Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Agradecemos comentarios recentes especificamente dados e fotos adicionados por nosso colega Gilberto Fugimoto que atualmente esta fazendo mestrado em área ambiental e esta se aprofundando sobre novas alternativas viaveis e impressionantemente uteis, pois no Espirito Santos a empresa de assistencia tecnica local usa plantios de palmeira real para a recuperação hidrica de uma nascente.

A palmeira real é muito mais rapida em formação de humus que os projetos de reflorestamento com mudas da Mata Atlântica por duas razôes basicas.:

a)Palmieira real (palmito) se planta mais de 10.000 mudas /ha e reflorestamentos usam 2000 árvores ou menos.

b)Palmeira real cortamos muitas folhas por pé até 3 anos para engrossar

c)palmeira real muito rustica e fecha solo incidencia de sol e evita mato, recobrindo área degradada muito mais rapido que as especies pioneiras do reflorestmneto, dirá das especies secundarias eclimax que são plantadas em consorcio.

Mandem nos duvidas.

 

Ingo Haberle

Exibições: 120

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de Gilberto Fugimoto em 20 julho 2012 às 10:54

Ingo,

Grato pela palavras e parabéns pela iniciativa e persistência na proposta de recomposição vegetal aliada a geração de renda aos pequenos agricultores.

Comentário de Ingo André Haberle em 19 julho 2012 às 17:25

O grande entrave no Estado do Rio de Janeiro são as exigencias engessadas de Inea (estado) e Smac(municipio), pois varios empresarios plantam palmeira real e tem sucesso economico e ambiental.

Em Guaratiba, limite do maior parque urbano do mundo (Parque Pedra Branca) ha 5000 familias dentro do parque praticando fruticulturas (banana,manga e jaca) todas exoticas e destruidoras de solo e da mata. Isto deixam.

Bananeiras se tem 500 pés/ha epalmito de palmeira real se inclui 10.000 mudas.

Recuperam solo (humus), recuperam água(nascentes), recuperam renda (bananais estão com Sigatoga amarela) e se houvesse zoneamento agroecologicos, estariam proibidos os bananais.

Quem tem bananal roça e foica todas mudas de especies nativas da Mata Atlantica e isto pode e deixam.

Quem quer implantar agrissilvicultura ou seja plantio de palmeira exotica no subbosque deixando a Mata retornar impedem com leis de SNUC ultrapassada.

No Sul temos ja mais de 60.000 ha de palmitais de real gerando quase um bilhão de reais de receita conforme Abrapalmer, mas no Rio Capital da Ecologia Mundial, não há renovação de projetos.

Destruir mudas nos bananais pode, mas plantios que regeneram matas vem com exigencias de tantos itens que inibem os pequenos agricultores e a agricultura familiar, que esta descapitalizada.

A falta de diretrizes e apoio de orgãos que não veem o imenso beneficio e usam o corte de palmeira exotica como sendo projeto florestal para exigir inumeros itens (dados de topografia, quimica e fisica ) do solo, etc.

NÒS TEMOS UMA CULTURA AGRICOLA (PALMEIRA REAL) EM BAIXO DE BANANAL E QUE NÃO É CULTIVO FLORESTAL ECONOMICO.

AGRISSILVICULTURA É O QUE?

Agricultura sob floresta e não item florestal sob floresta.

A rigidez e inflexibilidade faz com que proteger não pode (criamos com palmitais aceiros verdese em volta de APAs e parques), e beneficios ambientais e sociais de renda.

Mas destruir com fruticultura exotica (bananais,mangueirais e jaqueirais) podem e deixam.

 

Ingo Haberle

Eng. Agronomo UFRRJ 1978

Conselheiro Parque Pedra Branca (INEA)

Membro Agenda  21 AP5

© 2019   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço