Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Engo. Agro. JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO

jviana@openlink.com.br

.

Convencionou-se chamar de drenagem sustentável, aquela que privilegia a infiltração da água da chuva no solo, em detrimento da construção de galerias convencionais de drenagem. O carro-chefe desse sistema revolucionário é a BACIA: de detenção ou “piscinão” (rasa, seca na estiagem, só funciona durante as enxurradas), de retenção (projetada em terrenos com infiltração entre 10^-5 e 10^-6 cm/s, mantém uma lâmina permanente de água) e de infiltração. A grande vantagem dos “piscinões” é que podem ser instalados em áreas públicas, como praças, parques, quadras de esporte, que tenham outra destinação após as precipitações, com custos da ordem de R$ 40 a 80/m3, que representam de 1/3 a 1/10 do custo das galerias de drenagem (canalização).

.

Uma das questões mais polêmicas do novo Código Florestal que está sendo discutido no Congresso Nacional, é a faixa de vegetação mínima de 60 metros (30m de cada lado) ao longo dos córregos. O que se vê nas cidades ? Nenhuma árvore e as casas, praticamente, dentro dos córregos. Outro equívoco da nossa engenharia é a canalização ou retificação dos canais. Isso aumenta a declividade, a velocidade da água e a erosão que, somada ao lixo jogado pela população, agrava os efeitos das enchentes. O que fazem os europeus e norte-americanos ? Estão trazendo de volta as curvas que o rio tinha antes de ser retificado. Veja abaixo.

.

.

É claro que as bacias, por si só, não resolvem os problemas das enchentes urbanas. Outras medidas são necessárias. Entre elas, destacamos os PISOS PERMEÁVEIS e a CAPTAÇÃO NO TELHADO da água da chuva. No 1o. caso, as águas que se infiltram no solo vão abastecer os lençóis freáticos e não vão ter às bacias. No caso da captação nos telhados, essa água poderá substituir a água potável que normalmente se joga nos vasos sanitários, contribuindo para uma redução em 2/3 na nossa conta de água.

.

CALCULO DO VOLUME DA BACIA

Normalmente, são necessários da ordem de 2% (dois por cento) da área da bacia para amortecer a inundação de uma área urbanizada (**). Essa área pode ser reservada da parcela de área pública do município.

.

Na bibliografia técnica da rede, encontram-se parâmetros genéricos, como estes, para o projeto de bacias:

a)     Detenção: T=10 anos e t=1 hora (intensidade da chuva e sua duração)

b)     Retenção: T=25 anos e t=24 horas.

Métodos de cálculo: Racional, Hidrógrafa ou TR-55.

.

(*) www.publish.csiro.au/samples/urbanstorm.pdf

.

(**)http://4ccr.pgr.mpf.gov.br/institucional/grupos-de-trabalho/residuo...

.

Veja dezenas de fotos de dispositivos de drenagem sustentável, aqui:

www.arq.ufsc.br/arq5661/trabalhos_2007-1/drenagem/index.htm

 

 

 

Exibições: 98

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

© 2019   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço