Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

O Globo Rural que acabei de assistir, trás uma reportagem sobre o armazenamento de água da chuva (para consumo) no semiárido brasileiro, alertando que o Governo (Ministério da Cidadania) reduziu a aplicação de recursos no antigo Programa chamado "Um milhão de cisternas", e que uma dessas cisternas (da foto acima) custa apenas R$ 3.500, 00. (1)

Um estudo realizado na Austrália sugere que a água da chuva recolhida em recipientes é potável e não agride a saúde dos seres humanos, segundo informações divulgadas pela agência EFE nesta quarta-feira. Um comunicado da Universidade de Monash, em Melbourne, pesquisou 300 casas na cidade de Adelaide cujos proprietários utilizam a chuva como principal fonte de consumo de água. (2)

Essa polêmica sobre a potabilidade da água da chuva é recorrente na Engenharia, e eu sempre fiquei do lado dos que dizem que sim. Em 2009 eu apresentei numa reunião de condomínio do edifício onde moro, no Rio de Janeiro, um projeto (de minha autoria) de captação da água da chuva a partir do terraço, e que não foi aprovado por falta de votos (pelos vizinhos, alguns Engenheiros e até General aposentado) não acreditarem que a água da chuva é potável. Um resumo deste projeto consta da página Rede Agronomia, de 31/10/2011, no endereço abaixo:

http://agronomos.ning.com/profiles/blogs/capta-o-da-gua-de-chuva

Um dos argumentos contra mais fortes, foi o das chuvas ácidas, que ocorrem em locais onde a poluição industrial é farta na expedição pelas chaminés das fábricas de produtos à base de Enxofre, que reage na atmosfera acidificando a água da chuva. O segundo é o cocô dos pombos.

Por outro lado, o meu argumento mais forte à favor (da potabilidade), dá-se quando comparamos o fornecimento de água da chuva com o das estações de tratamento de água (ETAs) convencionais. Ela sai pura da ETE, mas pode contaminar-se ao longo das tubulações (velhas) e ao chegarem ao reservatório domiciliar. A água da chuva, por resultar do processo de evaporação, lá em cima (nas nuvens), é potável e, ocasionalmente, pode se contaminar no trajeto e ao chegar nos telhados com alguma sujeira. Por isso se recomenda que não sejam captadas as águas nos primeiros minutos de chuva.

REF. (1)

https://globoplay.globo.com/v/8346418/

(2)

https://www.terra.com.br/noticias/ciencia/pesquisa/agua-da-chuva-e-...

Exibições: 67

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 13 março 2020 às 8:01

Caro colega Heberth, bom dia.

Eu (e vários pesquisadores, inclusive da Austrália, como disse) somos da opinião que a água da chuva é potável, deixando de captar a dos minutos iniciais, que podem arrastar as impurezas do telhado; não estávamos nos referindo à água mineral. Quer dizer que os nossos irmãos do semi-árido nordestino podem beber 'água suja e contaminada', e nós da cidade não ?

Um abraço.

Comentário de HEBERTH RIBEIRO SANTOS em 12 março 2020 às 23:27

Água da chuva é pobre em sais minerais e, nas cidades, é verdade que chega a ser tóxica e até ácida.

Agora, em se tratar de captação de água das chuvas, com certeza, eu não usaria para beber...

© 2020   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço