10637558867?profile=original

Relação de cursos ativos e em processo de extinção MEC 2017

                     O curso de Agronomia no Brasil remonta o governo imperial tendo iniciado seus primeiros cursos em terras brasileiras ainda na segunda metade do século XIX, tem como nobre missão construir um perfil de profissional capaz de projetar, coordenar e executar trabalhos de alta relevância no setor agropecuário brasileiro,  atuando fortemente no setor produtivo seja na área publica ou privada, em produção de alimentos sejam essas na área animal ou vegetal e engenharia rural, com a sua evolução tem atuando hoje ainda na  produção de fibras, materiais para geração de energia e aproveitamento de resíduos agroindustriais para geração de energia ou fertilizantes, atuando ainda na proteção dos ecossistemas e recuperação de áreas degradas bem como contribuído para melhoria da qualidade de vida nas áreas urbanas promovendo ambientes mais harmônicos e saudáveis seja no processo de  arborização e paisagismo, bem como controle de pragas urbanas.

                 Conforme dados da imagem Agronomia é a profissão com maior número de cursos seguido da veterinária, sendo que os demais cursos em função de sua formação restrita ao qual o Engenheiro Agrônomo tem plenas atribuições vem ano a ano sendo reduzidos  em função do futuro profissional  optar por um curso de bagagem ampla atendendo as necessidade do pequeno ao grande produtor e do  mercado que busca acima de tudo um profissional de visão holística capaz de atuar em múltiplas tarefas, o que faz da formação em Agronomia e o Engenheiros (a) Agrônomos (a) o profissional apto a atender os grandes desafios do setor agropecuário brasileiro do  século XXI

                Assim o Engenheiro agrônomo com esse viés técnico cientifico robusto e crescente vocação para o empreendedorismo vem ocupado seu vasto campo de atuação profissional  mostrando seu valor fruto do grande diferencial é que a sua formação plena o que reflete na sua importância como principal curso formando uma massa critica e atuante com visão do todo e capacidade de flexibilização profissional dentro do seu vasto campo de atuação. É a profissão promissora que constrói de acordo com seu decreto 23.196 de 12 de outubro de 1933 o perfil profissional apto a atuar em todas as cadeias do setor produtivo ao qual está inserido suas atribuições profissionais em uma imensa gama de especialidades.

Francisco Lira

Engenheiro Agrônomo Esp.

CREA-PI 18.222/D

Conselheiro Câmara de Agronomia CREA-PI

 

Bibliografia consultada

http://emec.mec.gov.br/

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/1937-1946/Del9585.htm

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1930-1949/D23196.htm

http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rces01_06.pdf

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Rede Agronomia.

Comentários

  • Se não formos a fundo na história de nossa profissão, não conhecermos o seu passado, não compreendemos o presente e não planejamos o futuro
  • interessante depoimento Eduardo.

  • Boa tarde Lira

    É muito importante realmente esse resgate histórico da formação das escolas de Agronomia no Brasil. Hoje estive lendo um artigo, que traz uma data muito importante 1859, que é a criação da primeira escola de agronomia do Brasil, em terra baianas e que tem como sua herdeira a Escola de Agronomia de Cruz das Almas.

    Assim, são 158 anos de ensino agronômico no Brasil. E como uma curiosidades, a Agronomia foi a primeira engenharia "civil" criada no país, pois antes dela somente existia somente a Academia Militar do RJ, que formava engenheiros militares. 

This reply was deleted.