Fim da Rede Agronomia

Rede Agronomia vai Encerrar!

Tomei a decisão de encerrar as atividades da Rede Agronomia nesta plataforma NING por não poder mais suportar os custos de sua manutenção sozinho. 

Após 12 anos de atividades, caminhamos para o encerramento da Rede Agronomia nesta plataforma NING. A Rede foi criada em 24 de março de 2009, numa reunião da AEARJ sobre estratégias de comunicação. Sugeri então, a criação deste espaço. Como já vinha trabalhando com redes sociais presenciais, a proposta foi uma saída mais interativa que o desenvolvimento de um site. 

Na rede não há um emissor para muitos receptores, todos são emissores e receptores, influenciam e são influenciados, opinam e acolhem opiniões. Pontos de vista serão confrontados respeitando-se as diferentes posições. Dizia então que não via nada mais próximo de uma democracia. Continuo acreditando nisso!

Nos 10 anos da Rede Agronomia fiz um balanço do tempo e dinheiro investido nesta atividade. Só no pagamento da hospedagem desse espaço já foram gastos mais de R$ 16 mil, atualizado para o dólar de hoje. A anuidade custa U$ 239,90. Além disso estimei, por baixo, que gastava em torno de 300 horas na interação e produção de postagens. Se fosse valorar essa dedicação, seriam R$ 60 mil por ano. 

Realizações da Rede Agronomia

Nesses 12 anos a Rede Agronomia tornou-se um espaço de referência estimulando o debate e a mobilização em torno de temas de interesse da categoria. 

Já foram mais de 2.550 postagens de blogs, mais de 120 grupos de discussão entre os 8.577 membros. Neste tempo e espaço mobilizamos contra Projetos de Lei que nos prejudicavam como os da Zootecnia, de Sementes e Mudas. Divulgamos ainda a criação do novo Código Florestal. Vagas de emprego divulgadas, bem como comunicados e debates técnicos.

Travamos debates acalorados sobre temas em que concordamos e discordamos, produzindo mais clareza para quem participou e assistiu. Principalmente fizemos amigos e parceiros de lutas, que não teríamos conseguido sem essa plataforma. Neste particular agradeço imensamente as amizades que aqui criei!

Quando

A Rede Agronomia na sua plataforma NING vai encerrar as atividades em 20 de julho de 2022, quando vence o período de renovação da assinatura

Que saídas

A única forma de manter a Rede Agronomia no ar seria uma mobilização de seus membros para custear sua manutenção que está em U$ 239,90 que está inviável para mantê-la sozinho. 

Tenho feito isso por 12 anos a um custo de U$ 2.878. Considero minha contribuição para a organização da Agronomia ao longo desses anos, sem contar todas as horas trabalhadas neste projeto de interesse coletivo. 

Já fiz, no início da rede, uma campanha de contribuição entre os membros, mas teve baixa adesão. A AEARJ complementou o pagamento do primeiro ano, que teve valor reduzido. 

Enfim, aguardemos as manifestações que determinarão ou não a continuidade desta rede que teve papel importante na organização e conexão da categoria.

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Rede Agronomia.

Comentários

  • Caro Guerreiro Gilberto Fugimoto,

    Minha admiração e respeito pela sua dedicação e luta pela Classe Agronômica. Conheço a frustração que você e alguns Colegas estão sentindo. A luta classista dos Engenheiros Agrônomos não é tarefa fácil. Grande parte da Classe se tornou insensível às tratativas coletivas. É uma pena! Confesso participar pouco da Rede, porém considero uma grande perda seu encerramento e, por esta razão, também me disponho a contribuir para ajudar a mantê-la, ou outra rede mais em conta, caso esteja disposto a continuar a luta. Pode me acionar no particular. Caso contrário, agradeço pelo que fez e vamos tocando em frente... Forte abraço. José Adilson.

  • Gilberto,

    bom  dia,

    Por favor, nos informe: De sua MSG, temos 6 comentários? Somente seis comentários? Desde já agradeço, abr Rodolfo

  • Caro Gilberto, boa tarde!

    Lamentável essa situação a que chegamos, vivemos esse dilema em outras associações da classe agronômica. Porque isso ocorre, não sei responder. Estou disposto a manter vivo este canal, a Rede Agronomia!

  • Caros amigos,

    Agradeço a manifestação de cada um em apoio e reconhecimento ao trabalho realizado pela Rede Agronomia. Muitos aqui se mostraram favoráveis a um tipo de contribuição que permita a continuidade da rede na plataforma NING. 

    Para saber ser vale a pena sua continuidade e de que forma os colegas poderiam contribuir, estou compartilhando formulário para avaliarmos se continuamos ou não com esse projeto coletivo.

    Mais uma vez agradeço. Grande abraço

    https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdMbUpKSCnG6Iv1ooPGfmdfoUF...

  • A Rede Agronomia tem sido canal de inestimável valor  para debate e ações de divulgação das ações de defesa e valorização da classe agronômica.  É imprescindível que ele continue e para isso me somo aos que possam diante dessa situação contribuir para que ele possam continuar. Temos aqui um acervo de  grande importância para classe agronômica e espero que possamos construir alternativa rápida para ajudar a manter o site.

  • Puxa Vida, caro Gilberto. A REDE, um instrumento da maior relevância para a Classe Agronômica. Não sei o que dizer. Estou meio pasmo. Certo, já com meus 82 anos, vejo tudo como o Final da Vida, o Final dos Tempos. E valeria a pena, eu, nessa altura da Vida,me predispor à pagar, vamos dizer, 10% da anuidade, ou 25 dólares? Dos 8.500 membros, bastariam mais 9 membros para pagar esses 25 dólares cada um. De outro lado, se 3 % dos 8.500 membros, pagassem somente UM dólar, já estaria resolvida a questão! Meros 250 membros! Não sei o que dizer, mesmo. Temos 8.500 membros e não há envolvimento? Nem de 250 membros à UM DÓLAR CADA? A recíproca é: SE entre 8.500 membros, não temos 250 à um dólar cada, será que vale a pena continuar esse trabalho seu? Será que não há mais o ESPÍRITO DE  CLASSE? O que acontece com os Engenheiros Agrônomos? O que acontece de ERRADO com os Engenheiros Agrônomos? Olhando à distancia os amigos ARQUITETOS, parece-me que isso não acontece com eles. A distância me parece uma classe muito mais aguerrida e ciosa de suas responsabilidades sociais. Como Engenheiro Agrônomo Paisagista, (muitos trabalhos na escala do km2), trabalhei nesses 59 anos de formado - 59 anos: meio século + 9 naos, em trabalhos de equipe com engenheiros civis, arquitetos, geólogos, geógrafos, sociólogos e não percebí nesses profissionais tal desapago, tal AUSÊNCIA DE AMOR - é como se - arriscando-me, como se fosse falta de consciência profissional, falta de valor de si próprio - sempre voltando às palavras chave iniciais: "não sei o que dizer'... ... LAMENTÁVEL é pouco! Então é isso, Para dez por cento dos 250, estou aqui a sua disposição. Preferia me dispor à meros UM DÓLAR, não por economia, mas por ESPÍRITO DE CLASSE, pois eu saberia que existem ao menos 250 colegas em 8.500 membros que cederiam esses UM DÓLAR,em benefício e respeito à nossa profissão, uma das "mais maravilhosas" profissões do mundo pois preocupam-se com a alimentação física da HUMANIDADE! Tudo de bom,. Gilberto, Abraços. R. rodolfogeiser@gmail.com 

  • Prezado Gilberto,

    Incialmente quero agradecer-lhe por todo seu empenho em manter a Rede Agronomia no ar, ao longo desses anos. Este e um instrumento extraordinário de comunicação entre os profissionais da engenharia agronômica, bem como, destes, com os dirigentes das nossas entidades profissionais, dentre os quais você se enquadra.

    Entendo perfeitamente as razões que o levam a propor o encerramento das atividades da Rede, no entanto, considero inadimissível que nós, cerca de 8000 usuários, deixemos isso acontecer e até a própria CONFAEAB poderia assumir esse custo.

    De qualquer sorte, a decisão é sua. Se quiser manter, envie seu PIX para que nós, os engenheiros agrônomos, maiores interessados no funcionamento desse poderoso instrumento de comunicação, contribuamos com os custos de manutenção.

    Forte abraço, amigo.

    Eduardo H. Rode
  • Lamentável esta notícia, a RITDA também era uma rede NING acabou por conta de falta de recursos e apoio, infelizmente a REDE NING é paga em dólar, uma ferramenta muito custosa sem incentivo, apoio e parcerias fica impossível de manter. Existem diversos investimentos em conteúdos por ai tão inúteis a sociedade, existe tanta visibilidade e apoio financeiros em tantas coisas desprezíveis, infelizmente as pessoas não dão valor a essas ferramentas que colaboram com o conhecimento e visibilidade da área, Ficamos cada dia sem espaço e sem voz, uma pena isso. Mas tenta se articular e criar um INSTAGRAM e LINKEDIN sendo estas  redes de mídia gratuita onde esta obtendo uma maior adesão, até mais que o FACEBOOK. 

  • Grande Gilberto!

    Deixo a sugestão de migrar para plataforma Linkedin, evitando tais custos.

    Ab. 

    Eng. Agr. Victor Ferreira 

This reply was deleted.