Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

No Dia Mundial de Combate à Desertificação e à Seca, a Embrapa escolheu a barragem subterrânea como símbolo da comemoração. Como mostra a figura, essa barragem é construída debaixo da terra, no semiárido nordestino, para fins de irrigação subsuperficial. Nós  sabemos que abaixo de 1,5 m não há evaporação, daí o "segredo" da estrutura.

Exibições: 37

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 1 julho 2019 às 9:59

Bom dia, Rodrigo.

Sem saber a sua profissão e grau de instrução, fica difícil lhe dar uma resposta adequada; assim, sugiro que entre com as palavras chave "barragem subterrânea" no Google, que encontrará manuais que satisfarão a sua curiosidade. Entretanto, em linhas gerais, trata-se do seguinte. Abre-se uma vala transversalmente ao leito do córrego onde se encontra o aquífero, e constrói-se uma parede de alvenaria (de preferência forrada com manta plástica de PVC). Pode-se construir um poço logo à montante, tanto para retirar água quanto para verificar o nível do lençol freático após as chuvas.

Um abraço.

Comentário de Rodrigo P. Louzada em 1 julho 2019 às 9:45

Bom dia amigo José Luiz, achei interessante o assunto e não tenho conhecimento quanto a execução da barreira citada. Poderia por gentileza detalhar como se da o processo de construção ?

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 19 junho 2019 às 9:13

POROSIDADE (Conclusão)

Comparando os dados de entrada do exemplo (BARRAGEM SUBTERRÂNEA) mostrado na planilha abaixo com os valores de porosidade do aquífero listados, conclui-se que o aquífero citado era composto por arenito, o que é coerente com vários sítios do semiárido nordestino.

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 18 junho 2019 às 12:34

POROSIDADE DO AQUÍFERO

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 18 junho 2019 às 8:53

PRÉDIMENSIONAMENTO HIDRÁULICO

O exemplo mostrado na Figura abaixo consta do trabalho Barragens Subterrâneas & Barragens de Assoreamento (Cadernos do Semiárido v.3, de Waldir Duarte e aux., CREA-PE, 2015).

Essas obras singelas, de baixo custo e de rápida execução visam aproveitar os depósitos aluviais nos leitos secos dos rios ou mesmo, criar depósitos quando da sua inexistência.

Se as condições mostradas no exemplo anterior se mantiverem constantes por mais dois quilômetros, ao se construírem três barragens em sequência (série), o volume calculado poderá ser multiplicado por três: V = 3*15.000 = 45.000 m³ de água. Vide configuração abaixo, onde na parte superior está uma vista de topo e na debaixo, o perfil, com a água acumulada representada pelas hachuras e os polígonos cinza o muro impermeável atravessado no leito.

© 2019   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço