Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Uma das reclamações mais comuns que muitos Engenheiros Agrônomos fazem é que eles não se sentem valorizados.

Nesta rede que reúne, próximo de 8.000 profissionais e estudantes de Ciências Agronômicas vemos que a participação é sempre muito pequena, os debatedores das postagens em geral são sempre os mesmos.

Vamos discutir o dia a dia de nossa profissão, que é uma das mais fundamentais para o sustento da vida e da saúde no país e no planeta.

Precisamos discutir, trocar idéias de como nós profissionais de Ciências Agronômicas, Engenheiros Agrônomos podemos colocar nossa profissão no patamar que ela merece... Recebendo o reconhecimento que ela merece... Não somente do produtor rural... Mas de toda a sociedade brasileira!!!!

Vamos participar e trocar idéias...

E para encerrar, convido principalmente os mais jovens e os estudantes a dar ideias... Pois vcs são a geração criada em um novo mundo de informação!!!!

Exibições: 638

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de Mario Sergio Alves de Godoy em 8 fevereiro 2018 às 15:17

O RAMON acho que concorda comigo que AGRONOMIA é primeiramente uma questão de ESTADO. É claro que a Iniciativa Privada também é empregadora e, também, deve haver os autônomos/empreendedores, talvez até em bem maior número. Mas o Estado deve puxar a Agronomia dado que é setor importante no País. Também, voltando a um comentário meu anterior em função das últimas participações, há um problema Fiscal na Federação: as mais de 5.000 prefeituras deveriam ter pelo menos 05 Agrônomos cada uma “trabalhando 1) na conservação, 2) nas estradas e voçorocas, 3) na iLP,  4) nos sistemas de produção (inclusive distribuição e compras por programas de governo) e 5) nos projetos de financiamento da produção e da terra” (discussão sobre “Agronomia e Rentabilidade de Investimento Agropecuário” nesta Rede) ... 25mil...

Comentário de Mario Sergio Alves de Godoy em 8 fevereiro 2018 às 14:58

Afinal de contas (voltando a uma mensagem minha anterior) está faltando ou sobrando Agrônomos... porque vejo dificuldades de emprego e vejo a cada dia mais cursos de Agronomia surgindo, se "bobiar" já tem até por EaD!

Se o problema de falta de mercado de trabalho existe de fato, dever-se-ia atuar no sentido de restringir a oferta melhorando as exigências (qualidade).

Somos 8.000 na Rede. Quanto somos no Mercado de trabalho empregados (ou empreendedores) ou desempregados? Quantos EA se graduam anualmente?

Comentário de Francisco Cezar Dias em 5 fevereiro 2018 às 18:02

Ramon, leia com atenção que você entenderá.

Comentário de Manoel José Sant´Anna em 5 fevereiro 2018 às 15:28

Boa tarde Dr Francisco!. Obrigado pela consideração!. Sr Paulo Ramon, por favor, nunca chute o pinico!. Afinal apenas expus meu pensamento sobre o que nestes 44 anos de militância, como gostam os PT(s), de se referir. Tentando responder sua dúvida, não disse que as Prefeituras não precisam do Eng. Agr., mas que o que se produz no meio rural, ou vai para os grandes Intermediários ou para o CEASA, dai volta aos municípios, ( quando volta). Então quem deveria arcar com os profissionais e sua remuneração???!!!. Quanto a ficar como está só se quiser "brincar de estátua" né! Por aqui queremos é mais ação! Se possível ???!!!. Abraços Manoel

Comentário de Francisco Cezar Dias em 5 fevereiro 2018 às 10:27

Parabéns Dr. Manoel sua luz, sapiência e objetividade garante que temos colegas capazes de virar o jogo. Infelizmente não se motivam à troca de informação sem objetividade e isto desanima muito. Infelizmente, com mais do mesmo não mudaremos nada. Se queremos fazer a diferença, precisamos de atitudes renovadoras. Nossas estruturas, ao longo do tempo e pulverizada como se encontra não fará nada para mudar. Transformou-se num cabidão de emprego somente. Então ficamos assim, nem para a frente nem para trás só perdendo a cada ano um pouco mais de representatividade junto ao consumidor de nossos serviços e espaço para as correlatas.

Comentário de Paulo Ramon em 5 fevereiro 2018 às 10:12

Sr. Manoel

Não entendi o seu comentário quanto a necessidade de ter mais agrônomos no Ministério da Agricultura e outra, pelo seu comentário, então ter mais agrônomos nas secretarias municipais não dá em nada, não é? Então, não há nada a ser feito. Fica como está e pronto! 

Comentário de Manoel José Sant´Anna em 5 fevereiro 2018 às 9:55

Bem mediante tal situação!!!!. Nós Engenheiros Agrônomos, precisamos mais do que nunca, tomar alguma atitude?!. Não basta para mim ficar aqui só escrevendo coisas ruins!. Temos que descobrir como os Engenheiros Agrônomos, podem ter alguma forma boa para nossa sobrevivência, não para mim que tenho talvez mais dez anos de vida, e já aposentei faz tempo, mas para vocês colegas!. Velho sim!!. Inútil não!. Apontem o caminho, e estarei ao seu lado!. 

Comentário de Manoel José Sant´Anna em 5 fevereiro 2018 às 9:49

Continuando:- Vender nossos serviços???!!. - Pela cultura do produtor??!. As propriedades de SP, hoje são usadas pelas grandes Empresas, onde arrendam para sua área sem preocupação com o cultivo da sua terra, e ficam satisfeito com as migalhas que recebem para não usar o Eng. Agr. , não por nada, mas não confiam em ninguém, a tecnologia hoje é banalizada!. Tudo isto fora a ação dos atravessadores!.

Comentário de Manoel José Sant´Anna em 5 fevereiro 2018 às 9:41

Voltando ao assunto:- Concursos públicos???!!!. Pelo Ministério da Agricultura, acho que não somos importantes como cabos eleitorais???!!. Sem padrinhos??!!. Enfim somos do grupo da Bolsa Família, sem representatividade!.

Governo do Estado, bem estes acreditam que os beneficiados pelos .nossos serviços são os municípios, Municípios com áreas rurais, não os grandes centros urbanos, dai quem deveria contratar um Eng. Agr. seria os Municípios não o Estado!.

Os Municípios são apadrinhados, para viver do complemento da verba federal, que só chega se grupos de significância política, reivindicam!. " Bão ai acho que não vamos sair do lugar".

Comentário de Manoel José Sant´Anna em 5 fevereiro 2018 às 9:28

Bom dia Sr Paulo Ramon, caros colegas!. Temas interessantes a serem debatidos!?. Apenas podemos colocar na ordem do dia em uma agenda de assuntos importantes a serem tratados!. Quanto as Associações, elas no nosso caso são ineptas para discutir tais temas!. Talvez podem justificar pela pouco interesse da classe, em fazer tais exigências!!!???. ( Certos muares só se locomovem quando são cutucados por espóra ), desculpe-me a brincadeira.

© 2022   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço