Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Curso: Agronomia
Título: Engenheiro Agrônomo

Prezados,
Objetivando esclarecer aos estudantes e profissionais, oferto-lhes abaixo cópia do documento resultante de consulta aos 26 estados e Distrito Federal, realizada em 2009, conduzida pela Coordenadoria Nacional de Câmaras Especializadas em Agronomia - órgão do Sistema Confea-Creas. Na época, o documento era endereçado ao MEC, por conta de consulta que realizava:

PERFIL DO EGRESSO
O Engenheiro Agrônomo é um profissional de formação generalista que revele, pelo menos, as seguintes competências e habilidades: projetar, coordenar, analisar, fiscalizar, assessorar, supervisionar e especificar técnica e economicamente projetos agroindustriais e do agronegócio, realizar vistorias, perícias, avaliações, arbitramentos, laudos, pareceres técnicos, promover a conservação e/ou recuperação da qualidade do solo, do ar e da água, atuar na organização e gerenciamento empresarial e comunitário e na gestão de políticas setoriais; produzir, conservar e comercializar alimentos, fibras e produtos agropecuários; participar e atuar em todos os segmentos das cadeias produtivas; exercer atividades de docência, pesquisa e extensão.

TEMAS ABORDADOS NA FORMAÇÃO.
Atendidos os conteúdos do núcleo básico, os conteúdos profissionalizantes do curso são: Agrometeorologia e Climatologia; Avaliação e Perícias; Manejo e Conservação dos Solos; Biotecnologia, Fisiologia Vegetal e Animal; Cartografia, Geoprocessamento e Georeferenciamento; Comunicação, Ética, Legislação, Extensão e Sociologia Rural; Construções Rurais, Paisagismo, Floricultura, Parques e Jardins; Tecnologia de Produtos Vegetais e Animais; Defesa Sanitária Vegetal; Economia, Administração Agroindustrial, Política e Desenvolvimento Rural; Energia, Máquinas, Mecanização Agrícola e Logística; Genética de Melhoramento, Manejo e Produção Florestal; Zootecnia e Fitotecnia; Gestão Empresarial, Marketing e Agronegócio; Hidráulica, Hidrologia, Manejo de Bacias Hidrográficas, e os demais conteúdos profissionalizantes do curso constantes na Resolução CNE/CES nº 1, de 02 de fevereiro de 2006.

ÁREAS DE ATUAÇÃO.
O Engenheiro Agrônomo é habilitado para trabalhar em empresas que atuam no âmbito da Agronomia, projetando, coordenando, supervisionando, implantando projetos de produção e de comercialização agropecuária, produção de insumos, gestão ambiental e gestão do agronegócio; realiza consultorias para empresas e para proprietários rurais, e gerencia o próprio negócio; na defesa sanitária, na perícia e na fiscalização de postos, de aeroportos e de fronteiras; no controle de pragas e vetores em ambientes rurais e urbanos; na extensão, como agente de desenvolvimento rural, como docente e como pesquisador.

INFRAESTRUTURA RECOMENDADA

Laboratório de Solos e Nutrição de Plantas; Laboratório de Biologia e Microbiologia; Laboratório de Biologia Molecular; Laboratório de Sementes; Laboratório de Micropropagação; Laboratório de Entomologia; Laboratório de Irrigação e Drenagem; Laboratório de Informática; Laboratório de Cultura de Tecidos; Laboratório de Fitopatologia; Laboratório de Alimentos; Laboratório de Fisiologia Vegetal; Laboratório de Topografia, Laboratório de Nutrição Animal; Laboratório de Produtos Florestais; Equipamentos; Máquinas e Implementos Agrícolas; Equipamentos e Aparelhos de Climatologia e Agrometeorologia; Campo Experimental; Casa de Vegetação.

JUSTIFICATIVA DA PROPOSTA DE INCLUSÃO
A proposta do MEC de padronização nas denominações dos cursos tem seu mérito prejudicado pela impropriedade de encaminhar caráter altamente redutivo na formação do profissional egresso do curso de Agronomia. Além deste fato, a proposta enviada pelo MEC comete falha de não cumprir dispositivos legais que a própria proposta cita como legislação pertinente.
Assim, somos favoráveis à denominação do curso enquanto Agronomia, com o título de Engenheiro Agrônomo. Porém, é primordial adequar os itens citados na proposta do MEC para os temas que devem ser abordados na formação do egresso do curso de Agronomia. Assim, os termos que devem ser abordados na formação dos egressos de Agronomia precisam estar em sintonia com as novas exigências da sociedade brasileira, com os tratados internacionais (inclusive no âmbito da Comissão de Integração de Agrimensura, Agronomia, Arquitetura, Geologia e Engenharia para o Mercosul-CIAM), com o Decreto-Lei 23.196, de 1933, com o Decreto-Lei 23.569, de 1933; com a Lei 5.194, de 1966, com a Resolução CONFEA 1.010, de 2005 e, com as próprias Diretrizes Curriculares para os cursos de Agronomia estabelecidas pela Resolução CNE/CES 1/2006.

Exibições: 4155

Responder esta

Respostas a este tópico

Lindo diploma Coutinho!
Talvez seja suspeito, pois tbém tenho um desses!!!

Antônio Carlos Coutinho disse:

Gilberto.

 Somos uns privilegiados Amigo!

 Uma ótima semana!

  Abraços.

   Coutinho.

 



Gilberto Fugimoto disse:

Lindo diploma Coutinho!
Talvez seja suspeito, pois tbém tenho um desses!!!

Antônio Carlos Coutinho disse:

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço