Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Casos como o do João Bumlai, pecuarista, amigo do Lula, preso na Lavajato, impactam o agronegócio?


Por José Luiz Tejon Megido, Conselheiro Fiscal do Conselho Científico para Agricultura Sustentável (CCAS), Dirige o Núcleo de Agronegócio da ESPM, Comentarista da Rádio Jovem Pan.

 

Sempre uma macula. Vem com o rótulo de pecuarista. E da mesma forma como uma gota de mercúrio cromo num cálice de água límpida, turva o líquido. Sem dúvida ruim para a categoria que não tem nada a ver com isso. Porém, se formos olhar as categorias, elas andam todas bem manchadas por exemplos nefastos, publicitários, advogados, administradores, banqueiros, esportistas.

Porém, o Bumlai vem mesmo da área de empreiteiras. Atuou na Constran, que era do Olacyr de Moraes, o ex-rei da soja, lá pelos anos 80, foi apresentado ao Lula em 2002 e cedeu sua fazenda para gravação de filmes da sua campanha política.

Hoje Bumlai simboliza um pecuarista falido e um usineiro em recuperação judicial. Ssua usina de etanol em Dourados, Mato Grosso do Sul, deve cerca de 1 bilhão e duzentos milhões de reais. Fora isso, vendeu uma linda fazenda chamada Cristo, no pantanal, ao banqueiro André Esteves, BTG Pactual. Agora da mesma forma outro jovem prodígio, high potential, preso.

A atividade agropecuária tem servido ao longo do tempo para esconder resultados conquistados de maneira suspeita. Porém, agora, não resistem mais a uma coisa chamada competência de produtor.

 
Ganhador de dinheiro suspeito, não tem vocação de produtor e quebra, perde na fazenda o que roubou fora da fazenda. O mundo do agro mudou, conhecimento, tecnologia e dedicação é tudo. Em 2016, o agronegócio significa uma esperança realista para todos os brasileiros, por mais que Brasília pare, o campo não consegue parar.

Sobre o CCAS

O Conselho Científico para Agricultura Sustentável (CCAS) é uma organização da Sociedade Civil, criada em 15 de abril de 2011, com domicilio, sede e foro no município de São Paulo-SP, com o objetivo precípuo de discutir temas relacionados à sustentabilidade da agricultura e se posicionar, de maneira clara, sobre o assunto.

O CCAS é uma entidade privada, de natureza associativa, sem fins econômicos, pautando suas ações na imparcialidade, ética e transparência, sempre valorizando o conhecimento científico.

Os associados do CCAS são profissionais de diferentes formações e áreas de atuação, tanto na área pública quanto privada, que comungam o objetivo comum de pugnar pela sustentabilidade da agricultura brasileira. São profissionais que se destacam por suas atividades técnico-científicas e que se dispõem a apresentar fatos concretos, lastreados em verdades científicas, para comprovar a sustentabilidade das atividades agrícolas.

A agricultura, apesar da sua importância fundamental para o país e para cada cidadão, tem sua reputação e imagem em construção, alternando percepções positivas e negativas, não condizentes com a realidade. É preciso que professores, pesquisadores e especialistas no tema apresentem e discutam suas teses, estudos e opiniões, para melhor informação da sociedade. É importante que todo o conhecimento acumulado nas Universidades e Instituições de Pesquisa seja colocado à disposição da população, para que a realidade da agricultura, em especial seu caráter de sustentabilidade, transpareça. Mais informações no website: http://agriculturasustentavel.org.br/. Acompanhe também o CCAS no Facebook: http://www.facebook.com/agriculturasustentavel

Exibições: 208

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de Eduardo B. Teixeira Mendes em 25 dezembro 2015 às 23:43

Primeira Tejon o nome do "pecuarista" á José Carlos Bumlai e não João.

Agora uma coisa curiosa..... Como o próprio João Bumlai já reclamou perante uma CPI .... Ele tem nome próprio, mas a imprensa fica o chamando de amigo do Lula. Porém porque não ressalta que José Carlos Bumlai, antes de ser somente o "amigo de Lula" foi sócio de Galvão Bueno (Locutor da Rede Globo) na rede de fast food Burger King, João Carlos Saad (Dono da Rede Bandeirantes e do Canal Terraviva), Jovelino Mineiro (atual sócio de Fernando Henrique Cardoso na fazenda Buritis), Hélio Castroneves (piloto de fórmula Indy) e Beto Mansur (Ex-prefeito de Santos e atual deputado federal, acusado de manter trabalhadores em situação análoga a escravidão).

Além disso, em suas agendas foram encontradas anotações de doações para Ronaldo Caiado, Michel Temer, Aluísio Nunes Ferreira entre outros.....Mas mesmo assim a imprensa continua chamando ele de amigo do Lula.

Respeito muito o CCAS, inclusive porque há ex-professores meus que fazem parte da associação, mas eu fico entristecido de ver que infelizmente, vocês estão replicando uma informação sem questionamento das fontes. 

Será que denúncias de infrações trabalhistas contra Raizen, Cutrale, Itabom, JBS, entre outras não fazem muito mais propaganda negativa ao agronegócio do que ficar re´plicando informações incompletas da imprensa?

Fica aqui meu comentário e desabafo.

© 2019   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço