agronomo (15)

Live Perícia em Proagro

Convite para Live Perícia em Proagro

 

Se inscreve aqui em baixo pra gente te lembrar!

14 de novembro, segunda-feira, 19h

10879851499?profile=RESIZE_710x

https://proagro.pagina.store/live-proagro-t32

 

Nessa LIVE estaremos com o colega Engenheiro Agrônomo Eduardo Teixeira Mendes, profissional com vasta experiência em perícia de PROAGRO e Seguro Rural.

Se você está realmente interessado em se orientar em perícia de PROAGRO e tem alguma dúvida sobre mercado de trabalho e técnicas de realização de perícia, a hora é essa.

Nessa live a gente vai apresentar a voce um pouco do PROAGRO e já vamos anunciar a abertura das inscrições

Atenção: PROMOÇÃO ESPECIAL pra quem assistir a LIVE até o final!

https://youtu.be/sF2Va58ffFw

Nos vemos lá, Grande abraço

Saiba mais…

Vitória no PL da Zootecnia

Vitória no PL!!!

10637608667?profile=original

Parabéns aos Engenheiros Agrônomos organizados em Associações Regionais / Estaduais e coordenados pela CONFAEAB!
.
Essa luta gerou bons frutos para nossa categoria agronômica!
.
Nossa mobilização gerou o convencimento para retirada de tramitação do PL 1428/2021 pelo autor Senador Zequinha Marinho.
.
Mais uma prova que ZOOTECNIA é sim, atribuição profissional da AGRONOMIA!
.
Viva a nossa organização!
Saiba mais…

Dia do Engenheiro Agrônomo

Dia do Engenheiro Agrônomo

10637608098?profile=original

Confaeab e Rede Agronomia comemoram Dia do Engenheiro Agrônomo!

Neste dia a Rede Agronomia se soma à CONFAEAB - Confederação dos Engenheiros Agrônomos do Brasil, em comemoração ao Dia do Engenheiro Agrônomo.

A comemoração é uma alusão á data de publicação do Decreto nº 23.196 de 12 de outubro de 1933 que regulamenta a profissão de engenheiro agrônomo.

Parabéns a todos pelo seu dia!

Saiba mais…

Live Segurança do Trabalho Rural e Agronomia

Qual é a importância da Segurança do Trabalho no meio rural?
10637607697?profile=original
24 de maio de 2021, às 19h
A Segurança do Trabalho rural e os papeis dos profissionais. A NR 31: informações e definições comentadas por renomados profissionais.
 
SE INSCREVA PARA ACOMPANHAR!
VAGAS LIMITADAS!
Realização da Associação Nacional de Engenharia de Segurança do Trabalho - ANEST, Confederação dos Engenheiros Agrônomos do Brasil – CONFAEAB, Associação Sul Riograndense de Engenharia de Segurança do Trabalho - ARES, Associação Mato-Grossense de Engenharia de Segurança do Trabalho - AMAEST e o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio Grande do Sul - CREA-RS.

Dia 24 de maio de 2021, às 19h
Vamos discutir sobre a Segurança do Trabalho no meio rural e os papeis dos profissionais. A NR 31 é coberta de informações e definições peculiares onde os renomados profissionais convidados estarão comentando.
PALESTRANTES:
- Valéria Costa Eller de Souza é Engenheira Agrônoma, Especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho e Produção de Sementes, Mestre em Prevenção de Riscos Laborais e vai abordar os detalhes da legislação rural;

- Andréa Brondani da Rocha é Engenheira Agrônoma (UFRGS) , com Doutorado em Fisiologia Vegetal (UNICAMP). Atualmente cursando pós-graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho, atua como assessora técnica no Senado Federal, em projetos de infraestrutura e logística. Seu foco será as características dos serviços e das obras, e sua relação com as NRs;
- Kleber Santos e Engenheiro Agrônomo (UFSC), Mestre em Gestão Econômica do Meio Ambiente (UnB). No Sistema Profissional atualmente é Presidente da CONFAEAB. Foi Conselheiro Federal no CONFEA, em quatro mandatos Coordenador Nacional das Câmaras Especializadas de Agronomia.
O debate será mediado por:
Benvenuto Gonçalves Júnior - Presidente da Associação Nacional de Engenharia de Segurança do Trabalho - ANEST;

As inscrições são gratuitas e o evento confere CERTIFICADO!
Saiba mais…

Rastreabilidade de Agrotóxicos SC

Santa Catarina Promove Monitoramento Resíduos Agrotóxicos em Alimentos

10637595687?profile=original

Em reunião on line realizada entre a Confederação de Engenheiros Agrônomos do Brasil - Confaeab, Federação dos Engenheiros Agrônomos de Santa Catarina - Feagro e engenheiros agrônomos da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina - CIDASC, fomos apresentados ao Programa Estadual de Monitoramento de Resíduos de Agrotóxicos.

10637597257?profile=original

Leis Não Impedem Acidente

Como histórico, apesar da legislação estadual de agrotóxicos datar de 1998 com a Lei Estadual nº 11.069/1998, apenas em 2005, com o decreto estadual nº 3.657 / 2005 é que iniciaram-se ações políticas efetivas no controle do uso, comercialização e consumo de agrotóxicos em Santa Catarina. Atualmente está em vigor o Decreto nº 1.331/2017 que substituiu o decreto de 2005.

Entretanto, a existência da legislação, não impediu a ocorrência em 2009 de um acidente com deriva de agrotóxico na região da grande Florianópolis, que gerou uma ação do Ministério Público de Santa Catarina. Desde então o MP SC tem sido um ator importante, coordenando ações para cumprimento e adoção de políticas de prevenção à contaminação por agrotóxicos. 

Mais que cobrar, o MP SC coordena o Programa Alimento Sem Risco (PASR) E chegou a custear, através do Fundo de de Recuperação de Bens Lesados, a análise de 500 amostras por ano em alimentos, desde 2011, em colaboração com a CIDAS, EPAGRI, CEASA e demais órgão públicos. 

Como esperado a coleta sistemática de alimentos acabou evidenciando inconformidades, mas sua implantação caminhou no sentido de promover a inclusão dos envolvidos muito mais que a punição ou exclusão dos produtores, entendendo que o processo de implantação promove uma mudança de cultura no modo de produção de muitos produtores rurais. 

Produto com Nome e Sobrenome

Desde 2017, o Estado de Santa Catarina conta com o Programa de Indicadores do Governo de SC, que criou um voltado à Conformidade dos Alimentos, que envolve medir resíduos de agrotóxicos.  

A esse ambiente favorável ao controle da qualidade dos alimentos somou-se o recente Programa de Indicadores do Governo de SC, que criou um indicador voltado à Conformidade dos Alimentos, que envolve medir resíduos de agrotóxicos.


E a fim de complementar e continuar o Programa Alimento Sem Risco, o poder público via pasta da Agricultura, recentemente permitiu levantar recursos do Fundo de Desenvolvimento Rural no valor de R$ 1,2 milhões para desenvolver o monitoramento e controlar a qualidade dos alimentos em relação aos resíduos de agrotóxicos, identificar fontes de contaminação de polinizadores, e fiscalizar insumos ofertados aos agricultores catarinenses a fim de coibir o comércio e uso de agrotóxicos falsificados e sem registro junto ao órgão federal.

10637599054?profile=original

Desafio de Controle do Lote

Desafios do Atual Programa

O atual programa analisará 900 amostras de monitoramento de produtos de agricultura convencional e orgânica usando técnica multiresíduos, totalizando 290 diferentes ingredientes ativos de agrotóxicos. Além disso, 50 amostras de insumos comerciais serão analisandos para aferir resíduos de agrotóxicos e outras 50 para análises de mortalidade de polinizadores, pois SC é o maior exportador de mel do país. 

Há ainda análise sobre eventuais falsificações de insumos, como fertilizantes e agrotóxicos. 

O total do programa deve consumir R$ 1,2 milhões anuais, sendo que o primeiro ano de implantação, as despesas com investimentos devem atingir R$ 1,8 milhões, com sistemas de informação para tabulação e divulgação dos resultados. 

Dentre os desafios para aperfeiçoamento do programa, é garantir o controle da rastreabilidade a nível de LOTE do produto, garantindo sua identificação e rastreabilidade com conferência em caderno de campo claramente documentado inclusive quanto à regularidade de assistência técnica e aplicação de agrotóxicos com o devido Receituário Agronômico

Além disso, internamente o Sistema de Controle gerenciado pela CIDASC, o SIGEN+, busca aperfeiçoamento no cruzamento de dados entre o Receituário emitido e a venda do produtor, e no futuro com a rastreabilidade dos alimentos. Embora seja uma consequência lógica, sua implementação demanda uma reforma complexa, trabalhosa e onerosa de sistemas e dados. 

Receituário Agronômico e Valorização Profissional

Um programa consistente de controle de resíduos de agrotóxicos, que garanta seriedade na emissão de Receituário Agronômico e consequente aplicação de agrotóxicos atrelada à Assistência Técnica Agronômica ao produtor rural é um esforço público e coletivo de valorização profissional que abre espaço de trabalho para o engenheiro agrônomo e promove maior rentabilidade e produtividade ao produtor rural. 

Uma política pública em que todos - profissionais, produtores e sociedade - saem ganhando.

Saiba mais…

CONFAEAB propõe Política Nacional de Conservação do Solo e Água

10637595299?profile=original

A Confederação dos Engenheiros Agrônomos do Brasil - Confaeab  de forma propositiva e inovadora criou, por portaria interna, um Grupo de Trabalho  para elaboração da minuta de Projeto de Lei para instituir a Política Nacional de Conservação do Solo e Água

A criação do GT é um encaminhamento de deliberação do XXXI Congresso Brasileiro de Agronomia - CBA Rio 2019,  que aprovou encaminhamento para “elaborar e sensibilizar parlamentares pela aprovação de projeto de lei para instituir a Política Nacional de Conservação do Solo e Água” (vide, Carta do Rio de Janeiro, de 23 de agosto de 2019).

O Grupo de Trabalho será constituído pelos Engenheiros Agrônomos: Francisco das Chagas da Silva Lira (Diretor do Departamento de Política Profissional), Eduardo Bianconcini Teixeira Mendes(Diretor de Assuntos Parlamentares), Arnaldo Colozzi FilhoElói Panachuki, Fábio Régis Souza, Francisco de Assis Bezerra Leite, Gilmar Germano Jacobowski, Luís César Cassol, Oswaldo Júlio Vischi Filho, Paulo Affonso Baqueiro, Pedro Alberto Selbach, Pedro Luiz de Freitas.

O GT terá 5 meses para  captar e sistematizar ideias e propostas  sobre o tema,  preferencialmente das Associações Filiadas e dos Diretores da CONFAEAB, além dos (as) Engenheiros (as) Agrônomos (as) em geral, e que deverão ser encaminhadas via E-mail, confaeab@confaeab.com ou outros canais disponibilizados pelo próprio GT. 

 

Sugestões devem ser encaminhadas ao email   confaeab@confaeab.com

Saiba mais…

Novo Site Confaeab

10637575268?profile=original

É compromisso da nova gestão da CONFAEAB ampliar os canais de diálogo com a categoria!

Assim, temos a satisfação de apresentar o novo site CONFAEAB:
https://confaeab.com/

O site da CONFAEAB, de caráter institucional, é um meio de atualização das Engenheiras e Engenheiros Agrônomos sobre a representação da Categoria Agronômica na CONFAEAB / Associações e no Conselho Profissional. Um espaço de informação e referência na defesa da categoria e na valorização profissional.

Sabemos que sempre temos o que aprimorar de modo que estamos à disposição para receber sugestões.

Esperamos que este seja mais um presente no mês em que comemoramos a nossa profissão!

Presidente – Kleber Souza dos Santos (DF)

Vice Presidente – Raul Zucatto (SC)
Vice Presidente da Região Norte – Wolney Costa Parente Júnior (RR)
Vice Presidente da Região Nordeste – José Flávio Barreto de Melo (CE)
Vice Presidente da Região Sudeste – José Leonel Cortez Diniz Rocha Lima (RJ)
Vice Presidente da Região Centro Oeste – José de Souza Reis Filho (GO)
Vice Presidente da Região Sul – Ivo Lessa Silveira Filho (RS)

Primeira Secretária – Maria Helena de Araújo (CE)
Segundo Secretário – Ricardo Antonio Palma (PR)
Primeira Tesoureira – Palmira A. Alves C. de Oliveira (AC)
Segundo Tesoureiro – Arício Resende Silva (SE)

Conselho Fiscal (Efetivos)
Bruno Andrade Tomasini (MS)
Carminda Luzia S. Pinheiro (AC)
Francisco Auricélio de Oliveira Costa (RN)

Conselho Fiscal (Suplentes)
Fábio Igo Leite Pereira (AL)
João Carlos Montenegro Coutinho Jr. (PE)
Moisés Vieira Fernandes (RO)

Departamentos:
Política Profissional – Francisco das Chagas da Silva Lira (PI)
Relações Públicas – Andréa Brondani da Rocha (RS)
Relações Internacionais – Luiz Antonio Corrêa Lucchesi (PR)
Técnico e Científico – Cid Tacaoca Muraishi (TO)
Meio Ambiente – Cleberson Carneiro Zavaski (DF)
Assuntos Parlamentares – Eduardo Bianconcini Teixeira Mendes (SP)
Assuntos Jurídicos – Luiz Carlos Sá Barros (PB)
Integração Sistema Educacional – João Sebastião de Paula Araújo (RJ)
Comunicação e Marketing – Gilberto Fugimoto de Andrade (RJ)
Eventos – Marcos Roberto Marcon (PR)

Saiba mais…

Presidente da Embrapa é agraciado com o Prêmio Johanna Döbereiner

10637418685?profile=original

 

O Engenheiro Agrônomo Pedro Antonio Arraes Pereira, presidente da EMBRAPA, é o homenageado deste ano para receber o Prêmio Johanna Döbereiner concedido pelo CREA-RJ em parceria com a AEARJ - Associação de Engenheiros Agrônomos do Rio de Janeiro.

 

O agraciado, formado UFRRJ, foi orientado pela própria pesquisadora Johanna Döbereiner, com quem trabalhou ativamente. Dra. Johanna Döbereiner é um ícone para agronomia brasileira, pela importância do trabalho desenvolvido com fixação biológica de nitrogênio, tendo sido indicada para o Prêmio Nobel de Química em 1997.

 

O Prêmio, inciativa do CREA-RJ e AEARJ, é concedido anualmente a personalidades ou instituições e entidades que tenham se distinguido por suas posições, ações, trabalhos, estudos e projetos na área da agronomia.

 

CONVITE

O CREA-RJ e a AEARJ têm o prazer do convidar para solenidade de entrega do prêmio Johanna Döbereiner ao Engenheiro Agrônomo Pedro Antonio Arraes Pereira.


11 de outubro, 18 horas

Auditório do CREA-RJ

R. Buenos Aires, 40, Centro, Rio de Janeiro - RJ

Saiba mais…

Eleições na Agronomia do Rio de Janeiro

Assembléia Eleitoral da AEARJ elege nova Diretoria

10637415500?profile=original

Nesta quinta-feira, 25 de agosto a AEARJ - Associação dos Engenheiros Agrônomos do Rio de Janeiro - se reúne no Sindicato dos Engenheiros para um evento que se encerra com a eleição da nova Diretoria.

 

Para quem é do Rio, o convite para participar do evento que será no SENGE - Av. Rio Branco, 277 / 17º. A programação com palestras inicia-se às 15h.


Conheça a Chapa Ambiente Agronômico que se apresenta para o período 2011 / 2013:

 

 

10637416299?profile=original

CONSELHO DIRETOR

  1. Aldo Lopes
  2. Alfredo Henrique Mager
  3. Antonio Carlos de Souza Abboud
  4. Antonio Constantino
  5. Arivaldo Ribeiro Viana
  6. Carlos Fernando Barros Montano
  7. Carlos Frederico Menezes
  8. Fábio Soares
  9. Fernando Cerqueira Rezende
  10. Gilberto Fugimoto
  11. Ingo André Haberle
  12. João Joaquim Ávila Oliveira
  13. Paulo Antonio Azeredo Neto
  14. Ronaldo Nogueira Martins
  15. Walter M Camara Jr.

 

CONSELHO FISCAL

  1. Diana Dantas Rodrigues
  2. Angela Yaffe
  3. Ericson Brito de Souza 
  4. Antonio Gualano Cosentino Jr.
  5. Ciro dos Santos Moraes
  6. Enio Nunes 

 

 

Saiba mais…

Mais um ataque à Agronomia

Projeto de Lei tenta impedir Zootecnia aos Agrônomos
 
10637416458?profile=original
 
Interesses corporativistas falam mais alto e formulam projeto excluindo engenheiros agrônomos e médicos veterinários de exercer atividades relativas à zootecnia.
 
Em defesa do exercício profissional entidades elaboram manifesto.
 


PROJETO DE LEI nº. 2824, de 2008

FERE O INTERESSE PÚBLICO E O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

MANIFESTO INTERINSTITUCIONAL

 

CONTEXTO:

Em tempo presente inicia-se no Brasil mais uma disputa de mercado de trabalho entre profissões de nível superior. Agora é motivo de demanda a simples proibição de atuação de Médicos Veterinários e Engenheiros Agrônomos no campo da produção animal, denominada em poucos lugares do mundo, de Zootecnia. Esta contenda unilateral, originalmente motivada por Zootecnistas e, consubstanciada no Projeto de Lei nº. 2824, de 2008, de autoria do Excelentíssimo Senhor Deputado Federal Zequinha Marinho (PMDB-PA), trata no seu escopo principal da “proibição do exercício das atividades relativas à Zootecnia aos Médicos Veterinários e Engenheiros Agrônomos”. Este projeto tramita na Câmara Federal e aproxima-se de sua votação na Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, constituindo-se a partir da sua origem num ato discriminatório, antidemocrático e desrespeitoso na forma e no conteúdo.

 

No conceito clássico a Zootecnia é definida como a “ciência da produção, criação, trato, domesticação ou manejo de animais”, “que objetiva o aumento da produtividade e da rentabilidade na criação de animais economicamente úteis” ou como o ramo da “ciência voltado para o aperfeiçoamento genético de animais economicamente úteis”, portanto, uma definição deveras ampla. Assim sendo, é crível compreender que toda e qualquer atitude relacionada à promoção de melhor desempenho dos animais de criação pode ser, de algum modo, enquadrada sob a égide da Zootecnia. Incluem-se aí as ações pertinentes à forragicultura, nutrição e alimentação animal, criação e exploração animal, bioética e bem-estar animal, etologia, bioclimatologia, genética e melhoramento animal, ecologia e biologia ambiental, profilaxia e prevenção de doenças, manejo reprodutivo animal, saúde e patologia animal, extensão rural, entre outras matérias. Portanto, um escopo conceitual que destinaria as competências formais e estritas, de forma exclusiva, aos profissionais originados dos Cursos de Zootecnia. Esse seria o resultado esperado na propositura do Projeto de Lei nº. 2824 de 2008. Isso é o que desejaria um grupo de profissionais – “os zootecnistas”, muito embora a entidade de representação dos diplomados em zootecnia, a Associação Brasileira de Zootecnistas - ABZ, tenha reiteradamente se manifestado contrária ao projeto como apresentado pelo Deputado Zequinha Marinho.

 

O texto do referido Projeto de Lei avilta as categorias dos profissionais Médicos Veterinários e Engenheiros Agrônomos, que tem na origem de suas profissões e nos seus conteúdos específicos, a formação clássica da Produção Animal, o que inapropriadamente é denominada de Zootecnia. Portanto, possuem conhecimento técnico suficiente e adequado para exercerem com plena prerrogativa e competência as atividades de produção animal e controle produtivo de animais, as quais, segundo o referido Projeto de Lei, passariam a ser de caráter privativo dos Zootecnistas.

 (...)

 

Este manifesto é consenso entre as diversas entidades profissionais e científicas que congregam os Médicos Veterinários, Engenheiros Agrônomos, Zootecnistas e outros profissionais que atuam na produção animal deste país e asseguram aos senhores deputados para que atuem de forma consciente pelo arquivamento do projeto ora em tramitação, pois não é moral permitir que a sociedade sofra o incomensurável dano de estar privada do trabalho técnico desses profissionais, que até hoje ajudaram a desenvolver a produção animal e em conseqüência a Zootecnia.


As entidades que garantem esta manifestação ratificam mais uma vez a tendência na busca pela multidisciplinaridade e ações somatórias em nossa sociedade. Este é um caminho de unicidade e força, um exemplo de humildade e lapidação, visando o progresso nacional.


Sugerimos que o diálogo alcance também a participação de membros das Comissões de Ciência e Tecnologia, do Trabalho, ampliando a discussão para além da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (CAPADR), tanto na Câmara como no Senado. Isso poderia estabelecer uma agenda positiva para o debate franco e aberto, com exposições e argumentações de parte a parte, com o intuito apenas de fazer crescer nosso país, sem as sombras de tramitações subterrâneas, imposições e desrespeitos, que por muitos anos assolaram nossa sociedade e, quiçá, sob a égide do estado democrático de direito, nunca mais retornarão.

 

 

 Assinam o documento :

  • Sociedade Brasileira de Medicina Veterinária – SBMV e filiadas Estaduais
  • Confederação dos Engenheiros Agrônomos do Brasil - Confaeab
  • Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia – Confea e Creas
  • Conselho Federal de Medicina Veterinária e Conselhos Regionais
  • Colégio Brasileiro de Reprodução Animal - CBRA
  • Federação Nacional dos Médicos Veterinários – FENAMEV e Sindicatos
  • Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural – SOBER
  • Academia Brasileira de Medicina Veterinária e Academia Estaduais (ABMVET)
  • Colégio Brasileiro de Higienistas de Alimentos
  • Colégio Brasileiro de Aquicultura
  • Associação Nacional dos Engenheiros Agrônomos do INCRA – ASSINAGRO.

Demais entidades estão se mobilizando para apoiá-lo


Íntegra do Manifesto em anexo: Zootecnia_projeto_lei_manifesto_pluridisciplinar.pdf

Saiba mais…

Curso de Gramados Esportivos

Relato Final do Curso: compartilhando as impressões

Continuando o relato do Blog anterior.


As palestras do curso


Ao final do primeiro dia, os engenheiros agrônomos Artur Melo e Paulo Azevedo tiraram dúvidas e debateram com a platéia os principais pontos abordados.


O segundo dia

O curso, realizado em dois dias, contou ainda com a palestra do engenheiro agrônomo Paulo Antonio Azevedo da Itograss / Greenleaf sobre variedades de gramas recomendadas para gramados esportivos e formas de plantio. Sobre as técnicas disponíveis, citou: maxirolo, tapetes, plugs, sprigs e sementes as formas conhecidas na implantação de gramados. Paulo Antonio abordou ainda as diferentes variedades recomendadas para o Brasil e seus diferentes climas e ambientes - serra, praia, campo, etc.

Realizando palestra sobre Tecnologia de Drenagem de Alta Eficiência, Osvaldo Barbosa, engenheiro de dutos da Kanaflex, demonstrou o porque gramados esportivos e sistemas de drenagem são obras de engenharia.

O engenheiro agrícola Carlos Alberto Garcia da Greenext realizou palestra sobre equipamentos de irrigação.

O engenheiro Marcos Gaio da Greenext realizou palestra sobre equipamentos para gramados e demonstração de equipamentos da marca Toro com auxílio do técnico Luiz Bernardo da Silva da Grenext.


O palestrante apresentou a importância e variedade de equipamentos como aeradores, pulverizadores, adubadores, marcadores de campo (pinta linhas), limpa detritos, veículos utilitários, cortadores de gramados de diferentes modelos e aplicações.

O público se interessou pela demonstração dos equipamentos.


Avaliação dos presentes

Os participantes do curso consideraram muito importante ou muito proveitosa a sua realização. A qualidade das palestras com informações atualizadas e com profundidade técnica, a organização do curso e a oportunidade de ampliar a rede de contatos profissionais e comerciais foram os pontos destacados que tornaram ainda mais prazerosa a participação.

Grupo de Gramados Esportivos

Por fim propôs-se, como desdobramento do curso, a articulação de um Grupo de Discussão sobre Gramados Esportivos composta pelos participantes do curso para dar continuidade à troca de informações técnicas e profissionais. O Grupo, um espaço de encontro organizado sob a Rede Agronomia – www.agronomos.ning.com – reúne empresas, pesquisadores e profissionais (não só agrônomos) que atuam no setor e está aberta a todos os interessados.

Visita ao Maracanã

Lembrança da visita ao Maracanã com os participantes do curso de Gramados Esportivos

Como atividade adicional ao curso de Gramados Esportivos, foi realizada visita técnica ao estádio do Maracanã onde os participantes puderam conhecer, com o engenheiro agrônomo Paulo Antonio de Azevedo, responsável técnico pela manutenção do gramado, os equipamentos usados e o sistema de irrigação adotado. A turma se reuniu sob a trave do Maracanã para uma foto de recordação no palco mundialmente conhecido por abrigar grandes decisões do futebol.



Agradecimentos


Agradecemos a todos os participantes que prestigiaram o curso, muitos vindos de outros estados.

À GREENEXT, ITOGRASS, KANAFLEX / Geomaks - que acreditaram ao patrocinar a realização do curso.


À direção da Embrapa Solos que prontamente nos cedeu em parceria suas instalações.


Ao CREA-RJ que se mobilizou institucionalmente na divulgação, além de fornecer todo o material de apoio para a realização do curso.

Aos palestrantes que compartilharam seu conhecimento técnico
– Artur Melo, Paulo Antonio Azevedo, Osvaldo Barbosa Ferreira, Carlos Alberto Garcia, Marcos Gaio.

Aos integrantes da Rede Agronomia em especial ao colega Artur Melo incentivador de primeira hora do tema Gramados Esportivos e que acreditou nessa empreitada.

Ao colega Luiz Fernando Sarmento no generoso apoio à gravação das imagens compartilhando a direção do vídeo do curso de Gramados.

À Dolores Bahia e Uallace Lima da equipe da Assessoria de Marketing e Comunicação– ASMC do CREA-RJ pela qualidade na produção da arte do material impresso.


À diretoria da Associação dos Engenheiros Agrônomos do Estado do Rio de Janeiro -
AEARJ - Comissão Organizadora do evento.


Talvez tenha esquecido de alguém, e desde já peço desculpas, mas ao final desse curso quero compartilhar o prazer na sua realização a despeito de todo o trabalho (não foi pouco, acreditem).

Uma construção coletiva que permitiu o encontro de pessoas interessadas no tema, a promoção de um ambiente de acolhimento que promove a articulação de novas parcerias e projetos que possam ampliar o espaço dedicado ao tema Gramados Esportivos.

Saiba mais…

Video Rede Agronomia



Eleição da CONFAEAB é tema do primeiro programa da Rede Agronomia.

Desde que iniciamos a Rede Agronomia, entendemos que Rede é um esforço de comunicação. Fundamental para produção de diálogos, articulação de parcerias, fortalecimento da categoria.


Diálogos e articulação dependem do esforço de cada um de nós.
Achei que seria uma contribuição importante veicular informações e temas pertinentes à nossa categoria.


Este video, realizado com o apoio do CREA-PR, foi produzido no formato de Programa para TV, pois temos a ambição de veiculá-lo em TVs fechadas onde houver interesse.

Este primeiro programa, é um documentário das discussões que dominaram o cenário político do último Congresso Brasileiro de Agronomia em Gramado, RS.




Neste primeiro bloco, representantes das
entidades estaduais de engenheiros agrônomos, reunidos no Congresso Brasileiro de Agronomia em Gramado, RS, falam sobre as eleições da CONFAEAB.




Para ver o video clique em:
https://agronomos.ning.com/video/congresso-brasileiro-de


E aí, o que achou?
Saiba mais…