DEMANDAS DO CAR NAS REGIÕES BRASILEIRAS

Colegas

Como andam as buscas pela execução do CAR nas regiões de vocês. Aqui em Pernambucano (acredito que em todo o Nordeste), pouco se comenta sobre o assunto.

Outrossim, entendo que não é todo mundo que possa fazer o preenchimento , pois mesmo fazendo o curso, uma pessoa leiga no assunto não terá propriedade para dirimir todos os detalhes, visto que, a maioria dos assuntos está ligada aos profissionais das ciências agrárias.

Grato

Lademir

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Rede Agronomia.

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Concordo inteiramente com você, prezado Luiz!

  • Lademir,

    O ideal do CAR é que os limites da propriedade fossem traçados por um DRONE ou GPS, no campo (como disse). Também acho que o autor do CAR deveria visitar a propriedade, seja para conhecer o proprietário, identificar os alvos e as áreas e para medir a largura dos rios e a inclinação das encostas. Só que, isso encareceria o custo do serviço e atrasaria a remessa do cadastro. Pena que questões tão importantes fiquem tão ausentes de uma discussão coletiva. Aliás, até o interesse dos Agrônomos pelo CAR é limitado, como mostra o reduzido número de colegas que pertencem ao Grupo respectivo.

    Abraço

  • Pois é colega, a coisa ainda está enrolada. Conversei com um tutor do curso sobre essa questão do contorno da propriedade e ele falou que na propriedade com até 4 módulos fiscais isso poderia ser feito. Mesmo assim, concordo com você com relação a sobreposição de contornos. E nas grande e médias propriedades? Tem que se fazer o georeferenciamento no campo, concorda? Outra coisa, como identificaremos numa imagem, uma área de uso restrito? Por isso, entendo que o deslocamento em campo se faz necessário e que seja feito por um profissional do setor.

    Abraço   

  • Colega Lademir,

    Participei da 2a. turma de capacitação do MMA para preenchimento do CAR no final do ano passado e, até agora, não divulgaram minhas notas, o Certificado e, principalmente, como (e quando) o Ministério pretende colocar frente a frente o agricultor (que se achar incompetente) e quem poderá ajuda-lo. Nesse tópico de ajuda, algo inesperado: conheço um extensionista rural da Paraíba, que fez o curso na 1a. turma e não se acha capaz de preencher um cadastro.

    Para mim, a maior dificuldade técnica não se refere às exigências do Novo Código Florestal, mas sim, ao traçado do contorno da propriedade (na etapa Geo do CAR), de modo que a sua área coincida com os limites do seu vizinho e com o que consta dos documentos de posse (sem cair na malha fina do MMA) da propriedade.

    Sendo o agricultor um cara normalmente 'desconfiado', acho que vai ser difícil ele próprio tomar a iniciativa de procurar alguém (como o faria ?) para ajuda-lo a preencher o seu CAR. Se o Governo não promover o encontro, esta exigência legal será mais um fiasco como foi a Lei dos Resíduos Sólidos, prorrogada por inoperância dos Prefeitos.

    Tomara que não.

This reply was deleted.