Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Produção é o produto mensurável de valor econômico de uma lavoura. Qualquer agente biológico que danifique uma lavoura é chamado de organismo nocivo, seja ele inseto, nematoide, fungo, bactéria ou vírus. Qualquer sintoma visível e mensurável, causado por um organismo nocivo é chamado de "injúria". Qualquer redução na quantidade e/ou qualidade da produção é chamada de "dano", sendo esta definição equivalente a "perda na produção". A redução no retorno financeiro por unidade de área devido a organismos nocivos é chamada "perda" (Zadoks, 1991). (1)

As doenças foliares de final de ciclo causam perdas na produção da soja da ordem de 21%, sendo a redução no peso de 1.000 grãos o principal fator de perda quantitativa.

Escalas diagramáticas são representações ilustradas de uma série de plantas, folhas ou parte de plantas com sintomas em diferentes níveis de severidade (Bergamim Filho & Amorim, 1996). Estas escalas constituem-se atualmente na principal ferramenta de avaliação de severidade para muitas doenças. Através da comparação desta escala com folhas verdadeiras, Cobb pôde obter a medida da intensidade da doença (Horsfall &Cowling, 1978). A Figura abaixo mostra a escala diagramática de uma doença da soja.

Entretanto, a relação entre severidade da doença e dano é incerta. Incerta porque o efeito da severidade da doença, considerado isoladamente, tem efeito diferente caso ocorra precoce ou tardiamente em uma lavoura, ou porque a desfolha não é incluída nas quantificações da severidade (Waggoner & Berger, 1987).

A desfolha exerce um papel importante no resultado da produção agrícola e, teoricamente, pode ser computada como mostra a Figura abaixo.

O conceito de limiar de dano econômico, definido como o nívelde ataque doorganismo nocivo no qual o benefício do controle iguala seu custo (Munford & Norton, 1984), é a pedra fundamental no controle de doenças.

No trabalho "Desenvolvimento de modelos de ponto crítico para quantificação de danos causados pelo complexo de doenças foliares em soja" (3), de Martins, F., Univ. de Passo Fundo, 2007, pág. 92, a intensidade da doença para início do controle (ID) do limite de dano econômico (LDE) da ferrugem, foi calculado pela expressão:

A relação entre o nível de dano econômico (NDE) da cultura; (a sua equação;) e a perda de produção, são mostradas na Figura abaixo.

REF.

(1) Efeito das doenças foliares de final de ciclo na produção e na duração da área foliar sadia da soja, Guerzoni, R., ESALQ/USP, Piracicaba - SP, 2001, pág. 16.

https://teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11136/tde-20181127-161016...

(2) https://www2.cead.ufv.br/serieconhecimento/wp-content/uploads/2018/...

(3) http://tede.upf.br/jspui/bitstream/tede/545/1/2007FernandoGeraldoMa...

 

Exibições: 115

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

© 2020   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço