Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Faleceu Charles Frederick Robbs



Comunicamos o falecimento do professor Charles Robbs da UFRRJ.

Considerado o maior fitobacteriologista brasileiro de todos os tempos, o Prof Robbs possui mais de uma centena de publicações e identificou diversas espécies de bactérias fitopatogênicas.

 

Coordenador e grande incentivador do Departamento de Fitopatologia e Microbiologia da UFRRJ.


O velório ocorre hoje, 4 de janeiro a partir das 10h, no Memorial do Carmo no bairro do Caju, Rio de Janeiro e seu sepultamento será no Cemitério São Francisco Xavier à tarde.

 

Curriculo

 Professor Assistente da Cadeira de Fitopatologia e Microbiologia Agrícola, Escola Nacional de Agronomia, de 1944 a 1946 e 1949 a 1956;

· Professor -Adjunto  em  tempo  parcial, Universidade Rural do Brasil e Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, 1963 a 1974;

· Doutor nas disciplinas de Fitopatologia e Microbiologia Agrícola, em decorrência do concurso de Livre Docente em 1970;

· Professor-Adjunto em  regime de tempo integral e dedicação exclusiva (RETIDE), responsável pelo projeto de pesquisa  - BACTÉRIAS FITOPATOGÔNICAS DO BRASIL, subprojeto: TAXONOMIA E SOBREVIVÊNCIA DE ESPÉCIES DE Xanthomonas e Pseudomonas FITOPATOGÔNICAS, 1974 a 1981;

· Professor-Adjunto nível IV a partir de 1981;

· Professor Emérito da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - UFRRJ - Departamento de Entomologia & Fitopatologia, Instituto de Biologia. Seropédica-RJ. 1993;

· Consultor em Fitossanidade.

No Serviço Público Estadual

· Engenheiro Agrônomo chefe de Distrito Agrícola de 1946-1948;

· Engenheiro Agrônomo do Quadro Permanente da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do ex-Distrito Federal nomeado através' concurso de provas e títulos, logrando 10º lugar em turma de 60 candidatos;

· Chefe do Setor de Defesa Sanitária Vegetal da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do ex-Distrito Federal, de 1948-1967;

· Chefe do Serviço de Defesa Sanitária Vegetal da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado da Guanabara, primeira ocupação, de 1967-1974, aposentando-se no cargo em 1974;

· Pesquisador da EMBRAPA/CNPDA, Jaguariúna, SP por concurso de Títulos, de 1985 a 1990, e no CTAA, Guaratiba, Rio de Janeiro/RJ, a partir de 1991. Atualmente Pesquisador III, nível 65, desenvolvendo projetos de pesquisa em: Controle Biológico e Patologia Pós-colheita de Frutíferas e Hortaliças.

Informações Complementares

· Tornou-se Professor Livre Docente em 1967 e Professor Emérito em 1993 pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Participou de inúmeras bancas examinadoras de Concursos e Avaliação de Cursos de Pós Graduação, tendo inclusive participado da Banca examinadora que revalidou o currículo da Pesquisadora Dra. Johana Dobereiner em 1959 na UFRRJ. Atuou como Professor em diversas atividades de graduação e Pós Graduação em diversas Instituições de Ensino e Pesquisa. Contribuiu em muitas atividades de ensino e extensão a lavradores, treinamento de extensionistas e em diversas conferências, palestras e eventos de Natureza Técnico-Científicas. Participou inúmeras vezes em colegiados, assessorias, grupos de trabalho, convênios e como pesquisador de órgãos da Administração Pública.

· O Professor Charles Robbs participou de inúmeras Teses de Mestrado e Doutorado como orientador e como membro de Bancas examinadoras. Participou ativamente da Sociedade Brasileira de Olericultura e da Sociedade Brasileira de Fitopatologia, inclusive como Presidente.  Participou de inúmeros Congressos, Seminários, Palestras, etc.

Participação em Colegiados, Assessorias, Grupos de Trabalho, Convênios e como Pesquisador em Órgãos da Administração Pública

· Membro do Conselho Universitário  da Universidade Rural do Brasil, eleito como representante dos Cursos de Pós-Graduação, nos períodos de 1959-1961 e 1964-1967;

· Membro eleito do Conselho de Pesquisas da Universidade Rural do Brasil, no período de 1964-1967;

· Representante eleito do Conselho Departamental do Departamento de Biologia Vegetal, Instituto de Biologia, UFRRJ, nos períodos de 1973-1975 e 1976-1979;

· Representante da  UFRRJ e  da  Delegação Brasileira, junto ao Grupo de Trabalho da "Reunion Técnica Internacional de Professores de   Fitopatologia, Entomologia e Terapêutica Vegetal", em carreiras profissionais agropecuárias  por indicação do Conselho Universitário , Assunção, Paraguai, 1972;

· Eleito para o Comitê Assessor de Agronomia, Alimentos e Recursos Florestais,  área de fitossanidade, no julgamento de pedidos de bolsas e auxílios ao CNPq, 1978 e como Coordenador do Comitê em 1979;

· Bolsista nível 1A (conferencista) desenvolvendo o projeto "Bactérias fitopatogênicas do Brasil", do CNPq, a partir de 1980 e posteriormente em 1985-95, como bolsista em “Controle Biológico”;

· Como colaborador (bacteriologista) do Projeto 10 do Escritório Técnico Americano (ETA), na identificação e controle de bactérias patogênicas à batateira no Brasil, 1956-1972;

· Como colaborador (fitopatologista) no convênio Ministério' da Agricultura/USAID-BR, subprojeto: "Desenvolvimento da citricultura", na identificação de patógenos de plantas cítricas e entomopatógenos de pragas cítricas, RJ, 1962-1966;

· Formulando recomendações técnicas e sugestões, por ocasião do I Encontro de Fitopatologia de Cultivos Tropicais, promovido pela CEPLAC, Itabuna, BA, 1968.

· Como Fitopatologista colaborador da Divisão de Defesa Sanitária Vegetal (DDSV) do M.A., com destaque nas seguintes atuações:

· Inspeção de mudas de oliveira importadas da Argentina, onde identificou o agente da "tuberculose" da oliveira, 1956;

· Na Identificação do agente da "fusariose" do abacaxizeiro, com a participação dos colegas Mário Amaral e José' C. Dianese,  por solicitação da Cooperativa Agrícola Cotia, 1962;

· Na Identificação do agente da "ferrugem" do cafeeiro com a Participação do colega Arnaldo G. Medeiros, e solicitação da CEPLAC/CEPEC, ITABUNA, BA, 1970;

· Na Identificação da raça II, estirpe SFR, agente do moko da bananeira (Pseudomonas solanacearum), em material procedente do Amapá  em colaboração com o colega O. Kimura, 1976;

· Como colaborador do Laboratório Regional de Apoio Vegetal do sudeste, (LARV/SE), Seção de Identificação de doenças e pragas (SID) em convênio com a UFRRJ, Pinheiral, RJ, 1983;

· Como Chefe do Serviço de Defesa Sanitária Vegetal do antigo Distrito Federal, identificando o agente do "mal de sigatoka" (Pseudocercospora musae) at' então assinalado somente na região amazônica, 1952;

· Na identificação e sobrevivência de patógenos do cafeeiro no Brasil, como coordenador do convênio GERCA-IBC/UFRRJ, 1972-1980;

· Como fitopatologista colaborador da EMBRAPA e suas empresas estaduais, com as seguintes atuações:

· Na programação de trabalhos e projetos de pesquisas pritoritárias para a implantação do CNPMF, em abacaxi, Salvador e Cruz das Almas, BA, 1975;

· Nas avaliações dos sistemas de produção para o tomateiro EMBRAPA e PESAGRO, 1976;

· Em levantamentos fitopatológicos solicitados pela EMCAPA, Espírito Santo, 1975-1978:

· Colaborando com o grupo de trabalho para a Identificação e controle da enfermidade conhecida por "fogo do coqueiro" e causada por Botryodiplodia theobromae, Sergipe, 1977-1978;

· Colaborando com o grupo de trabalho elaborado para avaliação e programação das atividades da UEPAE-MANAUS, AM, 1979;

· Representante da UFRRJ na Comissão Nacional de Controle ao "moko" da bananeira, coordenada pela DDSV do Ministério' da Agricultura, participando com recomendações a partir de 1979;

· Representante da UFRRJ na Comissão Nacional de Erradicação do Cancro Cítrico, coordenada pelo Ministério' da Agricultura, com o objetivo de avaliar o trabalho da CANEC (Comissão de Erradicação do Cancro Cítrico) e fazer recomendações, a partir de 1979;

· Representante da UFRRJ no Grupo de Certificação de Batata-Semente, AGIPLAN, Ministério' da Agricultura, com o objetivo de avaliar os critérios' adotados na certificação, a partir de 1980;

· Assessor científico e membro do Conselho Editorial das revistas: Fitopatologia Brasileira, Pesquisa Agropecuária (1979-1983) e Arquivos da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (a partir de 1982) e Revisão Anual de Patologia de Plantas (1993);

· Como perito, juntamente com o Dr. Moacyr Maestri, para a identificação de uma desfolha de cafeeiros atingindo um milhão de pés, em municípios do norte do Paraná, atribuídos a um emprego inadequado de inseticida, 1962, solicitado pela SHELL S.A.;

· Como perito para identificação de uma necrose coteledonar da soja, solicitado pela Metalgráfica Rio Industrial S.A., atribuída a patógenos, Monte Alegre, MG, 1977;

· Assessor científico "ad hoc" das instituições: CNPq, FAPESP, FAPERJ E FINEP, no julgamento de bolas e apreciação de relatórios técnicos de 1989 a 1993;

· Como perito, juntamente com o DR. Elio Corseuil, para a identificação da morte de 500.000 pés de pessegueiros em municípios vizinhos à Pelotas/RS, atribuídos pela AGROCICA a recomendação inadequada de inseticida pel SHELL, e por esta solicitada, 1984-1987;

· Consultorias através de convênios com a EMBRAPA em agricultura empresarial, MAISA (Mossoró-RN), FRUNORTE (Açu-RN), AGRONOL (Barreiras-BA), 1993 – 1996;

Homenagens Recebidas

· Homenageado pelas seguintes turmas de Engenharia Agronômica: 1951, 1960, 1961, 1962, 1963, 1964, 1965, 1966, 1967, 1968, 1969, 1970, 1971 (patrono), 1972, 1973, 1978 e 1982; Engenharia Florestal: 1972 e 1973.

· Presidente da Sociedade de Olericultura do Brasil em 1967 e da Sociedade Brasileira de Fitopatologia em 1979 e 1980.

· Conselheiro eleito por votação da assembléia'ia da Sociedade Brasileira de Fitopatologia, nos anos: 1966, 1967, 1968, 1969, 1971, 1972, 1973, 1974, 1975, 1981, 1982 e 1983.

· Distinguido com o Cartão de Prata pela Sociedade Nacional de Agricultura, tendo em vista a série de artigos técnicos relacionados com a defesa fitossanitária da região carioca-fluminense, publicados na A Lavoura, Rio de Janeiro, 1973-1974.

· Distinguido com o diploma de Serviços Relevantes em Primeiro Grau, pelo Exmo Sr. Governador do Estado da Guanabara, por ocasião de sua aposentadoria, 1974.

· Eleito Sócio Titular da Sociedade Nacional de Agricultura, passando a integrar o Conselho Superior e ocupando a cadeira número 26, da qual ' patrono e saudoso entomologista brasileiro, Carlos Moreira, 1974.

· Agraciado com a Medalha de Mérito Agronômico do Brasil, pelos relevantes serviços prestados à agricultura nacional, pela Federação das Associações de Engenheiros Agrônomos do Brasil, São Paulo, SP, 1975.

· Agraciado pela EMATER-MG com JEEP DE BRONZE, pelos serviços prestados à olericultura brasileira, Lavras, 1976.

· Agraciado pela Sociedade Brasileira de Fitopatologia com o Prêmio Arnaldo Gomes Medeiros, pelos estudos e contribuições no campo da fitobacteriologia, 1980.
· Agraciado com a Medalha Comemorativa dos 30 anos de CNPq, pela inestimável contribuição prestada à pesquisa, 1981.

· Recebendo a Homenagem  Especial concedida pela Sociedade Brasileira de Fitopatologia aos pioneiros da Fitopatologia no Brasil, em ato solene realizado no Instituo Biológico, 1982.

· Chairman  do  "Discussion  Group X-Special problems on plant bacteriology in the tropics" V Conf. Int. Bactérias. Fitop., Cali, Colombia, 1981.

· Agraciado com o Prêmio Paulista de Fito-patologia pela relevante contribuição à Fitopatologia em SP e no Brasil, SP, 1987.

· Designação “Sala Prof. Charles robbs”, prédio da Seção de Bateriologia Fitopatológica do Instituto Biológico de São Paulo, Estação Experimental de Campinas, 1990.

· Designação “pavilhão de fitopatologia prof. Charles robbs”, no prédio da Seção de Biotecnologia da EMBRAPA/CNPDA, homenagem prestada pelos pesquisadores da Unidade de Jaguariúna, 1991.

· Homenageado pela Comissão Organizadora do Curso de Receituário Agrônomo por ocasião da abertura do XII International Plant Protection Congress, com uma placa, “tendo em vista os relevantes serviços prestados, como fitossanitarista, 1991.

· Agraciado com o título de Professor Emérito da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica/RJ, 1993.

· Autobiografia: Charles Frederick Robbs.  Revisão Anual de Patologia de Plantas, Vol. 8, pags. 365-390, 2000.

· "Prêmio Johanna Döbereiner" 2004: Charles Frederick Robbs.  Conferido pelo Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Rio de Janeiro - Crea-RJ,  em reconhecimento às personalidades que tenham se distinguido por suas posições, ações, trabalhos, estudos e projetos na área de Agronomia.

Publicações

· Publicou até esta data, 96 artigos científicos em periódicos de relevância internacional e Nacional;

· Publicou 66 trabalhos em Congressos;

· Publicou 47 trabalhos de Divulgação Técnica

Fonte: CONFEA





Exibições: 698

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de CARLOS ALBERTO DE CONTI em 22 janeiro 2012 às 3:04

Ainda sobre o inesquecível e iniqualável Prof. Charles Robbs: tive a grata satisfação de ter sido seu aluno no curso de agronomia e também no curso de Fitossanitarismo, por ele oferico a um grupo de alunos, à noite, ainda durante o período de graduação. Colegas: tudo o que foi falado sobre o prof. Charles é absolutamente verdadeiro e merecido.Mas ainda é pouco. Além da sua inestimável contribuição à Ciência da Fitopatologia, para nós seus ex-alunos e colaboradores, fica a imagem de uma pessoa fantástica, de um ser humano rar, daqueles que gostavam de discutir, de dialogar, de ensinar e de aprender todos os dias, incluindo feriados e finais de semana. De fato ele tinha o dom de pesquisador e de transmissor de conhecimento: ele adorava ser cientirsta e professor. E tinha um magnetismo pessoal impressionante. A quem não teve a oportunidade de conversar pelo menos uma vez com ele, digo em verdade que "era amor à primeira vista". Ele, com seu olhar, com seu gestual e com seu entusiasmo de conversar não somente sobre bactérias e fungos de interesse fitopatológico, mas também juntando virus, fitoplasmas, ácaros,nematóides e  insetos às doenças abióticas susceptíveis de virem a confundir o diagnóstico, tanto a nível de laborat[orio quanto diretamente no campo. Portanto, sair com ele para um "passeio" pelo campo, conforme todos que o fizeram podem confirmar, era sinônimo de uma aula fantástica, um verdadeiro privilégio. Portanto, reitero solicitação que fiz ao CREA/RJ e que gostaria que toda a Rede endossasse a idéia: eternizar o nome "Charles Frederic Robbs" para um prêmio a pesquisadores que se vierem a se destacar na área de Fitofatologia e/ou Fitossanitarismo. Obrigado prof. Charles por poder desfrutar um pouco de seu tempo e de sua sapiência. Obrigado meu Deus por me permitir conhecê-lo. Doravante ele é Seu. CACONTI.

Comentário de Luiz Paulo Vieira Fernandes em 18 janeiro 2012 às 15:13

Não sou formado pela UFRRJ mas conhecí o professor Robbs em cursos para nós da Defesa Agropecuária. A pesquisa agropecuária, a agropecuária de maneira geral sofreu um grande golpe. Uma lástima!

 

Comentário de Mauro Domingues Alencar em 9 janeiro 2012 às 8:43

   É com muita tristeza que compatilho com toda classe agronômica este momento e expressar os pêsames à toda família. Tive o prazer de conhecer o mestre a partir da segunda metade da década de 70 e início de 80.

Comentário de Ibá dos Santos Silva em 5 janeiro 2012 às 1:29

Nossa, muito triste.

Charles Robbs foi meu professor, e só me lembrava dele jovem.

Venho me somar aos colegas e familiares na tristeza pelo falecimento do querido mestre.

Obrigado Fugimoto por ter avisado.

Um abraço,

Ibá.

Comentário de Francisco Ribeiro do Vale em 4 janeiro 2012 às 17:30
Prezados amigos, compartilho dos mesmos sentimentos de todos os amigos do Prof. Charles Robbes. Tive o prazer e o privilégio de conviver com ele, como membro da Sociedade Brasileira de Fitopatologia, durante muitos anos, desde a década de 70. Realmente o Prof. Charles Robbs foi um dos ícones da Fitopatologia Brasileira e será sempre lembrado por todos nós. Manifestamos nossas condolências a toda família do Prof. Charles Robbs.
Francisco do Vale
Comentário de José Leonel Rocha Lima em 4 janeiro 2012 às 15:47

A Classe Agronômica do Rio de Janeiro está de luto pela perda do grande Engenheiro Agrônomo Professor Charles Robbs.

Maior fitobacteriologista brasileiro de todos os tempos com centenas de publicações.

Professor Livre Docente em 1967 e Professor Emérito em 1993 pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

Coordenador e incentivador do Departamento de Fitopatologia e Microbiologia da UFRRJ.

Com currículo extenso homenageado nacional e internacionalmente.

A AEARJ - Associação dos Engenheiros Agrônomos do Rio de Janeiro haverá de prestar homenagens ao já saudoso colega.

Leonel Rocha Lima

Presidente da AEARJ

Comentário de Osvaldo Neves em 4 janeiro 2012 às 12:17

pesar pelo falecimento do Prof.Charles

Comentário de Paulo Rogério Nunes em 4 janeiro 2012 às 11:10

Prof. Charles Robbs - grande e inesquecível mestre. Fui seu aluno e colaborador durante o curso de Agronomia do qual trago ensinamentos que me foram úteis durante meus 47 anos de profissão.

Deixo aqui registrados meus votos de pesar pela irreparável perda e meus pêsames aos seus familiares e à toda Agronomia.

Que Deus lhe proporcione um merecido repouso eterno.

Comentário de Ademir Vieira da Silva em 4 janeiro 2012 às 10:44

Prof. Charles  Frederick Robbs, nossa homenagem ao Grande Mestre pelos ensinamentos recebidos, suas reflexões, sua amizade sincera, por sua grande contribuição à ciência da fitopatologia, como cientista e incentivador de seus alunos. Fui seu aluno formado em 1972 e tenho seus ensinamentos presentes nos 40 anos que exerço a profissão. Obrigado Mestre, sinto-me honrado por ter sido seu aluno e muitas vezes ter conseguido compatilhar suas obras que ficarão para eternidade. Meu profundos sentimento aos seus amigos, companheiros e familiares. Estarás certamente repousando na tenda do Senhor...

Comentário de Celso Merola Junger em 4 janeiro 2012 às 9:50

Sinto muito!!!! Dr Charles Robbs foi meu Professor, o que muito me orgulha, mais que isso, foi um exemplo , um espelho para muitos colegas que seguiram o caminho da proteção de plantas...

© 2021   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço