Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

As Apostas da Rio+20

A pouco mais de dois meses da Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, a Rio +20, o Rio de Janeiro se prepara para receber chefes de estado de (quase) todo o planeta e debater os avanços (poucos) e desafios (enormes) ambientais sobre os ecossistemas (cada vez mais fragilizados).


As mudanças nesses 20 anos

Se descortina um cenário diferente em comparação daquele encontrado na  Rio 92.

No nível nacional, o país se apresenta como uma democracia, diferente daquela época quando recém saía da ditadura e experimentara, em 1990, a primeira eleição direta em 26 anos. Atualmente com o país ocupando um lugar de destaque na economia e política globais, a economia aquecida, inflação controlada e uma melhor distribuição de renda, os desafios se renovam.


Naquela época aquecimento global era quase que somente uma tese acadêmica, recheada de dúvidas e incertezas. As redes sociais nem sonhavam com o alcance e abrangência atuais.


A Conferência e os eventos paralelos

No contexto da Conferência Rio +20 os maiores desafios parecem ser o gerenciamento de uma complexa engenharia de acordos ambientais internacionais que dialogam com governos e uma miríade de organizações ambientais internacionais.


A diretora do Projeto Global de Governança Ambiental, Maria Ivanova, destaca a falta de lógica e a dificuldade em compatibilizar tantas instâncias em nível global: 

- Tome por exemplo a questão da água. Existem cerca de 20 a 25 diferentes organizações internacionais que trabalham com o assunto e não há coordenação de atividades, analisa. 


O reflexo se traduz em uma série de eventos paralelos e uma pauta complexa para acompanhamento individual ou mesmo institucional.

Só num dos sites oficiais da Rio +20 há 3 eventos paralelo integrando a Conferência (de 13 a 22 de junho):

  1. A 3ª Reunião do Comitê Preparatório da UNCSD (13 a15 de junho de 2012),
  2. Quatro Dias de Diálogo sobre o Desenvolvimento Sustentável (16 a19 de junho de 2012) e
  3. Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, Rio+20 (20 a22 de junho de 2012)

Fórum Global: Aterro do Flamengo na ECO 92


Além da Conferência oficial haverá também a Cúpula dos Povos,  evento das sociedades civis que ocorrerá no Aterro do Flamengo de 15 a 23 de junho.


As apostas (ocultas) da Conferência

Toma corpo nos gabinetes das Nações Unidas a proposta de transformar o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA / UNEP) num organismo internacional com maior autonomia e recursos no gerenciamento da governança ambiental global sem perder a vinculação com o organismo internacional. 


Dentre tantas pautas (e acusações de ausências de debate), a aposta para a Rio +20 é sair da Conferência com as bases da criação dessa nova organização negociada.  


Rede Agronomia e Participação

Diante da extensão e complexidade da pauta, do interesse político, científico e econômico, podemos compartilhar e articular em rede a participação dos engenheiros agrônomos nos eventos da Conferência.


Podemos abrir um Fórum de debates (Rio +20 na Rede) para saber e compartilhar os interesses dos participantes.  Assim quem estiver participando pode postar uma foto ou relato aqui na Rede e compartilhar com os demais colegas.


Quem estiver planejando participar, dê aqui o seu informe.

Exibições: 397

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de Gilberto Fugimoto em 3 abril 2012 às 17:31

Eficiência Ecológica

Analisando à luz da economia ambiental, conclui-se que em uma economia como a americana, apenas 6% de todo o fluxo de materiais que consome resulta em produtos. Em termos de bens duráveis, esta relação cai para 1%. Estima-se que científica e tecnologicamente se poderia reduzir imensamente o uso de recursos naturais e a geração de resíduos.

Por que não fazemos?

Comentário de Leonardo d'Auria Monzani em 3 abril 2012 às 10:17

RIO+20 anos: de corrupção, de mentiras, de descaso, de enriquecimento ilícito, de poluição das águas e dos solos, de assoreamento dos rios, de desmatamento, de erosão genética, de perda e biodiversidade, de mortes de pessoas comprometias com o meio ambiente, de aumento de geração de lixo, de aumento de consumo de energia. Mais 20 anos até piores que o passado. Nada, nada foi feito, e nem será. Não existem pessoas que se formam pensando em resolver esses problemas e sim em enriquecerem do modo que for possível para viverem suas vidas com conforto e prazer. Onde está a educação, na internet? Na televisão? Nas escolas? Na família? Muito tempo passou, muito rápido, e agora temos de fazer botox, plásticas e maquiagem no Rio de Janeiro, para recebermos sobre a sujeira do tapete, aqueles que irão discutir o que foi feito nesses 20 anos.

Corrupção, isso foi feito, com dinheiro de quem trabalha pelo país e por um mundo um pouco melhor.

Poucos sabem o significado da palavra Agronomia, infelizmente, pois se soubessem seriam os maiores representantes e defensores do MEIO AMBIENTE E DE TODOS OS RECURSOS NATURAIS.

Voltemos ao trabalho e um bom dia todos

© 2020   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço