Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Engo. Agro. JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO

jviana@openlink.com.br      

 

Aqui estou eu novamente, acionando a mesma tecla das enchentes nas cidades. Agora, com três motivações extras:

1)     A leitura do artigo “Escolhidos terrenos para piscinões contra enchentes” (O Globo, RIO, 25/05/11, pág.16);

2)     A conclusão de um curso presencial sobre Manejo de Águas Pluviais, que fiz com o Eng. Plínio Tomaz (*) dias 23 e 24/05/11, na Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES-RIO (investimento de R$610); e

3)     Uma frase lida recentemente na rede que dizia: “Conhecimento é acumular dados; sabedoria é simplifica-los”.

.

PISCINÃO

Como sabem, moro no Rio. Aqui na cidade maravilhosa, a grande maioria das pessoas, quando ouvem a palavra piscinão, lembram da piscina construída anos atrás na praia de Ramos, no subúrbio da Leopoldina. Em Sampa, é diferente. Lá há vários construídos, todos para reter as enxurradas e evitar as enchentes urbanas. O do Pacaembu foi um dos primeiros e o mais famoso.

.

DIMENSIONAMENTO COM HP 12C

À página 130 do livro “Cálculos Hidrológicos e Hidráulicos para Obras Municipais” (Plínio Tomaz, Navegar Ed., SP, 592 p., 2011), a Tabela 5.18 apresenta o Dimensionamento preliminar do piscinão do Pacaembu, usando o método de Aron e Kibler (1990) para T=25 anos e C=0,7.

.

O que eu fiz foi elaborar uma planilha Excel reproduzindo a tabela do livro (vide Figura abaixo) e, ao lado, uma programação com a calculadora financeira HP 12C. No 1o. caso, reduzi a tabela de 9 colunas para apenas 4 e acrescentei uma curva, que não tinha no livro. No caso da calculadora, entra-se com o dado da 1a. coluna e obtêm-se os outros 3, de cada linha, para montar a tabela. A diferença nos dados de vazão, fica por conta das unidades de medida; enquanto na tabela o valor está em metros cúbicos por segundo, na calculadora, ele está em litros por segundo. O volume do piscinão será o maior valor lido na 4a. coluna (que corresponde ao pico da curva).

.

.

Como podemos constatar pelo estudo da planilha, pelo menos 3 dados são fundamentais no cálculo de um piscinão:

a)     a Equação das Chuvas Intensas do tipo I-D-F (intensidade-duração-frequência) do local, que pode ser obtida no software da Universidade Federal de Viçosa-MG intitulado Pluvio 2.1 (www.ufv.br/dea/gprh/softwares.htm);

b)     a área da bacia hidrográfica urbana que será drenada para acumular a chuva de projeto (medida em planta); e

c)      a vazão máxima liberada pela estrutura (o piscinão), para não transbordar o valão ou canal que receberá a água acumulada da tormenta.

.

(*) www.pliniotomaz.com.br

Exibições: 698

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

© 2019   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço