentes no Brasil é o fato do transporte rodoviário ser usado em mais de 60% dos modais e, além disso, termos a maior biodiversidade do planeta.

Algumas soluções encontradas em outros países

A Figura abaixo mostra uma passarela sobre uma rodovia dupla, destinada apenas ao trânsito de animais silvestres na Holanda. (https://en.wikipedia.org/wiki/Wildlife_crossing). Nas extremidades, cercas são construídas para orientar o caminho dos bichos até a entrada e, também, na saída. Placas de advertência quanto a presença de animais na região, também são outra estratégia para reduzir o número e gravidade dos acidentes rodoviários.

A Figura abaixo resultou de um PrtScn de um vídeo do Youtube, mostrando um bueiro adaptado para animais silvestres. (https://youtu.be/rgOMcpUN5RY)

Estatísticas norte-americanas sobre acidentes envolvendo carros e animais silvestres nas rodovias daquele país, são mostradas na Figura abaixo:

Fonte: https://www.fhwa.dot.gov/publications/publicroads/09septoct/03.cfm

NOTA: A Figura do título foi tomada emprestada no site abaixo:

http://www.planetexperts.com/montanas-wildlife-crossings-keep-anima...

Exibições: 40

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 29 setembro 2019 às 10:09

HÁ MUITO BICHO PARA SE PROTEGER

O Brasil tem a maior biodiversidade do mundo — isso, todo mundo já sabe. Mas e daí? O que o País ganha com isso? Maior segurança alimentar, energética, hídrica e climática; proteção contra erosão, enchentes, deslizamentos e outros desastres socioambientais; proteção natural contra pragas no campo e doenças nas cidades; potencial para a descoberta de novos fármacos, cosméticos e outros produtos naturais; preservação de culturas, saberes e costumes de populações tradicionais; paisagens belíssimas; incontáveis oportunidades de negócios ligadas ao ecoturismo, lazer e bem-estar social. Tá bom, ou quer mais ? (1)

REF. : (1)

https://jornal.usp.br/ciencias/ciencias-ambientais/brasil-desperdic...

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 28 setembro 2019 às 8:34

ATROPELAMENTO DE ANIMAIS EM RODOVIAS

Seguem-se algumas figuras capturadas num bordejo pelo Google em temas e textos ligados aos bichodutos, aqui e no exterior, onde são mais usados e conhecidos. Como, dizem, "uma imagem vale mais do que mil palavras", serei lacônico nas explicações. A aí de baixo, p.ex., dispensa palavras, além das que já estão escritas. Procurei inserir a fonte na própria figura.

A Figura abaixo mostra os animais que mais sofrem com atropelamentos em rodovias no Mato Grosso do Sul e, também como se calcula a Taxa de Atropelamento.

A Figura abaixo dá uma ideia da percentagem de vertebrados mais suscetíveis a atropelamentos em rodovias, com destaque para os pequenos, como as pererecas.

A Figura abaixo lista as soluções mais usuais para resolver os problemas que originam os atropelamentos de animais, separados por grupos biológicos.

A Figura abaixo, elaborada com dados fictícios, servem apenas para mostrar a equação usada no cálculo da Taxa de Atropelamento em rodovias.

A Figura abaixo mostra, através de uma foto aérea com buffers ao longo das rodovias, as zonas de interesse ao estudo do solo contaminado, terras úmidas, grandes mamíferos, anfíbios e pássaros sensíveis, respectivamente.

A Figura abaixo lista os dez (10) fatores mais influentes no número de mortes de animais nas rodovias.

A Figura abaixo destaca a importância dos fragmentos florestais na redução da flora e da fauna, com o aumento da construção de rodovias, seja por atropelamentos como por outras causas ligadas à ecologia e o antropismo.

LEITURAS COMPLEMENTARES:

http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/comunicacao/download...

https://www.diva-portal.org/smash/get/diva2:866686/FULLTEXT01.pdf

https://core.ac.uk/download/pdf/77855.pdf

https://pdfs.semanticscholar.org/552f/33a9fa1a4ccf6d79aa56ca47d2236...

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 20 setembro 2019 às 19:40

PROJETO DE BICHO DUTO

A Figura abaixo é o projeto de um bueiro sob uma rodovia, projetado para transportar cerca de 17 litros por segundo numa meia-calha de concreto com 25 cm de diâmetro, instalada dentro de um tubo de aço corrugado ou concreto com 1 m de diâmetro (Alternativa A). Nas outras duas alternativas, o canal mantém o seu diâmetro mas cresce em altura, de modo a alargar as passarelas. Uma opção extrema seria vedar a área livre do canal (opção C), de modo que a passarela alcançasse a sua extensão máxima, ou seja, o diâmetro do tubo maior, ou 1 m.

Observe que as margens do canal são preenchidas com terra até a altura do raio da meia calha para facilitar o trânsito de animais silvestres (répteis, anfíbios e pequenos mamíferos).

Os cálculos foram realizados em planilha Excel e com o software R.

Bom proveito.

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 17 setembro 2019 às 8:52
Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 17 setembro 2019 às 8:46

Esse, acabou de atravessar, mas não resistiu às queimadas/queimaduras. Temos visto na TV recentemente, animais silvestres que procuram as pistas (e as margens de córregos) por serem o único local que não está em chamas.

Uma pena !

(Fonte: Facebook, 17/09/2019).

© 2019   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço