Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

O povo está em pânico. Tem gente dormindo na porta dos postos de saúde para tomar a vacina contra a febre amarela. Outros têm envenenado macacos pensando que são eles que causam a doença. Por trás de tanta desinformação a cerca desses insetos e animais, quem sabe não estaria na hora de esclarecer a população sobre os mesmos ?

Como sou Engenheiro e não da área de saúde, vou só dar uns palpites. O primeiro diz respeito à identificação do mosquito, já que o Aedes aegypti não causa a doença. A principal delas é que os mosquitos, segundo a Organização Mundial de Saúde - OMS são os responsáveis pelas doenças mais virulentas do mundo, encabeçadas pela Malária, Febre Amarela e Oncocercose ou cegueira dos rios.

Os mosquitos Haemagogus e Sabethes (que transmitem a febre amarela) vivem na copa das árvores. Por isso, o alvo preferencial das suas picadas são os macacos, que compartilham o mesmo habitat”, relata Dinair Couto, pesquisadora do Laboratório de Mosquitos Transmissores de Hematozoários.

Ambos (H & S) são mosquitos diurnos (assim como o A.e.,  com picos das 12h às 14h e das 16h às 17h) e voam num raio máximo de 800 m. Outras fontes indicam que as fêmeas do Haemagogus janthinomys (corpo todo preto e meio oval e principal vetor da Febra Amarela silvestre) podem voar até 11 km.

Exibições: 61

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 22 janeiro 2018 às 8:13

DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO

(Peixes e Sapos)

O texto abaixo foi transplantado do meu Facebook, mas a montagem das figuras no rodapé foi feita por mim e tomadas emprestadas do Google/imagem. Vale o recado do descuido do homem com a Natureza, muitas vezes causando o desequilíbrio ecológico que, no caso, pode levar à transmissão da febre amarela, por falta dos inimigos naturais das larvas e dos insetos adultos da mosquitA transmissora. Mas pode ocorrer também com o desmatamento ou com o uso indevido de agrotóxicos que causem a morte das abelhas (polinizadores indispensáveis).

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 21 janeiro 2018 às 9:08

COMO ESTÁ A SITUAÇÃO NO BRASIL

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 19 janeiro 2018 às 8:48

Obrigado pelo apoio, Gilberto.

De fato, para nós (profissionais que por força da atuação tem mais contato com mata do que os demais), que temos uma boa base de Entomologia, pelo menos a identificação dos "inimigos" deve ser divulgada e difundida. Não custa nada, ainda, dar uma relembrada nos inseticidas próprios para esses minúsculos helicópteros com asas e movidos a sangue humano.

Um abraço.

Comentário de Gilberto Fugimoto em 18 janeiro 2018 às 21:39

Muito Bom José Luiz,

Excelente alerta para nós profissionais!

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 18 janeiro 2018 às 10:02

TAXONOMIA

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 18 janeiro 2018 às 7:11

PRINCIPAIS MOSQUITOS DE IMPORTÂNCIA SANITÁRIA NO BRASIL

https://static.scielo.org/scielobooks/th/pdf/consoli-8585676035.pdf

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 17 janeiro 2018 às 14:40

CADA MACACO NO SEU GALHO

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 17 janeiro 2018 às 10:27

VACINAÇÃO

(mostrado no meu Facebook)

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 17 janeiro 2018 às 9:41

Como Engenheiro Agrônomo, a minha contribuição (para esclarecer dados e informações sobre mosquitos) está na minha página sobre Riscos de Acidentes na Zona Rural, no endereço:

http://ufrrj.br/institutos/it/de/acidentes/mosq.htm

Está um tanto desatualizada, mas dá pro gasto.

Eu nasci numa cidade com muito mosquito (Belém - PA) e desde criança tenho pavor desses pequenos insetos, pelos mendigos com Filariose que via quando menino nas ruas do comércio de Belém. Tanto que, meu TCC de Mestrado em Saúde Pública, na Fiocruz - RJ (1968) foi sobre o Combate a Mosquitos em Áreas Urbanas.

© 2018   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo