Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Hoje se comemora o Dia Mundial dos Rios. Infelizmente não temos muito o que comemorar, aqui no Brasil, pois já transformamos os nossos em latrinas. Apesar de termos a maior bacia hidrográfica do mundo, lá na longínqua Amazônia. Mas até lá, o Mercúrio evaporado das bateias nos garimpos de um rio poluído, é transportado pelas correntes aéreas (os chamados rios voadores) para rios de águas cristalinas como o Tapajós, contaminando os seus peixes.

Infelizmente a Hidrologia não faz parte do nosso currículo obrigatório. Mesmo assim, é deles que retiramos 70% da água para a irrigação das lavouras.

E parece que ninguém se interessa mesmo por esse assunto, pois tenho colocado uma série de dados e informações sobre um rio do Maranhão e ninguém comentou.

http://agronomos.ning.com/profiles/blogs/um-modo-pr-tico-do-estudo-...

Exibições: 182

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 7 outubro 2015 às 15:24
Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 7 outubro 2015 às 15:19

A revista Época Negócios (No.104, Outubro/2015, pág.22) publica MAIS ÁGUA, MENOS OBRAS, uma entrevista com Albert Appleton, que resolveu uma baita crise de abastecimento em Nova York recuperando mananciais e reduzindo o desperdício. Em 1990.

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 4 outubro 2015 às 12:19

Antônio Carlos,

Proteger nascentes é o básico (e necessário). O passo seguinte seria não lançar esgotos sem tratamento nos cursos de água. Essa última imagem, da fazenda, superou as demais. Você deve ter uma coleção fantástica. Parabéns, mais uma vez pelo oportunismo e bom gosto.

Um abração

Comentário de Antônio Carlos Coutinho em 3 outubro 2015 às 21:54

Meu caro José Luiz, acho que tudo que viesse a contribuir para que os nossos mananciais, venham a ser recuperados e preservados, é louvável!

Realmente, acho que imagens sensibilizam muito mais do que palavras e textos, com relação a degradação das nascentes e proteção das margens dos cursos d'água!

Um ótimo final de semana!

Abraços.

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 3 outubro 2015 às 15:27

Lindas (e oportunas) as fotos que acompanham cada manifestação sua, Antônio Carlos. Parabéns. Vale a máxima de que "uma imagem vale por mil palavras".

Quanto ao tema (atual), o Pagamento por Serviços Ambientais - PSA deveria ser institucionalizado, em vez de tentarem ressuscitar a CPMF, não acha ?

Abraço.

Comentário de Antônio Carlos Coutinho em 2 outubro 2015 às 21:57

Realmente José Luiz, o município de Extrema vem fazendo um trabalho excelente de recuperação e preservação das nascentes! Iniciativa da Prefeitura Municipal de lá! O produtor rural é antes de tudo, "um produtor de água"! Portanto a Prefeitura Municipal o remunera por isso! Nada mais justo!

Abraços.

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 2 outubro 2015 às 18:56

De fato, Antônio Carlos.

A iniciativa do Município de Extrema - MG, que já tem vários anos (se não me engano, 10), provou que para a bacia hidrográfica produzir água, temos de preservar as nascentes. Antes, porém, temos que catequizar os pecuaristas, não é mesmo ?

Um abraço.

Comentário de Antônio Carlos Coutinho em 1 outubro 2015 às 20:03

Notícia muito boa José Luiz!

Espero que esse projeto não fique só  "nas boas intenções"!

Estamos cansados disso!

Os curso d'água não se sustentarão mais sem uma ajuda do homem!

Abraços.

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 1 outubro 2015 às 15:12

PRESERVAÇÃO DE NASCENTES

Governo investirá nelas, segundo a Revista DAE (de SP). Veja:

http://www.revistadae.com.br/site/noticia/11458-

Colabore.

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 29 setembro 2015 às 17:27

Para alicerçar o meu raciocínio, lembro que certo dia, lá na Rural (UFRRJ), fui procurado em minha sala por um colega Engenheiro Agrônomo que dirigia o Centro de Aquicultura da Universidade, para me perguntar como se media a vazão de um rio.

© 2020   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço