Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

(06 de junho de 2016)

Uma votação extraordinária acabou de acontecer na Europa, que recusou-se a conceder à Monsanto a renovação da licença para venda de seu produto principal e pedra angular de seu império: o glifosato, herbicida ligado ao câncer.

A Monsanto achou que renovar a licença do glifosato seria moleza. Mas agora, depois que dois milhões de pessoas assinaram a maior petição global já feita contra o glifosato e de uma pressão pública gigante, o futuro do modelo de agronegócios da Monsanto está sendo questionado como nunca antes.

Segue link na integra:

https://secure.avaaz.org/po/nothing_we_cant_do/?byrvzcb&v=77463...

Exibições: 162

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de Manoel José Sant´Anna em 23 junho 2016 às 18:11

Boa tarde debatedores, apoio a afirmação do Fabio, e afirmo que dos defensivos utilizados na agricultura, o glifosato, hoje muito sintetizado no oriente, onde creio ser uma produção maior que a da Monsanto, Empresa Americana. Agora como todas as substâncias químicas de ampla utilização no ambiente, tem que ser usada com todos os cuidados, além da responsabilidade de um Eng. Agr. (Receituário). E não posso aceitar o que hoje acontece pela manipulação da mídia dos incautos, fazendo sensação e provocando pseudos movimentos moralistas, quando na verdade defende o mercado de interesses de um continente.

Comentário de Fabio Pernassi Torres em 23 junho 2016 às 15:11

Não conheço a veracidade da matéria mas só pelo título já se percebe que é bastante tendenciosa. Como uma rede de profissionais entendo que devemos ter mais cuidado com todas as publicações...

Como agrônomo e sitiante só posso manifestar que o Glifosato é um produto fantástico para o fim a que se destina e que como todos Agrotóxicos deve vir acompanhado de todos os cuidados na aplicação. E até onde sei a patente da Monsanto já caiu a muito tempo...

© 2020   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço