Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Agrônomos e Veterinários Não Poderão Exercer Zootecnia

Avançou (?) o PL 1016 / 2015 que regulamenta a profissão de Zootecnista e cassa direitos dos Engenheiros Agrônomos e Médicos Veterinários em exercer a atividade. 

Em Relatório emitido em 15 de agosto, o Deputado Alberto Fraga (DEM-DF) desconsiderou toda a discussão prévia bem como a audiência pública realizada em 22 /10 /2015 consolidada em parecer da Deputada Elcione Barbalho que assegurava o direito ao exercício da profissão (sic) de zootecnista ao engenheiro agrônomo e médico veterinário. 

Cabe registrar que não se trata de exercer a profissão de zootecnista, mas da atividade inerente à Agronomia e Veterinária, de onde surgiu. Ainda há um caminho a percorrer, mas a cada relatório e movimentação do PL caminhamos para um horizonte que E.A. e M.V. não poderão atuar em zootecnia.

Mais uma demonstração da importância da mobilização e participação dos E.A. na categoria. Se não participarmos efetivamente das entidades e tomarmos ações concretas de valorização profissional, estaremos perdendo a cada dia espaços concretos de atuação.

Mais um lembrete, o email do Deputado Alberto Fraga: dep.albertofraga@camara.leg.br

Além disso continua ativa a Petição Contra o PL 1016/ 2015:

http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR82803

Exibições: 273

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de Gilberto Fugimoto em 27 agosto 2017 às 19:20

Com certeza Bortoli,

Esse PL demonstra a necessidade de nos mantermos atentos e mobilizados na defesa da Agronomia!

Comentário de José Luiz Bortoli de Azambuja em 27 agosto 2017 às 17:44
Sugiro manter foco na perda de atribuições profissionais. Inaceitável, principalmente para os colegas mais novos. O engenheiro agrônomo será reduzido à um profissional da fitotecnia? Temos que reagir a este absurdo!!!
Comentário de Manoel José Sant´Anna em 27 agosto 2017 às 14:12

Já fomos explorados desde o descobrimento!. Foi Pau Brasil, foi Ouro e Diamantes de Minas Gerais, foi borracha, foi café, etc... e agora o que nos vão espoliar????!!!!.

Comentário de Manoel José Sant´Anna em 27 agosto 2017 às 13:21

Boa tarde colegas, defender nossos direitos, defender nossa profissão e capacitação, é muito importante e de valor para nós Engenheiros agrônomos, mas a noticia da desclassificação como reserva e recursos nacionais de nossa Amazônia, diz respeito a todo povo brasileiro. A Reserva Preservacionista Vegetal e Mineral do Cobre, entre Amapá e Amazonas, é uma riqueza da maior importância ao povo brasileiro. Principalmente a Mineral, Cobre, Ouro, Bauxita, etc...agora descredenciada e liberada a interesses internacionais pelo tal pres Temer. Não é apenas questão de defesa de uma classe, é defesa de todo Brasil e seu povo. Se não temos dinheiro suficiente para pagar as falcatruas, e safadezas destes aproveitadores dos brasileiros. Vamos nos unir para encontrar outros caminhos não entregar nossas riquezas. Desculpe-me se por aqui não era para discutir ou alertar sobre política, mas isto é muito mais importante que tudo!. É o futuro dos nosso netos e bisnetos!.

Comentário de José Luiz Bortoli de Azambuja em 22 agosto 2017 às 16:19
Este assunto deve ser prioridade no CBA em Fortaleza. Precisamos tirar uma posição forte e entregar em mãos no Congresso Nacional. Se não fizermos isso, seremos simplesmente atropelados. Não seria o caso de convidar o relator para estar no CBA e debater conosco?
Comentário de Gilberto Fugimoto em 17 agosto 2017 às 23:12

João e colegas,

Ou participamos das Associações e da vida da Agronomia ou vamos nos afundar, nos desvalorizando a cada dia, como categoria!

Comentário de JOÃO ANTUNES em 17 agosto 2017 às 13:44

Ou nós levantamos em favor da Agronomia e erguermos essa bandeira que sustenta o agronegócio, ou nós vamos nos acomodar, e ver ir para o ralo nossas conquistas a cada PL....., por alguém que muitas das vezes defende uma causa sem entender da profissão.  VAMOS A LUTA, JUNTOS SOMOS FORTES.

Comentário de Manoel José Sant´Anna em 16 agosto 2017 às 17:09

Boa tarde colegas, parece que agora além das " lembrancinhas"de muitos destes legisladores, agora são onipotentes em sua deliberação!. E o direito adquirido dos E.A.???!!. Que em sua formação especializaram nas matérias referentes a zootecnia!?!?. Será jogado as traças, tempo perdido, denegrindo uns em favor de outros, com mesmas aptidões técnicas!!??. Adquirido nas mesmas salas de aula!?. Afinal em sua ignorância, não dá para que entenda que matérias referentes a tal atuação, são especialidades dentro do mesmo curso!?. 

Comentário de Francisco Lira em 16 agosto 2017 às 16:21

Com certeza Willams

Comentário de Willams José de Oliveira em 16 agosto 2017 às 15:51

Não se pode chamar isso de Projeto de Lei, isto é uma aberração e uma afronta a toda classe agronômica. A conquista de um determinado mercado por um profissional deve se dar pela sua competência e não por meio do protecionismo. 

© 2017   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo