Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Informação

Física do Solo

Para todos os profissionais interessados na grande área Física do Solo.

Membros: 205
Última atividade: 29 Abr, 2017

Fórum de discussão

Gênese do Solo 1 resposta 

O solo, que é um corpo trimensional, forma-se pela ação dos fatores de formação e dos processos pedogenéticos. O conhecimento pedogênese é importante para a compreensão do padrão da distribuição dos…Continuar

Iniciado por Alcides Sandini Filho. Última resposta de Guilherme Sobrinho 6 Jul, 2013.

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de Física do Solo para adicionar comentários!

Comentário de marco aurelio dos santos em 29 dezembro 2010 às 10:59

Estamos desenvolvendo trabalhos com o gel de plantio e irrigação.

Reduza o consumo de água em sua lavoura.

Para obter maiores informações. Envie um email para

luisclaudio@terravivaminas.com.br

Mandaremos estudos e fotos do processo de uso e resultados obtidos.

ATT.

Marco Aurelio/ Luis Claudio

35-3235-2344

Comentário de Alcides Sandini Filho em 1 outubro 2010 às 3:50
Gênese, fatores de formação e processos pedogenéticos.

O solo, que é um corpo trimensional, forma-se pela ação dos fatores de formação e dos processos pedogenéticos. O conhecimento pedogênese é importante para a compreensão do padrão da distribuição dos diversos solos na paisagem. Enquanto que a dessilicatização como conseqüência do alto grau de intemperismo é o principal processo pedogenético do horizonte B latossólico dos Latossolos, a dispersão da argila no horizonte A e posterior acúmulo no horizonte B textural (migração de argila) é típica dos Argissolos, e dos Luvissolos com esse tipo de horizonte subsuperficial.
A translocação de argila do horizonte A para o horizonte B com cerosidade muito evidente nos agregados estruturais bem desenvolvidos reflete a gênese do horizonte B nítico dos Nitossolos e Chernossolos com esse tipo de horizonte subsuperficial. Os Chernossolos formam-se derivados de material argiloso ou muito argiloso e com alta saturação por bases, e ao mesmo tempo sob vegetação com alta biomassa no horizonte A. Os Neossolos Litólicos geneticamente são muito jovens devido ao insuficiente tempo de intemperismo na gênese do horizonte B diagnóstico, ao contrário do horizonte B incipiente dos Cambissolos. Enquanto que os Neossolos Quatzarênicos formam-se sobre depósitos arenosos, os Neossolos Flúvicos formam-se a partir de depósitos de sedimentos trazidos pelos rios e riachos em inundações pretéritas, e ambos (juntamente com os Neossolos Litólicos) não apresentam horizonte B, por isso considerados como Neo (novo). Os Plintossolos são formados sob condições que favoreceram a formação da plintita (ou petroplintita pelo ressecamento da plintita), os Espodossolos são formados pela pelo intenso movimento vertical de matéria orgânica e da dissolução química de compostos de ferro e de alumínio (podzolização química). Os Vertissolos formam-se sobre sedimentos com alta saturação por bases num ambiente de lixiviação de bases desprezível permitindo assim a formação de minerais de argila do tipo 2:1. Os Gleissolos formam-se sob a forte ação do lençol freático elevado, em condições de encharcamento prolongado nas várzeas. Quando existe acúmulo de sais na superfície formam-se os Gleissolos sálicos, que depois de intensa lixiviação de sais dos Gleissolos sálicos originam os Planossolos Nátricos.

A gênese dos Organossolos é condicionada, ao mesmo, ao excesso de água e a alta taxa de adição de restos orgânicos nos locais mais deprimidos das várzeas. Além da gênese dos solos é necessário considerar os cinco fatores de formação dos solos, representados pelo clima, material de origem, relevo, vegetação e tempo (e seus processos pedogenéticos), pois o clima juntamente com os organismos agem no material de origem (geralmente rocha) num determinado relevo, transformando-o em solo ao longo do tempo. Os referidos processos pedogenéticos são: transformação; translocação; adição; e remoção.

A transformação dos constituintes dos solos pode ser química, física, biológica e mineralógica. Pelo processo de intemperismo, minerais primários são transformados com a conseqüente remoção de sílica e bases no perfil, representando a gênese conhecida como latossolização, típica da classe dos Latossolos.

A translocação de material do horizonte A para o horizonte B, são de dois tipos: mecânica ou química. A translocaçãoé mecânica quando a argila silicatada depois de dispersar se no horizonte A transloca-se para o horizonte B formando a cerosidade nos agregados estruturais dos Argissolos, Luvissolos, Nitossolos, e Chernossolos. Por outro lado, a translocação química da matéria orgânica e dos óxidos de ferro e alumínio do horizonte A para o horizonte B é específica dos Espodossolos. A adição pode ser de matéria orgânica na camada arável, sais por capilaridade nos solos salinos, e de materiais trazidos pelo vento (poeiras industriais contendo substâncias tóxicas, cinzas vulcânicas e cinzas das queimadas), a remoção dos elementos químicos exportados na colheita das plantas, das enxurradas e queimadas, das migrações laterais e em profundidade no perfil de solo completam a pedogênese.
( Hélio do Prado )
Comentário de Neydinha em 29 setembro 2010 às 20:09
É interessante debater sobre assuntos relacionados à física dos solos,uma vez que o pleno conhecimento da mesma,nos leva a ações bem sucedidas quanto ao manejo,irrigação e tantas outras.
Parabéns a quem criou esse grupo!!!!
 

Membros (199)

 
 
 

© 2021   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço