Prezados Colegas,

No Globo Rural do último domingo, 19/06/2011, fizeram uma reportagem sobre a emissão de receituário agronômico por técnicos agrícolas. A reportagem, bem tendenciosa, queria levar o telespectador a crer que era necessário o técnico agrícola poder receitar produtos para controle da pragas e doenças, pois estes identificavam as pragas ou doenças no campo, mas necessitavam da assinatura de um Agrônomo. Algumas associações de técnicos agrícolas entraram com mandato de segurança em alguns estados e já podem emitir receituário. Diziam na reportagem que a lei permite e quem proíbe é o CREA, que alega que o Técnico Agrícola não tem carga horária suficiente na sua grade curricular para emissão de receituário. No meu entendimento, não é questão somente de carga horária, pois trata-se de uma profissão de nível médio e somente profissionais de nível superior podem ter tal responsabilidade, pois não é somente uma assinatura para comprar um "remedinho", trata-se de segurança alimentar. Alegam na reportagem que os pequenos agricultores, a agricultura familiar se beneficiaria com isso. A segurança alimentar dos alimentos originados da agricultura familiar deve ser menosprezada? É correto permitir que um profissional de nível médio responsabilize-se pela segurança dos alimentos consumidos pela família Brasileira? Alguém concordaria que um Técnico em Enfermagem lhe receitasse um medicamento? Eu entendo que com o desenvolvimento das tecnologias, as exigências das atribuições devam ser maiores - por exemplo, que no futuro somente possa fazer receituário agronômico um especialista em fitossanidade - e querem que a coisa retroceda. Convoco aos colegas para que participem desta discussão e ajudem dando sugestões para que possamos combater este perigo para sociedade e para nossa profissão.

Veja a reportagem:

https://www.youtube.com/watch?v=ZDeda0rq5BU

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de agronomos3.

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • mas no Brasil é assim: Um deputado ou prefeito, etc. pode ser analfabeto, então porque não um leigo receitar veneno aos alimentos que vão à nossa mesa???????

    Principalmente na agricultura familiar, onde, na maioria dos casos, se trata de famílias com baixo nível de escolaridade e que não tem noção do "presente que estão recebendo". BRASIL CORRUPTO, FEITO DE PESSOAS CORRUPTAS.

    O que falta é nos unirmos contra esta safadeza que vem acontecendo. Senão, colegas agrônomos, daqui a pouco, os técnicos agrícolas vão tomar nossos diplomas.... mas não podem tomar nosso conhecimento.

  • Senhor, conhecemos a grade curricular muito bem, insclusive, a gritante diferença que existe na química (orgânica, analítica, geral) sem contar o extremo aprofundamento que existe em fitopatologia e entomologia. Ninguém, consciente, pode concordar com isto. O que ocorreu foi que políticos irresponsáveis deram este espaço para profissionais de nível técnico recitarem produtos agrícolas. Aí está o resultado: o Brasil, pela corrupção, ganhou mais um récorde: 1º lugar mundial em uso e abuso de agrotóxico....

  • Realmente é de se indignar com colegas que vem a esse espaço dizer que a defesa de nossas atribuições no que diz respeito à prescrição do receituário agronômico é corporativismo. Será que esses mesmos profissionais aceitariam a prescrição de remédios para uso pessoal por um técnico de nível médio em medicina? É preciso maturidade e respeito a quem passou ou esta passando mais de 5 anos em uma faculdade gastando tempo, dinheiro e principalmente acumulando conhecimento para sua vida profissional para depois ter que ceder seu espaço para quem não os tem. Nesse caso é necessário a união e o esforço em conjunto dos profissionais a nível nacional para reverter esse erro grotesco, mesmo porque argumentos não faltam para jogar no lixo essa aberração

  • O correto seria MANDADO DE SEGURANÇA, Leonardo da Costa Lopes.

    E esta discussão nem deveria ter. Mas infelizmente o Brasil sempre quer criar tumultos em vão. Receitar deve ser para os profissionais capacitados, que estudem para isso. Então vá fazer Engenharia Agronômica e depois vem conversar com a gente!

     

  • Caros,

    Muito se falou e protestou sobre Emissão de Receituário por Técnicos Agrícolas.

    Agora surge a resposta:Receituário Agronômico por Técnicos Agrícolas

     

    O que mostra que nossa categoria não é tão impotente nem tão desarticulada como se pode pensar...

  • Eu concordo em partes com o autor da discussão. Lógico que a agricultura familiar deve ter os mesmos cuidados que qualquer tipo de cultivo. Mas em relação ao técnico agricola receitar agrotóxicos é uma discussão que vai além disso. Em minha opinião a questão da carga horária do técnico deve-se ser levado em conta pelo CREA, já que em cursos de ensino médio não há condições de existir matérias com hora/aula suficiente para tal responsabilidade. Mas veja um ponto interessante, eu conheço vários técnicos que tem um conhecimento muito amplo, conhecimento esse que muito agrônomos não têm. Mas, me entenda não estou defendo que um técnico agrícola possa receitar a compra de um produto de tal responsabilidade, apesar de muitas vezes ele ter conhecimento para isso, mas há coisas muito importantes que eles não tem como saberem, falta o conhecimento científico, epiricamente ele sabe porque não pode usar, mas denconhece algo diferente do básico. Eu acho que receitar um "veneno" é algo que tem ser visto com muito cuidado pelas entidades responsáveis, a Rede Globo de televisão tem influnência muito forte, tem apelo popular, mas tomara que esse tipo de ação continue do jeito que está. Agrônomo é quem receita agrotóxicos.
  • É amigo uma realidade lastimável... Mas o importante nesse pais nosso é todo o resto, a agricultura nunca foi nem será prioridade....
  • Acredito que a função dos CREA no nosso país não seja a cobrança de anuidades, mas sim ser mais atuante, e usar estes recursos para chamar os profissionais a capacitações e atualizações, e dentre estas conscientizar os profissionais quanto ao receituário, ser mais exigente e fazer com que os profissionais tambem seja nas suas areas. No Canada por exemplo, existem Associações também, mas lá é requisito a atuação e participação de modo ao profissional ser credenciado, com cursos, seminarios e palestras de atualização profissional, podendo ser obrigatorio a todos. Porque nao fazemos o mesmo no Brasil, assim iremos combater estas incongruencias. Outro fato é devido a distancia continental em nosso país, as entidades precisam interiorizar e ter representantes no interior dos estados.
  • Prezados,

    Isso é mais ou menos como o "técnico de enfermagem" emitir Receita Médica, que obviamente é atribuição do Médico, que tem a grade curricular necessária para esse fim.

    Assim é o Receituário Agronômico para o Agrônomo, é não para o técnico. Se não fosse assim, isto é, se não houvesse diferença na formação dos profissionais, não haveria diferença de títulos e de atribuições...

    ARTUR MELO

This reply was deleted.