Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Por Coriolano Xavier, membro do Conselho Científico para Agricultura Sustentável (CCAS) e Professor do Núcleo de Estudos do Agronegócio da ESPM – Escola Superior de Propaganda e Marketing.

 

Muito se diz que a busca e construção da sustentabilidade está associada a conceitos novos, que sempre nascem de ações e atitudes inovadoras. Isso não é 100% verdade, mas tem uma grande dose de razão. Como no caso das vending machines (máquinas automáticas de venda) de hortifrutis instaladas na cidade de Tours, na França.

É um sistema de venda automática, que funciona paralelo às próprias instalações da produção agrícola, realizada em estufas. Lado a lado convive a produção e a venda, em um esquema de auto serviço com atendimento 24 horas, no qual o cliente faz toda a operação e, por meio de três ações interativas com a máquina, recebe o seu produto já embalado.

A máquina oferece frutas, verduras, ervas aromáticas e legumes frescos, que podem ser adquiridos a qualquer momento do dia ou da noite, bastando passar pelo local. O equipamento possui uma série de gavetas transparentes (feitas em acrílico e aço), que ajudam a conservar os produtos e também permitem aos consumidores visualizar e analisar a sua qualidade.

A vending machine dos franceses foi fabricada na Alemanha e está em operação desde 2011, com vendas crescentes desde então. Segundo seus operadores, o preço dos produtos é competitivo para a realidade local e com cinco euros é possível adquirir – por exemplo -- um combinado de dois quilos de tomate, alface, rabanetes e pepinos. Tudo à vista, pois a máquina não aceita cartões, embora forneça troco aos clientes.

Para atrair as pessoas, o serviço foi posicionado como um fator agregador de conveniência, pelo seu horário de funcionamento e por não haver praticamente perda de tempo na compra. Também foi trabalhado como fator de segurança alimentar (alimentos frescos e saudáveis), sem contar a própria atratividade da máquina automatizada de vendas, em si, como um fetiche tecnológico.

Não faltou nem mesmo um eco-posicionamento da vending machine hortifruti, explorando a sua contribuição para diminuir as emissões de carbono, já que o sistema dispensa estruturas logísticas e transporte dos produtos, reduzindo assim o seu impacto ambiental. Um prato cheio para os novos segmentos de consumidores que subordinam suas decisões de compra a valores de vida.

Claro que a vending machine de Tours não é – e nem será -- solução abrangente para as equações de sustentabilidade do agronegócio.  Mas pode ter o seu papel em realidades específicas e dentro de um conceito de “local farming” (valorização da produção local), que vem crescendo no gosto popular.

Mas não é essa singularidade da vending machine o que importa, do ponto de vista do pensamento estratégico para dar novas dimensões sustentáveis ao agro. Importa, aqui, o exemplo de que para se entender e tentar resolver as equações da sustentabilidade é preciso, na maioria das vezes, pensar fora da caixa. Inovação e marketing criando novas realidades sustentáveis.

 

Sobre o CCAS

O Conselho Científico para Agricultura Sustentável - CCAS é uma organização da Sociedade Civil, criada em 15 de abril de 2011, com domicilio, sede e foro no município de São Paulo-SP, com o objetivo precípuo de discutir temas relacionados a sustentabilidade da agricultura e se posicionar, de maneira clara, sobre o assunto.

O CCAS é uma entidade privada, de natureza associativa, sem fins econômicos, pautando suas ações na imparcialidade, ética e transparência, sempre valorizando o conhecimento científico.

Os associados do CCAS são profissionais de diferentes formações e áreas de atuação, tanto na área pública quanto privada, que comungam o objetivo comum de pugnar pela sustentabilidade da agricultura brasileira. São profissionais que se destacam por suas atividades técnico-científicas e que se dispõe a apresentar fatos concretos, lastreados em verdades científicas, para comprovar a sustentabilidade das atividades agrícolas.

A agricultura, apesar da sua importância fundamental para o país e para cada cidadão, tem sua reputação e imagem em construção, alternando percepções positivas e negativas, não condizentes com a realidade. É preciso que professores, pesquisadores e especialistas no tema apresentem e discutam suas teses, estudos e opiniões, para melhor informação da sociedade. É importante que todo o conhecimento acumulado nas Universidades e Instituições de Pesquisa seja colocado a disposição da população, para que a realidade da agricultura, em especial seu caráter de sustentabilidade, transpareça.

Acompanhe o CCAS no Facebook: http://www.facebook.com/agriculturasustentavel

Exibições: 112

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

© 2020   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço