Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Turbinas hidrocinéticas são máquinas hidráulicas destinadas à geração de eletricidade, que funcionam com o princípio dos aerogeradores.

O meu interesse profissional pelo uso da água em máquinas hidráulicas começou logo no meu segundo ano de formado, em 1968, quando fiz o Mestrado em Saúde Pública (Saneamento Básico) na Fiocruz - RJ. Foi reforçado em 1975 quando ingressei no Hidroesb (Laboratório Hidrotécnico Saturnino de Brito S.A.), meu segundo emprego, sob a chefia do Eng. Civil César Lourenço, que coordenava o Programa Nacional de Pequenas Centrais Hidrelétricas - PCHs junto à Eletrobrás. E continuou em 1985, Professor da UFRRJ desde 1978, quando elaborei com dois colegas o trabalho "Rodas D'Água, Uma Opção Energética".

Mas, voltando à vaca fria, o termo "Turbinas Hidrocinéticas" era desconhecido para mim até a semana passada, quando pesquisei no Google trabalhos relacionados à geração de energia em comunidades isoladas como as da Amazônia (motivado pelo vídeo Floresta Iluminada, do Facebook, que motivou o blog de mesmo nome).

A Figura abaixo mostra os componentes mecânicos e elétricos de uma turbina hidrocinética - THC típica.

A sua instalação logo abaixo da superfície dos rios obedece à seguinte configuração básica.

A Figura abaixo apresenta o dimensionamento hidráulico de uma turbina hidrocinética com 10 m de diâmetro, instalada num rio com velocidade média de 0,75 m/s e que gera cerca de 14 kW.

Bom proveito.

Exibições: 283

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 21 novembro 2019 às 15:25
Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 10 novembro 2019 às 8:53

MICROGERADOR DE ENERGIA

Fonte: Facebook, 10/11/2019

 https://cdn-cv.r4you.co/wp-content/uploads/2019/11/WATEROTOR-MINI-G...

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 21 setembro 2019 às 9:08
Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 25 abril 2019 às 8:17

THC CANADENSE

Vídeo:

https://www.facebook.com/cosmosenergias/videos/2277753929146657/

Fonte: Facebook, 25/04/2019

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 22 abril 2019 às 17:48

RODA D´ÁGUA

VÍDEO:

https://www.facebook.com/engenhariaperfeita/videos/276693846613459/

Fonte: Facebook, 22/04/2019

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 16 abril 2019 às 15:43

CÁLCULO DO CONSUMO

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 14 abril 2019 às 16:30

OUTROS MODELOS DE TURBINAS

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 12 abril 2019 às 8:23

TURBINA HIDROCINÉTICA MODELO CATA ÁGUA

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 11 abril 2019 às 8:51

O QUE DÁ PRA FAZER COM UM QUILUOTE

A disponibilidade de energia elétrica no meio rural é um importante vetor de desenvolvimento. A partir desse recurso, é possível favorecer a irrigação, automatizar processos, beneficiar produtos e permitir, em alguns casos, atividades produtivas no período noturno. Ocorre que, no Brasil, justamente esse setor apresenta restrições no tocante ao fornecimento de eletricidade. (1)

A Figura abaixo apresenta o consumo dos seis aparelhos domésticos mais utilizados e o seu consumo de energia, em uotes (W). Quando vemos que um simples chuveiro elétrico consome 3.000 W = 3 kW (quiluotes), nos perguntamos o que fazer, nas comunidades isoladas com o mísero 1 kW de uma Turbina Hidrocinética (THC) convencional ? Por essas contas, seria preciso instalar 3 THCs para alimentar um único chuveiro elétrico.

Pra início de conversa, na Amazônia, com aquele calorão todo, não precisamos de chuveiro elétrico. Por outro lado, todos os demais aparelhos citados, com exceção do ferro elétrico, consomem menos de 10% do campeão de gasto que é o chuveiro elétrico.

Características energéticas

Em 1987 foi instalada em Vila Campinas - AM, uma comunidade isolada com cerca de 1010 habitantes, uma usina termelétrica com capacidade nominal de 96 kW para fornecer energia elétrica no período de 18:00 às 24:00 horas, operada pela concessionária estadual. A Tabela abaixo mostra dados levantados dos principais equipamentos encontrados, no Amazonas (2) e próximo à Palmas - TO.

A Figura abaixo mostra o consumo de energia elétrica de uma outra comunidade isolada da Amazônia, pinçada de um trabalho publicado na Internet.

Nesses cálculos, nas duas simulações, a demanda total de energia não chegou a 400 kW. Ainda é muito para uma simples THC de 1 kW. Por isso essas turbinas só conseguem atender umas poucas casas, ou apenas um único Posto Médico ribeirinho.

A Figura abaixo da Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL, padroniza o consumo de referência (consumo mínimo de comunidades isoladas) em 435 W ou 0,43 kW e, se eu tiver interpretado a tabela corretamente, uma única THC de 1 kW, neste caso, daria para alimentar 4 unidades consumidoras (que eu interpreto como sendo uma casa comum).

Algumas concessionárias não investem em sistemas isolados por já terem constatado que os sistemas que garantem menos de 80 kWh por mês não atendem aos critérios de atendimento da totalidade das necessidades energéticas das famílias, mas atualmente esses são os critérios, igualmente padronizados, impostos pela Resolução da ANEEL de 2004.

Para concluir esta reflexão, a Figura abaixo lista as potências nominais típicas de alguns eletrodomésticos e o seu respectivo consumo de energia elétrica (em W), para uma possível consulta.

REFERÊNCIAS:

 (1) PREVISÃO DE CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA PARA COMUNIDADES ISOLADAS BASEADA EM REDES NEURAIS, TCC de Roberta Nunes, Macaé - RJ, 2012

http://bd.centro.iff.edu.br/bitstream/123456789/40/1/a_DISSERT_JAN_...

(2) FORNECIMENTO DE SERVIÇO DE ENERGIA ELÉTRICA PARA COMUNIDADES ISOLADAS DA AMAZÔNIA: UM ESTUDO DE CASO, Elizabeth Cartaxo e auxiliares.

http://www.fem.unicamp.br/~jannuzzi/documents/ArtigoTESE-elizabeth.pdf

Bom proveito.

Comentário de JOSÉ LUIZ VIANA DO COUTO em 8 abril 2019 às 17:53

FONTES DE ENERGIA PARA COMUNIDADES ISOLADAS

© 2019   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço