Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

ENGS. AGRÔNOMOS e CAMPOS DE GOLF - Esporte Olímpico

Depois dos artigos anteriores, sobre Gramados Esportivos, neste artigo, abordaremos, os Gramados de Campos de Golf e os Engs Agrônomos.

Isto porque tenho sido muito solicitado sobre este tema, até porque estamos em ano de Olimpíada no Brasil, com torneio no Campo de Golf Olímpico do Rio, localizado na Barra da Tijuca.

O objetivo desta matéria não é ensinar a jogar Golf e nem como o jogo se dá. O que busco é mostrar ao leitor, como deve ser concebido um projeto de Golf, o porquê de elaborá-lo e a importância do Eng Agrônomo nesse processo de elaboração do projeto, construção e manutenção do Campo de Golf..

Porque um investidor “perderá área” para construir o equipamento Campo de Golf no seu projeto/empreendimento, por exemplo?

É importante iniciar o conceito do projeto do campo de Golf, com uma anamnese detalhada com o Cliente/Empreendedor, pois há campos de Golf elaborados/concebidos para Clubes, para Condomínios, para Resorts, para Empreendimentos turístico/imobiliários, enfim, uma grande diversidade de tipos diferentes de gramados de Golf, com finalidades bem distintas, e com custos de projeto, construção e manutenção, igualmente distintos.

Assim, essa anamnese é fundamental para que o campo de Golf tenha de um BOM projeto. A elaboração de um bom projeto depende dessa anamnese e da perfeita interface Cliente/Empreendedor e Projetista.

Um campo de golfe, basicamente, é uma mistura de conceitos, emoções, percepções e idéias; é uma oportunidade rara, para o Projetista de criar e perpetuar um legado duradouro na paisagem.  É primordial, também,  compreender como adaptar o projeto do campo de Golf, respeitando os recursos naturais existentes no terreno, para dar a máxima valorização do ambiente natural. Isso poupa recursos financeiros e ambientais. Quanto menor a movimentação de terra, mais barata fica a execução, para exemplificar...

Acredito que um aspecto cada vez mais importante de nossa responsabilidade dos Engs Agrônomos projetistas  é desenvolver a paisagem e, ao mesmo tempo,  respeitar a ecologia, num projeto de campo de Golf.

Trabalhar em conjunto, os Engs Agrônomos com consultores ambientais e, no projeto e no campo, integrando idéias e especificações, no processo de concepção e construção para proteger e desenvolver a paisagem e a ecologia para um futuro sustentável, é imprescindível para um projeto bem sucedido.

Ainda, no projeto devemos ter em mente que o campo de Golf a ser construído (Olímpico, de Condomínio, de Clube, de Resort...) deve ter um percurso  que deve desafiar jogadores de todas as habilidades, aumentando o prazer da sua experiência de golf e elevando o seu nível de interesse no jogo.

O Campo deve, portanto, acomodar as habilidades e ferramentas de jogo de amadores e profissionais, respeitando a viabilidade econômica de construção e da futura manutenção. O campo, e seu percurso, tem de acomodar jogadores amadores (alto handcap) e profissionais. Todos tem de se sentir desafiados e interessados a completar o percurso. E tudo isso dentro de um orçamento de construção e manutenção ajustado aos interesses do Cli-ente/Empreendedor.

Compreendidos os critérios de projeto de Campo de Golf, acima descritos, voltemos ao prólogo desta matéria: Porquê construir um campo de Golf?

À primeira vista inserir um Campo de Golf num empreendimento pode causar espécie ao Investidor. Pode até mesmo parecer um contra senso usar o equipamento Golf num Empreendimento turístico/imobiliário, porque “perde-se” parte da área que poderia ser diretamente vendável (lotes, por exemplo) e têm-se os custos de construção e manutenção do Campo.

Porém, há uma série de vantagens, algumas delas citadas abaixo, que tem levado à construção do equipamento Campo de Golf em projetos de Empreendimentos de sucesso mundo afora e no Brasil também.

Agrega valor ao empreendimento (Hotel, Resort, Condomínio ou loteamento) – Cito, como exemplos no Brasil, o Barra Golden Green, a Quinta da Baronesa, ou ainda, Aquiraz Riviera, Riserva Alhandra, Terra Vista, etc. – maior valor cobrado por unidade negociada, se comparado a empreendimentos vizinhos;

MEIO AMBIENTE - Manutenção (ou criação) de áreas verdes no empreendimento – o que pode facilitar aprovação nos órgãos ambientais e, mais uma vez agrega valor (o verde vende, pois é qualidade de vida); Está comprovado: a construção de campos de golfe traz inúmeros benefícios para a sociedade e o meio ambiente. Esse é o resultado de uma pesquisa apoiada pela United States Golf Association (USGA), envolvendo mais de 30 universidades Norte Americanas, para avaliar a interação entre o golfe e o meio ambiente. Entre as conclusões dos pesquisadores, respaldados por dados reais obtidos por universidades idôneas, constatou-se que roughs e árvores proporcionam bom habitat para espécies silvestres, pois mais de 70% da área de um campo de golfe são constituídos de roughs e espaços não destinados a jogo, locais ideais para muitas espécies silvestres.

Há inclusive, nos Estados Unidos, um programa desenvolvido pela USGA e Audubon Society of New York, para adaptação dos animais, onde inúmeras espécies, de castores a renas, roedores e pássaros fazem dos campos de golfe seus lares.

Nos Estados Unidos, campos de golfe são utilizados na recuperação de áreas danificadas por mineração e      aterros de lixo, pois a grama produz matéria orgânica que enriquece o solo. Campos belíssimos foram construídos onde anteriormente haviam minas abandonada e depósitos de lixo, embelezando a cidade e valorizando a comunidade.

Os gramados também exercem funções fundamentais de equilíbrio no meio ambiente, entre os quais a proteção contra a erosão, durante chuvas torrenciais, retendo 20 vezes mais de solo do que áreas tradicionais de cultivo.

Também absorvem e purificam a água da chuva, e, por essa razão, campos de golfe tem sido irrigados com água poluída para a reciclagem de água para comunidades.

 A grama atenua o calor e melhora o ar que respiramos. Áreas de grama natural são até duas vezes mais frias do que áreas com grama sintética, e há espécies que absorvem o monóxido de carbono, sendo uma solução ideal para as grandes metrópoles. Outros benefícios são a redução da poluição sonora e do brilho da luz solar, o que não acontece com o asfalto e o concreto.

Geração de receitas extras –  green fee, locação de equipamentos, eleva recolhimento de impostos (IPTU/ITR , ISS, etc);

Saúde O golfe auxilia no combate ao stress e melhora a saúde, com aceleramento comprovado na recuperação de doentes. As caminhadas reduzem o colesterol; os gramados densos e bem tratados reduzem a formação de ervas daninhas e pólen, que agravam a condição de pessoas alérgicas, além de inibir o surgimento de pragas como mosquitos, piolhos e carrapatos.

Criação de empregos especializados (diretos e indiretos); Centenas de empregos, diretos e indiretos, são criados na elaboração do projeto, construção, manutenção e operação de campos de golf;

Toda a Região é valorizada – o Golfer (golfista) é consumidor de alto poder aquisitivo e a região onde está inserida o Campo de Golf passa a ter a convivência direta com este consumidor ;

Lógico que a viabilidade de um Campo de Golf num empreendimento, depende muito do tipo de produto, do cliente que o empreendimento busca e do Projeto do Campo ser concebido, elaborado, executado e mantido dentro de uma ótica que possa satisfazer o Empreendedor/Investidor e também os futuros clientes do empreendimento.

Houve casos, principalmente antes da crise de 2008,  onde o mercado consumidor requeria, uma “assinatura” internacional de projeto de Golf, um “brand”. Isto foi necessário principalmente quando a formatação do produto era para um turismo de segunda residência, objetivando captar clientes da Europa e USA. Na maioria dos casos, porém, o mais importante é equilibrar os custos do Campo de Golf no Empreendimento, de forma que agregue o maior valor possível, aumentando o retorno do investidor, assim como a satisfação do consumidor do produto no Empreendimento.

O “status” do empreendimento com Campo de Golf é, sem dúvida uma mais valia na unidade negociada. Assim, o Campo de Golf deve ser “a vela do navio”, e não uma pesada âncora, com elevados custos de construção e manutenção.

Eng. Agrônomo, com experiência na área, pode elaborar o projeto de forma racional em termos da compatibilização custos de construção/manutenção, aumentando o retorno na forma de melhores vendas para o Empreendedor, e ainda, maior satisfação para o consumidor do produto do empreendimento, seja este um lote/terreno, uma unidade habitacional (casa/apartamento) ou a diária de hospedagem em rede hoteleira ou de Resort. Projetos sustentáveis, em termos ambientais e econômicos, são o fóco do Agrônomo que atua em Consultoria e projetos de Golf.

 

Finalizando, deixo abaixo o depoimento de André Jordan, à ADIT. Nada mais, nada menos que um dos maiores ícones em Comunidades Planejadas, Condomínios e Empreendimentos turístico/imobiliários:

 

 

Exibições: 403

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de José Leonel Rocha Lima em 16 fevereiro 2016 às 21:23

Artigo show!!!

© 2017   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo