Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Manifesto da CONFAEAB Contra MCR

A Confederação de Engenheiros Agrônomos do Brasil - CONFAEAB em conjunto com CONFEA e a CCEAGRO divulgaram manifesto contra a nova disposição do Banco Central em dispensar de Assistência Técnica as operações de Crédito Rural. 

A medida dificulta ainda mais a atividade do Engenheiro Agrônomo como profissional responsável técnico na implantação de tecnologias à agricultura na busca de maior eficiência econômica e responsabilidade ambiental. Além disso reduz um dos mais importantes mercados de trabalho profissional. 

Segue o MANIFESTO:

MANIFESTAÇÃO DA CONFAEAB
CONTRA A NOVA EDIÇÃO DO MANUAL DE CRÉDITO RURAL – MCR
DO BANCO CENTRAL DO BRASIL

A Confederação dos Engenheiros Agrônomos do Brasil – CONFAEAB, entidade que congrega
e representa no âmbito nacional e internacional, os Engenheiros Agrônomos e as Entidades
de Engenheiros Agrônomos, filiadas de cada Estado, Território e Distrito Federal, se junta ao
Conselho Federal de Engenharia e Agronomia – CONFEA e à Coordenadoria das Câmaras
Especializadas de Agronomia – CCEAGRO, para se manifestar contra a nova edição do
Manual de Crédito Rural – MCR, do Banco Central do Brasil, instrumento historicamente
fundamental para a conquista do desenvolvimento marcante do AgroBrasil.


Convictos de que o Engenheiro Agrônomo, por sua formação ampla e eclética, que envolve
conhecimentos das ciências exatas, biológicas e humanas, o torna um profissional
imprescindível para o desenvolvimento sustentável do país e, por isso, não pode ser alijado
do processo de contratação de crédito rural. Excluir ou limitar a presença do Responsável
Técnico habilitado na elaboração e execução de projetos, na assistência técnica e extensão
rural, é colocar a segurança alimentar e ambiental do povo brasileiro sob risco eminente.
Ao dispor que “o mutuário pode contratar diretamente ou substituir a empresa ou
profissional, para elaboração do plano ou projeto ou para prestação da orientação
técnica,” o novo MCR induz o produtor rural a navegar sem destino à guisa de redução de
custo. Ledo engano. Será um “barato que sairá muito caro”, porque contratar os serviços
de um bom Engenheiro Agrônomo nunca foi despesa, mas sim investimento. A presença
efetiva do profissional habilitado, assegurada pelo registro da Anotação de Responsabilidade
Técnica – ART é sinônimo de segurança para o produtor rural, para a instituição financeira e
seus acionistas, e para a sociedade brasileira.


A CONFAEAB está convicta de que o Banco Central do Brasil, o Conselho Monetário
Nacional, o Ministério da Agricultura, a Confederação Nacional de Agricultura, Pecuária e
Abastecimento – CNA e a Secretaria Especial de Agricultura Familiar, ouvirão a CONFAEAB,
o Sistema CONFEA/CREA e os argumentos dos especialistas dos Grupos de Trabalho e farão
as adequações necessárias, para que o MCR volte a desempenhar seu relevante papel para
a evolução positiva do Agronegócio, seja ele de base empresarial ou familiar.


Sem um Responsável Técnico habilitado na forma da lei, não se conseguirá desenvolver um
empreendimento no conceito amplo da sustentabilidade, ou seja, economicamente viável,
socialmente justo, ambientalmente responsável e eticamente conduzido, como exigem os
tempos atuais.


                                                                                                            Brasília-DF, 17 de julho de 2018
CONFEDERAÇÃO DOS ENGENHEIROS AGRÔNOMOS DO BRASIL
CONFAEAB

Exibições: 1735

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de Manoel José Sant´Anna em 7 setembro 2018 às 10:53

Bom dia colegas, abaixo descrevo formas de nossa importância :-

MODELO DE GESTÃO AGROPECUÁRIA PARA O SUCESSO

( ISTO NÃO SE CONSEGUE SEM A PARTICIPAÇÃO DO ENGENHEIRO AGRÔNOMO)

 

1º) SEM O ENG. AGRÔNOMO, NÃO SE ACEITA MAIS EXPERIÊNCIAS NOS AGRONEGÓCIOS, COM FOCO NA FORMA ECONÔMICA DO EMPREENDIMENTO.

 

2º) NÃO SE ACEITA MAIS AMADORES PARA A SUA EXECUÇÃO.

 

3º) NÃO SE APLICA EM AGRICULTURA E PECUÁRIA, HOJE SEM PREVER RISCOS E CONSERVAR O MEIO AMBIENTE FUNÇÃO DO PROFISSIONAL.

 

4º) AS AÇÕES DE ANTIGAS FAZENDAS E SÍTIOS, HOJE SÃO DENOMINADAS DE EMPRESAS RURAIS, E ASSIM PROCEDEM.

 

5º) PROFISSIONAIS E COLABORADORES, TEM QUE MANTER UM DESEMPENHO PROGRAMADO, COM USO DE RECURSOS, CAPAZES DE DAR CONFORTO, E RESPONSABILIDADE ENTRE OS ATORES E AS SUAS METAS, ISTO REQUER COMPROMETIMENTO.

 

6º) PARA UMA RAZÃO DE SUSTENTABILIDADE TODOS OS ENVOLVIDOS, DEVEM ESTAR ESTÁVEIS PSICOLOGICAMENTE E COM BOA QUALIDADE DE VIDA, PARA NÃO EXISTIR INTERVENÇÃO NOS SEUS COMPROMISSOS E PROPÓSITOS.

 

7º)TRABALHAR!, E AS METAS ALCANÇAR, ISTO DEVE SER PARA TODOS O QUE SE COMEMORAR, A FELICIDADE É O SUCESSO DO GRUPO E TAMBÉM  DA EMPRESA, ELA FELIZ COM O QUE PRODUZ, É COLABORADORES EMPENHADOS E ORGULHOS DO QUE FAZEM ISTO É O QUE DÁ A SUSTENTABILIDADE.

Catanduva, 20 de outubro de 2.017

                               Eng. Agr. Manoel José Sant´Anna

        Rua São Paulo nº 802 Vila Mota Catanduva/SP

     CPF - 898.880.308-68 - CREA 0060546300 / Fone (17) 3524.1174 /99636.9048

Comentário de Flávio Togni Ferreira em 4 setembro 2018 às 22:17

Sou favorável ao manifesto.

Comentário de Gilvan Pereira em 4 setembro 2018 às 21:17
Andando pra trás
Comentário de José Luiz Bortoli de Azambuja em 3 setembro 2018 às 18:14

Sou favorável à manifestação. Trata-se de um verdadeiro retrocesso a decisão do Banco Central de flexibilizar este importante instrumento para obtenção de altas produtividades e inserção de tecnologia no campo. O profissional Engenheiro Agrônomo é fundamental para garantir os melhores resultados para o agricultor e para a sociedade em geral.

Comentário de Manoel José Sant´Anna em 3 setembro 2018 às 8:22

As concessões de projetos e serviços para a rede de oferta de recursos financeiros!. São oferecidos em acordos com o dinheiro do beneficiado, oferecido em depósitos livres deste participante, que é quem menos precisa!.

Quanto ao uso e manejo de pragas e doenças com pesticidas, isto está sendo usado como auto propaganda de quem pouco entende do ramo!. Só visa sua auto promoção!. Para a alegria de leigos, e incultos!!!.

Comentário de Manoel José Sant´Anna em 3 setembro 2018 às 8:12

Bom dia colegas!. Todos sabem da importância deste profissional!. Não é apenas uma questão de protestar!. Para ser ouvido neste País, temos que ser mais contundentes!. Ou somos legados ao acaso!. Assim o que se promete no campos de gestores, não é realidade na prática!.

Comentário de Flávio Togni Ferreira em 19 julho 2018 às 12:48

Os conselhos têm sido omissos no que diz respeito a atuação de outros profissionais em áreas específicas dos agrônomos. Tenho visto profissionais de diversas áreas realizando vendas de produtos e até mesmo assistência técnica. Por isso, a perda de espaço. 

Comentário de Antonio Sacomam em 19 julho 2018 às 10:49

É fundamental projeto e assistência técnica com ART. Do contrário, o produtor, não interessa o tamanho, fica na mão dos comerciantes de agro-químicos para venderem o que tem no estoque e não o que a lavoura precisa mediante o devido diagnóstico.

Comentário de Jederson Virgínio em 19 julho 2018 às 10:42

Todos os dias uma tentativa de fragmentar mais a Agronomia. Vergonha não termos um conselho que nos defenda com veemência.

Comentário de Gilberto Fugimoto em 19 julho 2018 às 10:24

Legal Rodolfo,

Importante quem for a favor se manifestar!

© 2021   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço