Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Este tópico e esse assunto foi inspirado no (pequeno) artigo "Esses Holandeses Sabem Tudo - quais povos se destacam no equilíbrio entre trabalho e lazer", revista Época Negócios, Junho de 2018, pág. 101.

Ele mostra uma pesquisa da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico - OCDE, entidade que inclui todos os países desenvolvidos. O estudo avaliou os melhores e os piores cenários de equilíbrio lazer/trabalho em 38 países. A Holanda lidera o ranking com 9,3 pontos (na escala de zero a dez), seguida pela Dinamarca. A Turquia fica em último lugar e o México em penúltimo.

O Brasil está mal, em 26o. lugar (da lista de 38) -- OS BRASILEIROS TRABALHAM MUITO, MAS PRODUZEM POUCO (o grifo é meu), segundo o artigo.

O segredo do bem-estar nos países no topo da lista não é o divertimento sem limites dos cidadãos, mas sim a sua alta produtividade: (de novo, o grifo é meu) os holandeses fazem muito nas horas em que trabalham. O estudo alerta para as consequências ruins das jornadas longas sobre a saúde pública e a estrutura familiar.

Agora que já traduzi pra vocês a minha leitura, reconheço que na nossa profissão, pelo estrondoso sucesso do agronegócio, fica difícil fazer uma auto análise da nossa atividade produtiva individual; mesmo porque, talvez pelo isolamento imposto pela distância das cidades (para quem não trabalha nelas), não tem quem nos avalie o desempenho.

Entretanto, diante de pesquisas como essa da OCDE, vale a pela parar um pouco para pensar se estamos de fato satisfeitos com o nosso desempenho individual no trabalho. Afinal, o que torna a atividade agronômica mais produtiva ?

Nesses 9 anos que venho escrevendo na Rede Agronomia (*), já deu para observar que os colegas se furtam a comentar os assuntos técnicos, pois já criei vários e não tiveram retorno.

Mas, voltando à vaca fria, e repondo a mão na consciência, você se sente orgulhoso do que produziu após um dia de trabalho ? Na sua opinião, o que poderíamos (ou deveríamos) fazer para aumentar a nossa produtividade no trabalho ?

 

(*) Meu primeiro post, datado de 24/11/2009, intitulado "Contaminação por Agrotóxicos", teve 17.773 exibições, mas apenas 5 (cinco) colegas, além do Gilberto Fugimoto, deram palpite. Antes dele, apenas dez colegas haviam se manifestado, desde a criação do portal, dia 30/11/1999 com o Leonel.

Exibições: 47

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 27 junho 2018 às 10:26

Gilberto,

Grato, mais uma vez, pelo apoio (que você sempre deu) à minha iniciativa. Você deve observar que a maioria dos meus posts resultam de leituras que faço, em geral em O Globo e Época Negócios, dos quais sou assinante. Isso se chama marketing de guerrilha. Estou brincando...

Dando uma voltinha no mundo encantado do Google, ontem, li sobre esse método Pomodoro e também achei interessante. Venho observando que as PAUSAS NO TRABALHO são mesmo uma ferramenta importante para o aumento da produtividade, além daquelas (pausas) sugeridas pela GINÁSTICA LABORAL, para quem fica muitas horas no computador e/ou em posições estáticas.

Além dessa tática (PAUSAS), tenho comigo que a produtividade está muito ligada à COMPETÊNCIA (profissional), que passa pela ATUALIZAÇÃO (constante) e uso da TECNOLOGIA (como, p.ex., o Excel e o software R). O formulário técnico sempre à mão também é a ferramenta imprescindível a qualquer profissional e, como o Engenheiro Agrônomo só vive viajando para o interior do país, a internet é a solução. Esta é uma das razões porque o meu (formulário) está sempre nas nuvens (nos artigos que tenho publicado aqui) e em revistas como a Irrigazine.

Um abraço.

Comentário de Gilberto Fugimoto em 27 junho 2018 às 9:59

José Luiz, 

Ótima contribuição. Eu tenho me deparado com o gerenciamento do meu tempo para aumentar minha produtividade. O que vi de mais atual foi o Método Pomodoro. Do que eu li, consiste em:

1) Faça uma lista com as tarefas que estão pendentes

2) Programe um cronômetro para 25 minutos (vale usar o despertador do celular, não precisa ser esse timer em formato de tomate)

3) Escolha uma das tarefas e trabalhe nela sem interrupções (por exemplo, não vale entrar no Facebook e nem no WhatsApp)

4) Quando o despertador tocar, faça uma pausa de 5 minutos (a sugestão mais indicada é que você se levante e faça algum exercício, como caminhada ou alongamento, mas vale qualquer outra coisa que ajude a relaxar).

5) Risque a tarefa da sua lista depois que terminá-la

6) Retome o trabalho depois da pausa por mais um “pomodoro” (25 minutos)

7) A cada quatro “pomodoros”, faça uma pausa mais longa: 30 minutos até voltar ao trabalho

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 26 junho 2018 às 10:45

Bom dia, Milka.

Obrigado por participar do 'debate' (que se inicia com você) dando a sua opinião. Eu concordo plenamente que o planejamento das atividades diárias e o esforço para se cumprir a agenda programada, é um passo importante para a (maior) produtividade no trabalho.

Existem dezenas de 'fórmulas' e, o importante, é praticar (pelo menos) uma delas, com o objetivo de produzir mais e melhor.

À propósito, O Globo de hoje, 26.06.2018, no Segundo Caderno, trás uma reportagem de página inteira com (esse) tema: "Daniel Pink, o guru do trabalho". Trata-se de um americano que virou popstar ensinando produtividade, influência e motivação. Era ele, inclusive, que escrevia os discursos para o ex-vice-presidente americano Al Gore.

Entre as suas dicas (para melhorar a produtividade no trabalho) estão:

  1. a) um cochilo (de 10 a 20 min) durante a jornada de trabalho, de preferência à tarde;
  2. b) sair para dar um pequeno passeio no meio do expediente;
  3. c) executar as tarefas mais importantes na parte da manhã (e não à tarde); e
  4. d) as pessoas são criativas e trabalham melhor quando sentem que aquilo que fazem tem um propósito e, com sorte, algum impacto social.

Eu concordo em gênero, número e grau com o tal Daniel Pink. Quando eu lecionava na UFRRJ e por estar no regime de tempo integral, tinha um colchonete sob a minha mesa, e tirava uma soneca curta após o almoço, na minha sala mesmo. O tal passeio do item 'b' era a minha ida ao restaurante.

Um abraço.

Comentário de MILKA LACERDA em 26 junho 2018 às 9:31

Bom dia, caro José

Acredito que uma tarefa que tornaria nosso dia mais produtivo seria fazer o planejamento de nossas atividades e tentar segui-lo, pois comumente fazemos o que tem urgência e  não seguimos cronograma.

© 2018   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo