Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Continuando no tema Manutenção, extremamente importante para um gramado esportivos de alto desempenho (de futebol, neste caso), vamos aprofundar um pouco o tema de como melhor cortar o gramado.

Inicialmente é importante que se entenda que, como fazemos tudo para que o gramado cresça em profusão, para termos boa capacidade de suporte de pisoteio e de regeneração, temos também de cortar esse gramado com uma freqüência muito maior que um gramado com fins paisagísticos.

Conseguimos, através da escolha de variedade correta, boa execução do campo e boa manutenção, taxas de crescimento que chegam a 1cm a cada 24h. Assim, para manter uma superfície homogênea, para a prática desportiva do futebol, temos de cortar esse gramado, muitas vezes, 5 a 6 vezes por semana.

Para o corte há maquinário específico e, como podem observar na foto; os cortes executados com máquinas helicoidais, dão um acabamento muito melhor do que o corte feito com máquinas de corte horizontal.
Isso de dá pelo fato de as máquinas de corte horizontal, mesmo as de boa qualidade e com as lâminas bem afiadas, fazem o corte, muito mais pelo impacto do metal contra o tecido vegetal, do que propriamente por corte incisivo.

Já, as máquinas de corte helicoidal, contam com um cilindro(s) de lâminas em feixe helicoidal, em alta rotação, que cortam as folhas contra uma contra-faca, tal qual uma tesoura, obtendo-se desta forma, um corte incisivo, limpo, bem acabado e de fácil cicatrização do tecido foliar.
Conseguimos com cortes helicoidais, superfícies de jogo especialmente bonitas e homogêneas, além de podermos produzir com essas máquinas verdadeiras obras de arte, com desenhos em faixas, xadrezes, círculos concêntricos, ondas, etc. O limite para esses “desenhos” passa pela experiência e potencial artístico do profissional responsável pelo campo, como também, pelas entidades que comandam o futebol, pois muitas vezes, estas, como forma de procurar ajudar a arbitragem, recomendam o corte em faixas (sentido lateral) para ajudar os auxiliares (bandeirinhas) na determinação/marcação de impedimentos.

Além disso, cortes bem executados, facilitam a cicatrização do tecido vegetal, não deixando “portas” abertas para os fito patógenos oportunistas (fungos, bactérias, etc).


CONCLUSÃO
Um bom campo de Futebol, de alto desempenho, deve ser cortado com máquinas helicoidais, que proporcionam a um só tempo, boa superfície de jogo, além de contribuírem para a boa sanidade do gramado.

Exibições: 851

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de CARLOS ALBERTO DE CONTI em 2 fevereiro 2010 às 21:20
Você esclarece uma dúvida que tinha comigo desde muitos anos. Sempre "suspeitei" que o esmigalhamento dos tecidos vegetais das regiões limítrofes à região do corte, de alguma forma prejudicariam a rebrota. Agora você comprova com dados técnicos essa minha intuição. Obrigado e parabéns mais uma vez. Carlos Conti.
Comentário de Gilberto Fugimoto em 18 dezembro 2009 às 13:19
Olá Artur,
Muito interessante e esclarecedor.
Equipamentos específicos para trabalhos diferenciados.
abração
Comentário de Artur Melo em 18 dezembro 2009 às 11:41
É Gilberto,
Corte é imprescindível em Gramados Esportivos.
A foto que vc colocou é de máq de corte horizontal, para corte em grandes áreas, como os roughs de golf, parques, aeroportos, etc.
Há tamém, as corte helicoidal (foto), para cortes em grandes áreas de jogo.
.

Gd Abraço,
Comentário de Gilberto Fugimoto em 18 dezembro 2009 às 10:26
Equipamentos de corte


Muito boa abordagem sobre cortes em gramados. Um detalhe que faz toda diferença.
Tenho observado que equipamentos para corte em gramados vão ficando cada vez mais complexos para atender à demanda de serviço.
Na foto um equipamento para corte em gramados com unidades independentes.

© 2021   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço