e (9)

Reunião do GT Estradas Vicinais

10637624668?profile=original

Saiba mais…

CIRCUITO DE PALESTAS AGROAMBIENTAIS

10637624101?profile=original

Saiba mais…

10637617085?profile=original

Saiba mais…

Os solos do Oeste da Bahia são antigos, frágeis...mas muito produtivos  

No Oeste da Bahia, as chuvas demoraram a chegar. Mas, quando estas vieram, "parecia que o mundo estava acabando". Contudo, costuma ser assim: passada a tormenta, tudo volta ao normal nessa região.

Desta forma, a safra seguiu com alto desenvolvimento e boa produtividade. O segredo está, portanto, nos cuidados com o solo e na água da chuva. A água entra no lençol freático que está nas lavouras e ressurge no nível de base do solo, fazendo a renovação hídrica.

Mesmo em uma região de terras frágeis, areia fina e solo antigo, datado de milhares de anos, os 2,5 milhões de hectares da formação Urucuia se transformam em uma das áreas mais produtivas do planeta.

Assista a reportagem completa EM https://www.noticiasagricolas.com.br/videos/agronegocio/212959-os-solos-do-oeste-da-bahia-sao-antigos-frageismas-muito-produtivos.html#.XsAQqWhKjIU

Notícias Agrícolas  02 de maio de 2018  

Saiba mais…

SOLOS SEM CONTENÇÃO ESCORREM PARA OS RIO

Pedro Freitas demonstra que solos sem contenção escorrem para os rios   

Notícias Agrícolas  18 de abril de 2018      

Os últimos anos foram de chuvas volumosas no oeste da Bahia. Com isso, os solos arenosos da região ficam suscetíveis ao escorrimento superficial, bem como a consequente erosão. Pedro Luiz de Freitas, pesquisador científico da Embrapa Solos, destaca que, em meio a essas desvantagens, a construção desses solos é fundamental para obter uma boa produtividade.

Ele aponta que este evento, que deve percorrer todo o Brasil, com várias etapas, pretende mostrar a importância do recurso, o envolvimento do solo com a água e o reconhecimento das boas práticas agrícolas.

Com a construção dos solos, os produtores podem contar com uma melhoria da fertilidade física, química e biológica de suas áreas, com um ganho de produtividade trazido por essa fertilidade. Além disso, no oeste da Bahia, o Rio Grande é responsável por mais da metade da vazão do Rio São Francisco, de forma que a agricultura se mostra essencial para sua conservação.

A Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) e a Embrapa Solos vão promover na próxima quinta-feira (26), a partir das 8h30, o “Encontro de Construtores de Solos do Oeste da Bahia”, no auditório do Sindicato dos Produtores Rurais de Luís Eduardo Magalhães (SPRLEM). O objetivo é apoiar os produtores rurais do oeste da Bahia a identificar e buscar estratégias para reduzir as perdas de material orgânico do solo. O evento, que terá transmissão ao vivo pelo site Notícias Agrícolas, trará em sua programação os pesquisadores Pedro Luiz de Freitas e Paulo Cézar Teixeira, da Embrapa Solos, que vão discorrer sobre os temas: “Manejo e conservação da água e do solo” e a “Construção da fertilidade do solo em grande culturas com ênfase na adubação potássica”.

Com uma produção de grãos em uma extensão de 2,2 milhões de hectares em todo o oeste da Bahia, o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato, considera que existe uma preocupação crescente dos agricultores da região com a perda dos nutrientes do solo que prejudicam o cultivo da produção agrícola. “No período das chuvas, ocorre muito carreamento de sedimentos sólidos principalmente no leito das estradas vicinais e solos cultivados, principalmente nas regiões que antecedem os vales por terem uma declividade elevada e um solo com baixa infiltração, causando o assoreamento do leito de nossos rios”, afirma.

“Com este encontro, queremos reunir todos os produtores, seja do cerrado ou do vale, para buscar soluções viáveis para diminuir este problema e permitir que cada vez mais possamos produzir com sustentabilidade, mas para isto a participação de todos os produtores é fundamental”, complementa. Os agricultores da região, por meio da Abapa, por exemplo, vem investindo R$ 30 milhões para a recuperação de estradas da região e protegendo os solos e os rios da erosão com a construção de mini-barragens para conter o carreamento do solo com as chuvas.

Para reforçar sobre a importância da proteção dos solos, o Encontro vai abordar, também, o tema “Erosão de solos em sub-bacias hidrográficas do Rio Grande”, que será ministrado pelo geógrafo e professor da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB), Dr. Ricardo Reis Alves. Já o agrônomo Dr. Júlio César Bogiani, da Embrapa Algodão, vai falar sobre “Construção da fertilidade de solo em algodão”, e o pesquisador Me. Afonso Peche Filho, do Instituto Agronômico de Campinas (IAC), sobre a Fragilização do solo pela mecanização em áreas agrícolas. “Esta é uma oportunidade para produtores rurais, pesquisadores e técnicos agrícolas da região debaterem com especialistas estratégias e técnicas para mitigar as perdas de solo e dos seus nutrientes no oeste da Bahia”, reforça

https://www.noticiasagricolas.com.br/videos/agronegocio/212056-pedro-freitas-demonstra-que-solos-sem-contencao-escorrem-para-os-rios.html#.XsABnmhKjIU;  

https://vimeo.com/313041480 

Saiba mais…

CONFAEAB propõe Política Nacional de Conservação do Solo e Água

10637595299?profile=original

A Confederação dos Engenheiros Agrônomos do Brasil - Confaeab  de forma propositiva e inovadora criou, por portaria interna, um Grupo de Trabalho  para elaboração da minuta de Projeto de Lei para instituir a Política Nacional de Conservação do Solo e Água

A criação do GT é um encaminhamento de deliberação do XXXI Congresso Brasileiro de Agronomia - CBA Rio 2019,  que aprovou encaminhamento para “elaborar e sensibilizar parlamentares pela aprovação de projeto de lei para instituir a Política Nacional de Conservação do Solo e Água” (vide, Carta do Rio de Janeiro, de 23 de agosto de 2019).

O Grupo de Trabalho será constituído pelos Engenheiros Agrônomos: Francisco das Chagas da Silva Lira (Diretor do Departamento de Política Profissional), Eduardo Bianconcini Teixeira Mendes(Diretor de Assuntos Parlamentares), Arnaldo Colozzi FilhoElói Panachuki, Fábio Régis Souza, Francisco de Assis Bezerra Leite, Gilmar Germano Jacobowski, Luís César Cassol, Oswaldo Júlio Vischi Filho, Paulo Affonso Baqueiro, Pedro Alberto Selbach, Pedro Luiz de Freitas.

O GT terá 5 meses para  captar e sistematizar ideias e propostas  sobre o tema,  preferencialmente das Associações Filiadas e dos Diretores da CONFAEAB, além dos (as) Engenheiros (as) Agrônomos (as) em geral, e que deverão ser encaminhadas via E-mail, confaeab@confaeab.com ou outros canais disponibilizados pelo próprio GT. 

 

Sugestões devem ser encaminhadas ao email   confaeab@confaeab.com

Saiba mais…

A valorização do rural, com reconhecimento da importância da agricultura familiar na produção de alimentos e na geração de emprego e renda tem aquecido a economia nacional e o desenvolvimento local a partir da retroalimentação da economia. De maneira que a exigência de sustentabilidade nas atividades agrícolas e não agrícolas relativas às suas dimensões ambientais, territoriais e culturais se fazem cada vez mais presente no meio rural. Por outro lado, a ampliação do consumo de produtos da agricultura familiar e de alimentos sustentáveis, para o qual contribuíram os programas de compras públicas ou institucionais apontaram para a perspectiva do desenvolvimento rural sustentável e para isso devem consolidar-se cada vez mais nas unidades municipais onde tudo acontece. A II Conferencia Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário - II CNDRSS surge com o propósito de ouvir de todos os rurais através de suas conferências municipais, intermunicipais, territoriais e estaduais suas demandas, proposições e então construir o Plano Nacional de Desenvolvimento Rural. O Brasil Rural precisa de você, então, venha participar da construção do Plano Nacional de Desenvolvimento Rural a partir das conferências municipais, intermunicipais, territoriais e estadual que se agigantam dentro de nosso Estado do Rio de Janeiro. Procure a Secretaria de Agricultura de seu município e apóie a Conferência Municipal formando a Comissão de Organização Municipal – COM. Articule-se junto as COM de sua região ou território e forme a Comissão de Organização Intermunicipal – COI ou Territorial – COT.

Na próxima sexta-feira (12 de julho) haverá uma capacitação na 12ª reunião da Comissão de Organização Estadual - COE da CEDRSS. Dê uma “espiadinha” na programação, aguardamos por você.

Pauta Principal:

1- Capacitação para os moderadores dos grupos de trabalho das conferências territoriais, intermunicipais e estadual, com a participação dos integrantes da COE. Responsável: Fabrício dos Santos – Mobilizador do CONDRAF/MDA;

2- Confirmação dos moderadores e sistematizadores (inscreva-se ligando para DFDA/RJ: 2224 3639 ou envie e-mail para Delegacia Federal do Desenvolvimento Agrário do Rio de Janeiro: dfda-rj@mda.gov.br aos cuidados de Max Ribas).

Orientações para Conferências e Calendário: Não há mais a obrigatoriedade de realizar as Conferências Municipais com antecedência mínima de 15 dias da Conferência Intermunicipal ou Territorial, contudo as propostas resultantes dos trabalhos de grupo deverão ser sistematizadas de acordo com os documentos enviados no kit conferência e o relatório da conferência municipal com a lista de presença deverão ser entregues à Comissão Organizadora Intermunicipal -COI ou Territorial - COT antes da realização das respectivas Conferências Intermunicipal ou Territorial.

Que as Conferências Intermunicipais e Territoriais poderão ser realizadas em 01 (um) dia ao invés de 02 (dois), sendo que àqueles que tiverem recursos suficientes poderão realizar em dois dias.

Novas datas das conferências:

23/07 – Intermunicipal Metropolitana

25/07 – Intermunicipal Litorânea

30/07 – Territorial Norte e Intermunicipal Centro Sul I

01/08 – Territorial Noroeste e Intermunicipal Centro Sul II

06/08 – Intermunicipal Baía da Ilha Grande e Intermunicipal Serrana

27 a 29/08 – Estadual.

Saudações Agroambientais!

Ana Paula Guimarães de Farias

Vice-Presidente da AEARJ

Saiba mais…

Bom dia caros agrônomos!


Nós da Editora Oficina de Textos, temos alguns livros na área e gostaríamos de compartilhar com vocês uma promoção  de 15% na obra "Formação e Conservação dos Solos", que rolará sábado em nosso site. Mais informações podem ser encontradas clicando aqui.

Sobre o livro:

capona_internet_Formacao-Solos-2ED.jpgSolos: um dos mais importantes recursos naturais de nosso planeta, tanto para as necessidades humanas, como para a conservação dos ecossistemas. Além de sustentarem os campos de cultivo e pastagens de onde vêm nossos alimentos, ainda comportam campos, cerrados e florestas, integrando a biodiversidade e acolhendo a água das chuvas que depois emerge nas nascentes e mananciais. Neles também assentamos as residências, as estradas e depositamos os resíduos urbanos.
Formação e Conservação dos Solos ensina como os solos se formam e como seu uso pode se tornar sustentável, a fim de que esse recurso natural seja conservado, apesar das muitas centenas de anos em que o homem o degradou: ou porque não o conhecia ou porque não sabia utilizá-lo adequadamente.
O livro é dirigido a profissionais e estudantes de várias áreas, como Agronomia, Biologia, Geologia, Geografia e Engenharias, e, por que não, a todas as pessoas que se interessam em conhecer e preservar a natureza. A iniciação ao conhecimento da Ciência do Solo é realizada por este magnífico livro com uma linguagem simples e precisa, complementado por inúmeras ilustrações em cores.
Formação e Conservação dos Solos em sua 2ª edição, atualizada e ampliada, traz o Sistema Brasileiro de Classificação de Solos.

Sobre o Autor:
Igo F. Lepsch é renomado especialista em Solos, com Mestrado e PhD pela North Carolina State University, EUA, e pós-doutorado na Commonwealth Scientific Industrial Research Organization, Austrália. É autor de inúmeros artigos científicos e de divulgação publicados em 45 anos de atividade profissional. Depois de exercer a função de pesquisador no Instituto Agronômico de Campinas, vem atuando como professor visitante e consultor em empresas. É também autor do lançamento 19 Lições de Pedologia.

Aproveitando o post, gostaria de apresentar nosso Portal Comunitexto, onde colocamos matérias sobre nossos livros, sobre temas científicos e notícias do Brasil e do Mundo. Entre, leia, deixe a sua opinião.

Saiba mais…