Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Colegas:

Gostaria de propor um tema interessante:

Que acham de projetarmos Unidades de Secagem/Armazenamento sem uso de Poços de Elevadores?

Ou seja, projetar para que os elevadores dos grãos, sejam construídos ao nível de toda unidade, eliminando os poços de elevadores e consequentemente os espaços confinados. Nesse caso, para adequar o nível de caimento dos grãos (talude), as construções deveriam ser acima do nivel do solo.

Qual o pensamento dos colegas?

Comparem custos de impermeabilização, custos de obras, vantagens e desvantagens.

Obrigado e boa semana à todos.

Exibições: 324

Respostas a este tópico

Caro César Augusto,

Tenho tido esta preocupação na execução de meus projetos. A Unidade armazenadora da COOPERVAL em Cruzeiro do Sul tem capacidade para 310.000 sacos compsta por quinze silos de 20.000 sacos cada um e mais dois silos metálicos suspensos de 5.000 sacos cada e com fundo em cone. Estes dois silos são com "fluxo de massa". Os silos de 20.000 estão dispostos em tres fileiras de cinco silos cada. São silos de alvenaria armada e a retirada do produto dos silos é feita por redlers ao nível do piso;estes redlers abatecem outros redlers montados num canal aberto de1,20m profundidade e 1,20m de largura. A Unidade toda possui apenas tres poços de elevadores sendo dois com 3,50 m de profundodade e o poço das moegas tem 6,00m de profundidade.

Para reduzir a profudidade de poços de elevadores em mogas as uso em "V" de modo que uma moega com 6,00m de comprimento tem a profundidade de 3,00m. Do fundo da moega o produto é retirado por redler (ou rosca extratora horizontal) de modo que dai abaixo só se precisa de mais tres metros para abastecer os elevadores. Aliás acho que o ponto crítico na tua proposta são as moegas, para estas não vejo por enquanto solução. Se algém tiver solução, por favor  nos imforme.

José Boaventura, a solução pra mim seria construir moegas elevadas. Acredito que o aterro necessário é infinitamente mais barato que num futuro próximo, iniciar a gastar com impermeabilizações, por exemplo.

Conhecendo o RS como conheço, via SENAR-RS, todos os poços de elevador que conheço tem problemas de infiltrações. É um prato cheio para gerações de gases e problemas com manutenções, devido ao pequeno espaço para trabalho. Isso sem contar com os riscos (biológico, gases, alturas, etc...), quando nossos colaboradores precisarão realizar todos cursos do MTE, referente às Normas Regulamentadoras. Aliás esse é o meu mercado, veja bem...

Simples, ao invés de cavar buracos, se elevam as moegas.

Mais: se elevarmos as bases dos silos um pouco, poderíamos aumentar o espaço da descarga, o que facilita as manutenções, e também ajuda no nível para descarga num elevador ali colocado para "carga". Que tal?

Já há muitas unidades no litoral usando desse projeto, já que ali onde se cava 1 metro, já aparece a água, como podes imaginar.

Acho que te ajuda essa informação.

Grande abraço e obrigado por colaborar na discussão.

Amigos,

Ficarei fora por alguns dias, tenho uma viagem à Goiás e na sequencia vou o Mato Grosso do Norte e na minha volta tiro férias que ninguém é de ferro. Mas tão logo esteja em casa voltamos ao assunto.

RSS

© 2022   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço