do (16)

CIRCUITO DE PALESTAS AGROAMBIENTAIS

10637624101?profile=original

Saiba mais…

10637617085?profile=original

Saiba mais…

Os solos do Oeste da Bahia são antigos, frágeis...mas muito produtivos  

No Oeste da Bahia, as chuvas demoraram a chegar. Mas, quando estas vieram, "parecia que o mundo estava acabando". Contudo, costuma ser assim: passada a tormenta, tudo volta ao normal nessa região.

Desta forma, a safra seguiu com alto desenvolvimento e boa produtividade. O segredo está, portanto, nos cuidados com o solo e na água da chuva. A água entra no lençol freático que está nas lavouras e ressurge no nível de base do solo, fazendo a renovação hídrica.

Mesmo em uma região de terras frágeis, areia fina e solo antigo, datado de milhares de anos, os 2,5 milhões de hectares da formação Urucuia se transformam em uma das áreas mais produtivas do planeta.

Assista a reportagem completa EM https://www.noticiasagricolas.com.br/videos/agronegocio/212959-os-solos-do-oeste-da-bahia-sao-antigos-frageismas-muito-produtivos.html#.XsAQqWhKjIU

Notícias Agrícolas  02 de maio de 2018  

Saiba mais…

SOLOS SEM CONTENÇÃO ESCORREM PARA OS RIO

Pedro Freitas demonstra que solos sem contenção escorrem para os rios   

Notícias Agrícolas  18 de abril de 2018      

Os últimos anos foram de chuvas volumosas no oeste da Bahia. Com isso, os solos arenosos da região ficam suscetíveis ao escorrimento superficial, bem como a consequente erosão. Pedro Luiz de Freitas, pesquisador científico da Embrapa Solos, destaca que, em meio a essas desvantagens, a construção desses solos é fundamental para obter uma boa produtividade.

Ele aponta que este evento, que deve percorrer todo o Brasil, com várias etapas, pretende mostrar a importância do recurso, o envolvimento do solo com a água e o reconhecimento das boas práticas agrícolas.

Com a construção dos solos, os produtores podem contar com uma melhoria da fertilidade física, química e biológica de suas áreas, com um ganho de produtividade trazido por essa fertilidade. Além disso, no oeste da Bahia, o Rio Grande é responsável por mais da metade da vazão do Rio São Francisco, de forma que a agricultura se mostra essencial para sua conservação.

A Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) e a Embrapa Solos vão promover na próxima quinta-feira (26), a partir das 8h30, o “Encontro de Construtores de Solos do Oeste da Bahia”, no auditório do Sindicato dos Produtores Rurais de Luís Eduardo Magalhães (SPRLEM). O objetivo é apoiar os produtores rurais do oeste da Bahia a identificar e buscar estratégias para reduzir as perdas de material orgânico do solo. O evento, que terá transmissão ao vivo pelo site Notícias Agrícolas, trará em sua programação os pesquisadores Pedro Luiz de Freitas e Paulo Cézar Teixeira, da Embrapa Solos, que vão discorrer sobre os temas: “Manejo e conservação da água e do solo” e a “Construção da fertilidade do solo em grande culturas com ênfase na adubação potássica”.

Com uma produção de grãos em uma extensão de 2,2 milhões de hectares em todo o oeste da Bahia, o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato, considera que existe uma preocupação crescente dos agricultores da região com a perda dos nutrientes do solo que prejudicam o cultivo da produção agrícola. “No período das chuvas, ocorre muito carreamento de sedimentos sólidos principalmente no leito das estradas vicinais e solos cultivados, principalmente nas regiões que antecedem os vales por terem uma declividade elevada e um solo com baixa infiltração, causando o assoreamento do leito de nossos rios”, afirma.

“Com este encontro, queremos reunir todos os produtores, seja do cerrado ou do vale, para buscar soluções viáveis para diminuir este problema e permitir que cada vez mais possamos produzir com sustentabilidade, mas para isto a participação de todos os produtores é fundamental”, complementa. Os agricultores da região, por meio da Abapa, por exemplo, vem investindo R$ 30 milhões para a recuperação de estradas da região e protegendo os solos e os rios da erosão com a construção de mini-barragens para conter o carreamento do solo com as chuvas.

Para reforçar sobre a importância da proteção dos solos, o Encontro vai abordar, também, o tema “Erosão de solos em sub-bacias hidrográficas do Rio Grande”, que será ministrado pelo geógrafo e professor da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB), Dr. Ricardo Reis Alves. Já o agrônomo Dr. Júlio César Bogiani, da Embrapa Algodão, vai falar sobre “Construção da fertilidade de solo em algodão”, e o pesquisador Me. Afonso Peche Filho, do Instituto Agronômico de Campinas (IAC), sobre a Fragilização do solo pela mecanização em áreas agrícolas. “Esta é uma oportunidade para produtores rurais, pesquisadores e técnicos agrícolas da região debaterem com especialistas estratégias e técnicas para mitigar as perdas de solo e dos seus nutrientes no oeste da Bahia”, reforça

https://www.noticiasagricolas.com.br/videos/agronegocio/212056-pedro-freitas-demonstra-que-solos-sem-contencao-escorrem-para-os-rios.html#.XsABnmhKjIU;  

https://vimeo.com/313041480 

Saiba mais…

Live Segurança do Trabalho Rural e Agronomia

Qual é a importância da Segurança do Trabalho no meio rural?
10637607697?profile=original
24 de maio de 2021, às 19h
A Segurança do Trabalho rural e os papeis dos profissionais. A NR 31: informações e definições comentadas por renomados profissionais.
 
SE INSCREVA PARA ACOMPANHAR!
VAGAS LIMITADAS!
Realização da Associação Nacional de Engenharia de Segurança do Trabalho - ANEST, Confederação dos Engenheiros Agrônomos do Brasil – CONFAEAB, Associação Sul Riograndense de Engenharia de Segurança do Trabalho - ARES, Associação Mato-Grossense de Engenharia de Segurança do Trabalho - AMAEST e o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio Grande do Sul - CREA-RS.

Dia 24 de maio de 2021, às 19h
Vamos discutir sobre a Segurança do Trabalho no meio rural e os papeis dos profissionais. A NR 31 é coberta de informações e definições peculiares onde os renomados profissionais convidados estarão comentando.
PALESTRANTES:
- Valéria Costa Eller de Souza é Engenheira Agrônoma, Especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho e Produção de Sementes, Mestre em Prevenção de Riscos Laborais e vai abordar os detalhes da legislação rural;

- Andréa Brondani da Rocha é Engenheira Agrônoma (UFRGS) , com Doutorado em Fisiologia Vegetal (UNICAMP). Atualmente cursando pós-graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho, atua como assessora técnica no Senado Federal, em projetos de infraestrutura e logística. Seu foco será as características dos serviços e das obras, e sua relação com as NRs;
- Kleber Santos e Engenheiro Agrônomo (UFSC), Mestre em Gestão Econômica do Meio Ambiente (UnB). No Sistema Profissional atualmente é Presidente da CONFAEAB. Foi Conselheiro Federal no CONFEA, em quatro mandatos Coordenador Nacional das Câmaras Especializadas de Agronomia.
O debate será mediado por:
Benvenuto Gonçalves Júnior - Presidente da Associação Nacional de Engenharia de Segurança do Trabalho - ANEST;

As inscrições são gratuitas e o evento confere CERTIFICADO!
Saiba mais…

Brasil tem ao menos mais uma fronteira agrícola a ser descoberta

Giro do Boi    03 de abril de 2020  

Um dos maiores desafios da agropecuária no Brasil, a produção em solos arenosos, está ganhando um aliado cada vez mais forte: o avanço das pesquisas de entidades como a Embrapa. Quando as técnicas descobertas pelos pesquisadores, como o plantio direto, são aplicadas a estes solos mais pobres, com correção de fertilidade e sequência adequada de rotação de culturas, o resultado se traduz em alta produtividade e competitividade frente à agricultura praticada em outras fronteiras agrícolas. Este foi o tema da reportagem da série especial Embrapa em Ação, reproduzida no programa desta sexta-feira, dia 03.

Cerca de 8% a 10% do solos das áreas da agropecuária no Brasil são arenosos, ou seja, possuem menos que 15% de argila. Por isso a metodologia que pudesse levar alta produtividade a estas áreas significaria praticamente a abertura de uma nova fronteira agrícola  e sem a necessidade expandir a área que o Brasil destina ao agro atualmente.  “O que viabilizou essa agricultura em solos arenosos foi o sistema plantio direto, quando nós começamos a aplicar o conceito de que não se deve arar e gradear o solo, que se deve fazer uma rotação de culturas, que se deve manter culturas de cobertura, que se deve fazer o controle de tráfego. Aí nós conseguimos as altas produtividades nestes solos arenosos” apontou.

Outro ponto fundamental para alcançar níveis competitivos de produtividade nestes terrenos é saber diferenciar os solos arenosos, que podem ser compostos por diferentes texturas de areia. A areia fina, por exemplo, torna o ambiente mais favorável para a agricultura por facilitar retenção de água e o aumento do nível de matéria orgânica, retendo os nutrientes.

Entre as vantagens competitivas de usar estes solos, conforme apontou o pesquisador, está o fato de que muitas vezes as áreas estão próximas às capitais do Centro-Oeste e do Sul do País, com condições de logística privilegiada, perto dos grandes centros e mercados consumidores.

Além da agricultura, a pecuária também pode ser beneficiada porque em muitos solos do Cerrado, por exemplo, a forrageira indicada para fazer a cobertura do solo para o plantio direto é a Brachiaria ruziziensis. Com a pastagem formada para cumprir posterior papel de proteger o solo, o produtor pode aproveitá-la ao longo de seu ciclo produtivo para engordar bovinos.

Em:  https://www.girodoboi.com.br/noticias/brasil-tem-ao-menos-mais-uma-fronteira-agricola-a-ser-descoberta/ 

Saiba mais…

Abertura I AgroSudeste

Encontro de Engenheiros Agrônomos do Sudeste 

10637471670?profile=original

Mesa de abertura do I AgroSudeste com representante da UFRRJ, Agostinho Guerreiro presidente do CREA-RJ, Leonel Rocha Lima presidente da AEARJ, Emilio Mouchrek (SMEA) vice-presidente da CONFAEAB

10637471471?profile=original

A abertura do I AgroSudeste foi um excelente oportunidade de encontro e confraternização entre colegas engenheiros agrônomos. Muitos dos presentes, representantes de Associações e Federações estaduais como Paraná, Santa Catarina, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Sergipe, Amazonas, Alagoas, Ceará, São Paulo, Brasília, Pará, Bahia.

10637472471?profile=original

 Da esquerda para a direita: Kleber (DF) , Joaquim (AM), Dilson (RN), ..., Zucatto (SC), Mouchrek (MG), Agostinho e José Leonel (RJ), Helena e Arício (CE), Luchesi (PR), Nahum (SE).

10637473276?profile=original

Platéia cantando o Hino Nacional

10637473476?profile=original

Saiba mais…

7º Congresso Estadual de Agronomia - UFRRJ | RURAL

 

10637462260?profile=originalMesa de Abertura - da esquerda para direita - Silvio Galvão Diretor Técnico da Pesagro-Rio; José Leonel Rocha Lima Presidente da AEARJ; Ana Dantas -  Magnífica Reitora da UFRRJ; Angelo Petto  -Presidente da CONFAEB; João Araújo - Professor da Universidade UFRRJ e diretor do CREA-RJ e Ademar Quintela - Secretário de Agricultura de Seropédica.

   Por: Fabio Pequeno

   Fotografias: Alexandre Caipora

  

   O mais importante evento de Agronomia do Estado do  Rio de Janeiro, começou hoje, quarta-feira 23, na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - UFRRJ, o 7º Congresso Estadual de Agronomia. A mesa  contou com políticos locais e representantes nacionais da categoria. O auditório com capacidade para cerca de 400 pessoas, ficou cheio, refletindo o sucesso do primeiro dia do evento.

   Houve algumas falas emotivas, como a do organizador do Congresso, Leonel Rocha Lima , destacando a profissão do Engenheiro Agrônomo; e, outras, como a da Reitora da UFRRJ -  Ana Dantas, que  destacou a presença dos estudantes e a qualidade da programação.

 

10637462492?profile=original

Execução do Hino Nacional  Brasileiro 

10637462688?profile=original

Participantes voltados para a Bandeira do Brasil

 


10637463286?profile=original

Kit do 7ª Congresso Estadual de Agronomia, distribuído para os congressista no ato do credenciamento

 

10637464253?profile=original

Revista Especial AEARJ - compondo o Kit Congressista

Fotografia: 

Alexandre Caipora

10637464287?profile=original

Estudantes da UFRRJ se credenciando para o 7ª Congresso Estadual de Agronomia 

 

10637464676?profile=originalEstudantes da UFRRJ se credenciando para o 7ª Congresso Estadual de Agronomia 

Fotografia: Alexandre Caipora

Saiba mais…

Protesto: Em Capitão Leônidas Marques (PR), produtores estão acampados no Rio Iguaçu, para impedir que suas terras sejam ocupadas pelo avanço da hidrelétrica que está sendo construída no rio. Cerca de 90% destes produtores são pequenos proprietários e possuem terras que vão de 10 a 20 hectares. Valores oferecidos pelas terras são baixos.

“Existem famílias que moram nessa área há 50 anos e se nós formos bem indenizados já será um grande problema social sair daqui e com uma indenização injusta será ainda pior”, diz Ribeiro.

Mercado&Cia 31/07/13 - Entrevista com Valdisnei Ribeiro

Saiba mais…

Comemoração do Engenheiro Agrônomo - AEARJ

Confraternização da Agronomia na Secretaria de Agricultura do Estado

10637439881?profile=original

Mesa de abertura com os agrônomos (esq p/ dir): Jorge Antonio (Diretor do Senge), João Araújo (Diretor do CREA-RJ), Leonel Lima (Presidente da AEARJ), Alberto Mofati (Secretário de Agricultura), Antonio Justino (Presidente EMATER), Helga Hissa (Coordenadora do Rio Rural) e Silvio Galvão (Presidente Pesagro)

10637440054?profile=original

Público presente à comemoração da AEARJ pelo dia dos engenheiros agrônomos

 

 

 

 

 

 

 

10637440865?profile=original

O evento foi realizado  na Secretaria de Agricultura do Estado em Niterói

10637442074?profile=original

O evento foi transmitido ao vivo pela Rede Agronomia e encontra-se disponível, basta clicar na aba ao lado.

Saiba mais…

Rede Social do Agronegócio - tradincom

A mais completa ferramenta das Commodities Agrícolas da Internet.

A tradincom é uma Rede Social voltada para o mercado de Commodities Agrícolas. Um sistema de comunicação revolucionário criado no Brasil, por pessoas que vivem o mundo Agro, para todo o planeta. Dentro dessa rede social voltada exclusivamente para a área, onde todos os profissionais do mundo Agro, Produtores, agrônomos, pesquisadores, cooperativas, comerciantes de cereais, indústrias, traders, tradings, veterinários, profissionais de TI, gerentes de fazendas, jornalistas, consultores, corretores...
Ou seja, todos os que vivem o mundo da cadeia agrícola podem fazer um perfil, gratuito, e entrar para um mundo novo, um local dedicado ao seguimento dentro da maior fonte de conhecimento do mundo a grande INTERNET. 

O Eixo central entre a produção e a comercialização

O Elo tecnológico do mercado Agrícola.

Dentro da Rede Social do Agronegócio o usuário tem diversas ferramentas e vantagens.
Quando pensamos o porquê fazer parte de mais uma Rede Social?

Nós pensamos em oferecer utilidades, muitas utilidades, e apesar de ser uma pequena empresa 100% nacional e de pessoas que estão lutando para um mundo melhor. Não paramos de inovar, desde nosso lançamento em outubro do ano passado lançamos diversos implementos úteis aos que vivem o dia a dia do mundo do Agronegócio.

Na Rede Social o usuário utiliza-se das seguintes ferramentas:

Construindo um perfil...

A possibilidade de fazer a marca própria construindo um perfil com fotos e textos sobre seus conhecimentos, sua fazenda, suas técnicas e construir sua marca própria com exposição para o mundo todo, focando-se somente no seguimento agrícola.

Encontrar pessoas e trocar informações.

O usuário poderá encontrar outros que vivem o mundo das commodities agrícolas - todos os usuários são selecionados e tem a seriedade e o mesmo interesse -, pessoas do mundo todo, empresas de todo o território nacional e mundial, todos sob o mesmo foco. A Tradincom proporciona uma revolução na maneira em que nos comunicamos e no modo em que encontramos e somos encontrados de uma forma vertical no mundo das commodities agrícolas.

Imagens….

O mundo hoje tende a se resumir em imagens... Os usuários podem enviar imagens e compartilhar imagens de outros usuários que acharem interessantes. Imagine poder acompanhar o desenvolvimento do milho ou da soja ou de qualquer cultivar, sem um intermediário que possa manipular a situação, sem a mídia, mas sim a realidade de safra em qualquer lugar do planeta! Imagine poder ver um implemento novo mostrando sua real eficácia nos Estados Unidos, no Mato Grosso ou em qualquer lugar! É a informação clara e real, vindo de uma pessoa ou empresa real...

Grupos de discussão

Poder criar um tópico de discussão e ter a opinião de outros que tem o mesmo interesse, mas sempre um outro ponto de vista; os usuários podem trocar ideias e agregar mais e mais informações e tópicos dentro dessa área. Tudo o que envolve o profissionalismo dentro do mundo do Agronegócio, das Commodities agrícolas é e pode ser debatido dentro dessa ferramenta.

Cotações

Todos os participantes da Rede Social do Agronegócio podem ter acesso às principais cotações do mercado agrícola, como Bolsa de Chicago, Dólar, Prêmios nos principais portos do mundo. 

Grupos de Compras

Os usuários podem se unir para formar grupos e comprar o mesmo produto ganhando em escala, podendo aumentar o poder de barganha para comprar um produto do seu dia a dia.

Painel de Negócios

Os usuários podem testar um ambiente para colocar ofertas de sua produção e negociar via internet com compradores selecionados com garantia de segurança e facilidade nas suas operações de comercialização.

O futuro é agora, a principal cadeia de produção do mundo, o que envolve os alimentos, sempre mereceu um lugar dedicado na internet. Trazemos uma opção de inovar, de mudar os conceitos e as formas de se comunicar e trabalhar.

Aproveite o seu dia... Ganhe tempo e experiência.

Boa navegação...

Entre Aqui para um mundo novo...


http://www.slideshare.net/tradincom/rede-social-do-agronegcio-tradincom-13133159

Saiba mais…

Esta semana a Tradincom, Sistema de Conexões do Agronegócio, lançou mais uma ferramenta de grande utilidade para o agrobusiness: o Conversor.

A área de negócios, que já contava com uma área de cotação de commodities agrícolas e um grupo de compra voltado para o agronegócio, passa agora a ter esta nova ferramenta.

Na área de conversores poderão ser feitas conversões de unidades de medida, bem como calcular o preço da sua soja e de seu milho.

 

Faça seu cadastro no site e aproveite esta nova ferramenta da Tradincom para quem vive do campo.

Saiba mais…