Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Ao fazer a minha visita diária de praxe no Facebook, deparei-me com essa mensagem do colega Jorge Santos, Geógrafo e Professor virtual de Geotecnologias, e não resisti ao impulso de compartilhá-la aqui na Rede Agronomia.

Exibições: 265

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 18 setembro 2018 às 11:50

Jederson,

As razões para a falta de tesão relacionadas por você, de fato existem e são muito fortes. Eu só discordo é de você imputar essa 'acomodação' à juventude. Nunca antes na humanidade, os jovens tiveram tantas ferramentas e apoio para inovar e empreender.

Releia o que escreveu o colega Manoel que sugere, pelo menos, a (sua) participação nesse fórum.

Eu estou na terceira idade mas, felizmente, (ainda) não perdi o tesão. Uma sugestão é o patriotismo.

Imagine-se no Maracanãzinho lotado num jogo de volei Brasil-França e o Hino Nacional cantado por todos à capela.

Coragem ! 

Comentário de Jederson Virgínio em 12 setembro 2018 às 8:57

Por ser jovem, acredito que esta grande desmotivação de lutar por nossos sonhos, seja ele o empreendedorismo, docência, extensão, etc., é um reflexo da situação política-econômica caótica, que se encontra instalada no Brasil há alguns anos. Redução drástica de investimentos em educação em todos os níveis, ideologias extremistas tanto de um lado, quanto de outro, casos e mais casos de corrupção impunes..

Qual motivação temos? Onde sobra, esforços não se vê resultados. Temos muitas idéias, muita vontade, muita coisa ultrapassada que ainda é o 'modus operandi' de muitas companhias, idéias engessadas que foram melhoradas.

Tudo isso ligado a incertezas, falta de oportunidades, plano de melhorias constantes que não saem do papel..

Como ter TESÃO para buscar melhorias com este caso instalado?

Haja força de vontade e paciência!

Comentário de Manoel José Sant´Anna em 9 setembro 2018 às 16:52

Boa tarde colegas!. Ser eficiente e produtivo! com ânimo para ser um colega participativo, no mínimo debatendo, por aqui sobre nossa função e participação perante a sociedade!. Bem luta, sempre foi a "mola" de toda nossa existência!. Não existe vitória sem luta!. E valor, são méritos de conquista!. O que chamou-se aqui de "tesão", não tem a mesma referencia para uso da química como estímulo!. O que nos diferencia neste reino, é a nossa evolução, e nossa corrida para aproximarmos ao modelo, aperfeiçoando o que escolhemos ser :- Engenheiros Agrônomos

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 9 setembro 2018 às 15:25
TESÃO PRA QUÊ, 'CARA PÁLIDA' ?

De início eu queria agradecer a participação dos colegas Gilberto, Pedro e Manoel neste post, e dizer-lhes que concordo também com os seus pontos de vista. Eu só refuto a menção ao Viagra, vez que o tesão do título se refere à "falta de ânimo para participar dos debates", e não ao efeito do afrodisíaco em comprimido de cor azul.

Aliás, o Gilberto (Fugimoto) é testemunha das minhas reiteradas reclamações da pouca participação (percentual e relativa) dos colegas aqui da Rede Agronomia, sobre a sua falta de tesão. Se isso estiver relacionado à baixa auto estima, e esta, à (uma possível autocrítica pela) baixa produtividade profissional, a transcrição do artigo abaixo terá valido a pena.

Como ser mais eficiente e produtivo
(O Globo de hoje, Domingo, 9.9.2018, caderno Boa Chance, pág. 4)

1) APRENDA COM O ERRO DO OUTRO. Uma ideia mal aproveitada e até erros, seus ou alheios, podem servir de lição para você se auto avaliar. Não é roubar a ideia do outro, mas aprender com o que faltou para a dele dar certo. Ideia sem ação não serve para nada. Por isso, eleve seu nível de conhecimento e mãos à obra. Você é capaz de mais e melhor.

2) NÃO GASTE HORAS NUM E-MAIL. Ao escrever um e-mail, seja educado, claro e vá direto ao ponto. Imagine o gestor de 150 pessoas lendo longos e-mails truncados e sem objetividade. Ele vai acabar sem tempo para fazer outras coisas. Então, foco e objetivo são essenciais e necessários para se comunicar bem no ambiente corporativo.

3) INVISTA EM UM BOM NETWORKING. Claro que você não deve passar boa parte da sua jornada de trabalho estreitando os laços de amizade com as pessoas de seu setor, mas manter-se sujeito a críticas, sugestões e a auxiliar o outro fará de você uma pessoa bem quista. Não humilhe ninguém por causa de um erro ou uma má ideia. Todos erram.

4) MANTENHA A MENTE ATIVA. Não se conforme só com o cursinho ou só com a faculdade. Faça a diferença em qualquer lugar e seja qualificado e produtivo. Inove e seja revolucionário, buscando sempre mais conhecimento: leia, estude, comunique-se. Afinal, conhecimento não ocupa espaço. Mente sã gera ótimos resultados.
Comentário de Manoel José Sant´Anna em 7 setembro 2018 às 18:11

Boa tarde caríssimos e valiosos colegas!. Importar-se com o futuro!. Isto é cidadania!. Bom momento para retomar este tema!!?. Nossa juventude, hoje com a dinâmica da comunicação, isto deve forçar o exercício da evolução destes jovens!. Agora é pena, que eles também estejam sujeitos ao aumento da "fake news", e como eles vão saber separar o que é a verdade, ou aperfeiçoamento de caráter ???!!. 

Comentário de PEDRO LUIZ DE FREITAS em 5 setembro 2018 às 9:27

Realmente um depoimento marcante, Professor Viana, especialmente quando nos esforçamos para "fazer a diferença" e vemos que muitos dedicam seu tempo para atrapalhar a nossa vida, o que é muito pior do que aqueles que, como relata Professor Jorge Santos, dormem até tarde.  O "tesão" termina quando tentamos dedicar o pouco de tempo que nos resta, afinal temos o compromisso com aqueles que nos pagam os salários que, para mim, como funcionário de uma conhecida e respeitada empresa pública, são os contribuintes pelos seus impostos, para o bem comum, e vemos que muitos que deveriam caminhar conosco, na mesma direção, não o fazem.  Nesse pouco tempo que nos resta, nos comprometemos a dirigir uma instituição que, nos últimos anos, adquiriu respeito e transparência, como é o caso da nossa AEARJ.  São pessoas que não dormem até tarde, que não tem compromisso com os que pagam seus salários, que não tem respeito pelo trabalho voluntário dos outros mas se amarram com unhas e dentes aos cargos que poderiam ter, onde teriam privilégios que nem pensamos em ter e a sempre criar dificuldade para vender facilidade.  Coisa que somos obrigados a conviver nesse tempo de propaganda eleitoral.  Aí, meu caro Viana, o "tesão" acaba mesmo e não há pilula azul que resolva.  Talvez, quando aposentado, eu poderei dedicar meu tempo para dormir mais ou para aporrinhar mais a vida de quem teve o mérito e a dedicação para fazer sem buscar proveito próprio.

Pedro Freitas, Engenheiro Agrônomo, Pesquisador e Diretor Tesoureiro da AEARJ

Comentário de Gilberto Fugimoto em 4 setembro 2018 às 22:48

José Luiz,

Parabéns por mais uma postagem sua com alertas a juventude e a quem mais está a procura de tesão na vida!

Acho no entanto, que o desânimo, cansaço e desesperança da galera é em grande medida um desconhecimento de si e das circunstâncias que nos cercam.

Aprendemos muito sobre cultivos agrícolas porém muito pouco sobre como preparar o solo para cultivar ideias e sonhos pessoais. Diante da terra infértil do fruto de seus próprios projetos só resta reclamar e culpar quem quer que seja. 

Grande abraço

© 2018   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo