agropecuária (4)

Confaeab Saúda Presidente da Embrapa

SAUDAÇÃO AO NOVO PRESIDENTE DA EMBRAPA

10637581666?profile=original

Engenheiro Agrônomo Celso Moretti novo presidente da Embrapa.

Pelo presente ao cumprimentar o engenheiro agrônomo Celso Moretti, recém nomeado presidente da Embrapa, apresentamos a saudação da Confederação de Engenheiros Agrônomos do Brasil (Confaeab).

A Confaeab é a entidade de representação dos Engenheiros Agrônomos em nível nacional e há mais de 90 anos trabalha na busca da valorização profissional da categoria.

Nesse sentido, nos congratulamos com a nomeação do engenheiro Agrônomo Celso Moretti para a presidência da Embrapa apostando na perspectiva da valorização da pesquisa agropecuária pública como elemento propulsor do desenvolvimento agropecuário brasileiro com sustentabilidade e justiça social.

Nessa perspectiva, desejamos sucesso ao novo presidente e sua equipe nos desafios profissionais e institucionais que se apresentam, na busca do fortalecimento dessa empresa referência nacional e internacional em inovação e tecnologia agronômica.

Atenciosamente
Diretoria da CONFAEAB

Saiba mais…

Assistência Técnica: Essa Desconhecida!

Assistência Técnica: Deficiência ou Oportunidade?

A assistência técnica é o processo de comunicação e de difusão de novas tecnologias geradas pela pesquisa representando um instrumento de desenvolvimento rural no seu sentido mais amplo.

Desde a extinção da Embrater e o desmonte do Sistema Brasileiro de Extensão Rural pelo presidente Collor em 1990 há uma lacuna na Extensão Rural e Assistência Técnica no Brasil. O quadro atual de desmonte de Empresas estaduais em nada ajuda a reduzir essa carência.

Essa situação pode ser constatada pelo Censo Agropecuário de 2006 realizado pelo IBGE, que apresenta o quadro de Assistência Técnica recebida pelos produtores rurais brasileiros.

10637558484?profile=original

Produtores que NÃO recebem Assistência Técnica (IBGE, Censo Agropecuário, 2006)

A figura acima dá um panorama da carência de Assistência Técnica aos produtores rurais de todo o Brasil.

Mas quem são os produtores rurais que (ainda) recebem Assistência Técnica no país? 

10637559279?profile=original

Produtores que recebem Assistência Técnica (IBGE, Censo Agropecuário, 2006)

A figura acima apresenta um panorama nacional indicando que há uma concentração de Assistência Técnica no Centro-Sul-Sudeste do país. 

Entretanto poderia se perguntar que qualidade de assistência técnica é prestada aos produtores em nível nacional. O Censo Agropecuário se limita a indagar ao produtor se este recebeu ou não Assistência Técnica no ano de referência da realização do Censo. Assim, caso o produtor tenha recebido orientação de RTV de insumos ou agrotóxicos, uma visita de um técnico da Emater ou participado de um dia de campo, é suficiente para atender ao quesito "Recebeu Assistência Técnica". 

Assistência é Técnica?

Uma dúvida surgida é a qualidade ou alcance da Assistência Técnica que é realizada, como mostra a figura abaixo que estrutura o serviço segundo o grau de instrução do produtor rural. 

10637559680?profile=original

A figura acima mostra que a Assistência Técnica, provavelmente pública, concentra-se nas camadas menos instruídas dos produtores rurais. Por um lado pode-se pensar que a A.T. atua quase como uma política pública compensatória das desigualdades sociais enquanto por outro lado pode-se refletir quanto dessa tecnologia tem sido convertida em modernização da agricultura e o desenvolvimento do meio rural.

Porém mesmo como pretensa política pública compensatória, a A.T. não consegue reduzir desigualdades regionais conforme figura abaixo.

10637560261?profile=original

Analisando-se a A.T. pelas regiões brasileiras, nota-se que a maioria dos produtores rurais brasileiros não dispõe de orientação técnica especialmente no nordeste. 

Atualmente o IBGE está concluindo o novo Censo Agropecuário do ano base 2017. Novos dados estão surgindo como o amplo acesso a referências tecnológicas pela internet e outros meios de comunicação. Por outro lado as pressões sobre o campo, a propriedade e a produção aumentam no sentido de aprofundar o processo modernização da agropecuária nacional que tem o desafio de alimentar a demanda mundial por alimentos, energia e fibras. 

O que menos faz sentido nesse panorama é entender o processo de desvalorização do principal profissional de assistência técnica e extensão rural: o Engenheiro Agrônomo!

Saiba mais…
Apoiada por Rede Tecnológica, II Conferência surpreende em público e articula criação de Sociedade de Defesa Agropecuária


A II Conferência Nacional de Defesa Agropecuária realizada em Belo Horizonte entre 26 e 29 de maio de 2010 representou um marco na mobilização e consolidação de uma Política Nacional construída participativamente com o setor acadêmico, os serviços de fiscalização agropecuária e a iniciativa privada.



Reunindo mais de 1.500 participantes entre fiscais agropecuários federais, estaduais e municipais, pesquisadores, produtores rurais e iniciativa privada, o evento contou na Sessão Magna o pronunciamento do Professor Evaldo Vilela, coordenador do Projeto Inovação Tecnológia para Defesa Agropecuária. Destacou a importância do investimento público em pesquisa: - a produção de um catálogo brasileiro de tecnologias foi apresentado no momento que uma delegação inglesa procurava vender tecnologia ao Brasil. Só isso já valeu todo o investimento, informou.



Além disso, em entrevista pessoal, lembrou que as barreiras não tarifárias serão cada vez mais presentes sendo necessário um processo de rastreabilidade claro e que os espaços aduaneiros estejam equipados para fazer frente aos questionamentos sanitários. A tendência do mercado global é garantir espaço ou perdê-lo em função da maior ou menor capacidade dos exportadores em comprovar qualidade e sanidade. Acabou também a época que se exportava produto de qualidade e se vendia internamente produtos de qualidade inferior; hoje o consumidor brasileiro já não aceita produtos sem garantia de qualidade.


O ex ministro Roberto Rodrigues realizou a palestra de abertura e destacou a importância da Defesa Agropecuária na economia brasileira. Como exemplo citou a tristeza dos citrus e a atual doença que ameaça dizimar essa cultura. O Greening (Citrus grenning bacterium) já foi responsável pela erradicação de 4 milhões de pés no interior de São Paulo. A ação da Defesa Agropecuária é fundamental para garantir a produção agropecuária.

O evento contou com dezenas de palestras, workshops, sessão posteres, reuniões de trabalho, simpósio sobre defesa vegetal e animal. A rede de inovação tecnológica para defesa agropecuária encontra-se hospedada numa plataforma ning - http://inovadefesa.ning.com - como a Rede Agronomia.

Rede Agronomia
Saiba mais…

REUNIÕES EXTRAORDINARIAS DA AEARJ DEBATEM TEMAS ESPECIAIS

13/08 - sexta-feira - CENSO AGROPECUÁRIO - 14 as 16 horas - sala 1008 - CREA-RJ - na sede do Crea-RJ, Rua Buenos Aires 40, sala 1008, Centro, Rio de Janeiro.

18/08 - quarta-feira - CÓDIGO FLORESTAL - 18 as 20 horas - sala 1007 - CREA-RJ - na sede do Crea-RJ, Rua Buenos Aires 40, sala 1007, Centro, Rio de Janeiro.

CONVIDAMOS TODOS A PARTICIPAR - DIRETORIA da AEARJ
Saiba mais…