Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

(Os rios são as veias do mundo)

Engo. Agro. JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO

jviana@openlink.com.br

Os rios também são um elo do ciclo hidrológico. Consistem em canais naturais que conduzem a água da chuva, por gravidade, do ponto onde caíram até os lagos e mares.

Podemos sobreviver 4 a 5 semanas sem comer, mas não conseguimos ficar uma única semana sem beber água. A maior parte da água potável vem dos rios. E quando eles não estão poluídos, também podem nos dar os peixes. Além disso, por sua mobilidade e problemas de enchentes e inundações, os rios se constituem num dos principais problemas ambientais. Portanto, dê uma atençãozinha a eles. Estude-os.

A Ciência que estuda os rios é a Hidrologia (Hydor=água+Logos=estudo) e, mais especificamente, a Potamologia. Um rio pode ser estudado sob vários ângulos: forma, densidade de drenagem, perfil, vazão, qualidade da água, biota e vegetação marginal, e outros. A Figura acima mostra, com imagens, alguns destes.

CAUSAS DA DEGRADAÇÃO

As principais causas da degradação ambiental de um rio incluem: a canalização (retificação e revestimento), agricultura (erosão do solo e uso de agrotóxicos), desenvolvimento urbano (impermeabilização, lixo, barragens e poluição) e run-off associado e o desmatamento. Alguns agravantes daí derivados são: erosão excessiva, assoreamentos, alta carga de nutrientes (N-P-K) e contaminação bacteriana.

A qualidade da água em um dado ponto do rio, p.ex., não é afetada apenas pela poluição pontual e difusa mas, também, por fatores na bacia hidrográfica à montante (que vem antes), incluindo práticas agrícolas (atuais e anteriores), geomorfologia do curso e estrutura da mata ciliar (aquela vegetação das margens, assim chamada porque lembra os cílios do nosso olho). Por isso a restauração de um rio consiste no “restabelecimento das funções aquáticas anteriores ao(s) distúrbio(s) e as características físicas, químicas e biológicas relacionadas”.

VANTAGENS DOS ESTUDOS

As águas de um rio servem à: produção de energia elétrica, agricultura, indústria, consumo (humano e animal), transporte de pessoas e mercadorias, pesca, turismo e lazer. Qualquer projeto de UHE, ponte, irrigação, drenagem e estação de tratamento d´água, entre outros, precisa de estudos realizados no rio. Atente para este fato curioso, que prova a importância prática desses estudos. Quando eu ainda lecionava Hidrologia na UFRRJ, levei meus alunos de Engenharia Florestal para visitar o laboratório de Geoprocessamento da Companhia Brasileira de Pesquisa em Recursos Minerais (CPRM), aqui no Rio de Janeiro.

Na tela de um dos computadores, me chamou a atenção a imagem de uma parte da floresta amazônica que destacava o padrão de drenagem. Ao centro, num círculo, podia-se observar que havia bem mais rios que no entorno, ou seja, a densidade de drenagem era maior. Aproveitei para chamar a atenção dos alunos para esse fato. O operador do sistema, que até então só nos observava, completou dizendo que, por causa desse fenômeno, os técnicos foram ao local e descobriram uma grande jazida de ferro. Só por causa disso. A explicação técnica: quando os terrenos são duros (como nesse caso, em que as rochas eram de ferro, ou seja, hematita) as águas têm dificuldade de penetrar, e formam rios na superfície, daí sua maior concentração naquela área circular. Interessante, não ?

Exibições: 169

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

© 2019   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço