Rede Agronomia 10 Anos Estatísticas

Rede Agronomia como Estamos?

10637566875?profile=original

Ao longo de 10 anos de atividades, alcançamos 8.287 membros. Olhando em retrospectiva, vemos um histórico significativo de atividades. Já foram postados 2.224 blogs (incluindo este).

Audiência da Rede

Mesmo após 10 anos de criação a Rede Agronomia permanece ativa e com uma audiência média estável, conforme imagem abaixo. 

10637567274?profile=original

Gráfico de Audiência da Rede Agronomia nos últimos 12 meses

Participação dos Membros

Apesar da quantidade de membros, a participação em postagens é concentrada em alguns poucos. Essa é uma característica das redes sociais onde há uma massa de audiência e poucas manifestações ativas. 

Para estimular a participação publiquei há tempos o blog Como postar um Blog na Rede Agronomia ensinando e dando dicas de postagens.   

Em razão disso, vale o registro dos membros mais ativos em postagem de blogs:

  1. Gilberto Fugimoto com 279 blogs
  2. José Luiz com 199 blogs
  3. Leonel Rocha Lima = 173 blogs
  4. Artur Melo = 94 blogs
  5. Francisco Lira = 92 blogs
  6. Antonio Carlos Coutinho = 80 blogs
  7. Eduardo Teixeira Mendes = 39 blogs

Atenção, posso estar cometendo algum engano neste levantamento e ter esquecido alguém. Nesse caso, desde já peço desculpas e agradeço correções em eventuais omissões ou esquecimentos!

Os blogs recordistas em visualizações:

  1. IRRIGAÇÃO DE PASTAGENS POR ASPERSÃO EM MALHA de José Luiz Viana do Couto = 36.974 visualizações
  2. CONTAMINAÇÃO POR AGROTÓXICOS de José Luiz Viana do Couto com 18.300

  3. PITAIA: Uma Cultura para o Pequeno Produtor de Gilberto Fugimoto= 17.969
  4. IRRIGAÇÃO POR GOTEJAMENTO de José Luiz Viana Couto = 13.105
  5. Técnicos Agrícolas não precisam emitir ART de Gilberto Fugimoto = 12.674

O colega José Luiz Viana Couto é quem postou o blog com maior número de visualizações, foram quase 37 mil para a postagem “IRRIGAÇÃO DE PASTAGENS POR ASPERSÃO EM MALHA”. Interessante notar ainda que das quatro postagens mais visualizadas, 3 são de temas técnicos, apenas uma é relativa a questões políticas da categoria.

Desinteresse pela Categoria

A análise dos números reflete a postura média do profissional que é mais interessado em temas técnicos e não se interessa pelas questões de organização e fortalecimento da categoria.

O interesse por temas políticos se limitam a apenas a postagens denunciando ameaças ao exercício profissional ou sombreamento de outras categorias. É o caso de Técnicos Agrícolas emitindo Receituário Agronômico, os PL de Zootecnia, de biólogos para RT de sementes e mudas.

Quem mais visita a Rede Agronomia

Outro dado interessante é apresentar quais são os estados que mais frequentam a Rede Agronomia. O levantamento abaixo, fornecido pelo Google Analytics, reflete o movimento de um ano de atividades (março de 2018 a mar 2019) da Rede Agronomia. 

10637567073?profile=original 

Assim ficamos com São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul os 5 estados que mais contribuíram para audiência na Rede Agronomia. Os números fornecidos pelo serviço Analytics são usuários únicos. 

Os 6 estados com menor audiência, que não estão listados na imagem acima, são (por ordem): Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe, Alagoas e Roraima. 

E você já postou na Rede Agronomia?

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Rede Agronomia.

Comentários

  • Olá Gilberto,

    A falta de comunicação na Rede, eu acho, é geral; mesmo nos temas técnicos, raramente há um debate ou opinião divergente. A maioria dos meus posts são verdadeiros monólogos. Raros são aqueles em que um colega discorda de mim, ou acrescenta algo ao que escrevi. O último em que isso aconteceu, foi sobre Pequena Barragem de Terra. De política partidária eu sou analfabeto, mas gosto de debater os rumos da nossa Profissão; infelizmente, sempre que abordei o tema, como nos demais, não obtive resposta. Paciência. Para quem não sabe, sou Taurino, que se traduz por Teimoso.

    Um abraço

  • Ola José Luiz,

    Excelente e pertinente sua provocação!

    Entendo que o interesse da maioria se limita a temas técnicos. Alias na Rede Agronomia no Face a questão é repetidamente reafirmada. A cada postagem de cunho político profissional ou mesmo em questões técnicas que possam gerar controvérsia (como agrotóxicos) há um incômodo localizado. 

    Isso se explica pela aversão do cidadão médio a Política, que cada vez mais é associado a algo sujo ou até criminoso (vide a política atual). Assim pessoas "limpas" não podem tratar de temas tão incômodos. 

    A dificuldade de organização da categoria é um reflexo dessa realidade.

  • DESINTERESSE PELA CATEGORIA

    Na análise que o colega Gilberto Fugimoto faz dos 10 anos da Rede, começa dizendo que "A análise dos números reflete a postura média do profissional que é mais interessado em temas técnicos e não se interessa pelas questões de organização e fortalecimento da categoria".

    Como membro que participa desde o início, eu acho o contrário: os temas técnicos (com exceção da irrigação de gramados esportivos, do colega Artur Melo, com 94 blogs, que vem desde o começo da série e dos meus) não são a maioria, apesar de serem os mais exibidos. O fortalecimento da categoria, por exemplo, é um tema recorrente.

    Da minha parte, eu explico o interesse pelos temas técnicos, como uma necessidade de atualização, já que o exercício profissional (que é praticado quase sempre longe das cidades), dificulta que o colega acompanhe o estado da arte da Agronomia. Por outro lado, de posse de conhecimentos técnicos atualizados, o Engenheiro Agrônomo vê valorizada a sua atuação profissional e o seu reconhecimento pela sociedade.

    Confesso que a maioria dos meus posts são técnicos (reforçando a opinião do Gilberto) mas, coincidência ou não, toda vez que escrevi algo que fugia dessa regra (folheei as 60 primeiras páginas da aba Blogs para fazer o resumo abaixo), o resultado foi desanimador, com as menores visualizações. Eis alguns:

    • Precisamos mudar o ensino da Agronomia, 17/4/18, com 173 exibições;
    • O senso de urgência e a nossa Profissão, 17/3/17, 133 exib.;
    • Educação rural, 28/4/15, 198 exib.;
    • Terras improdutivas, 10/1/15, 186 exib.;
    • Um mutirão pelo Brasil, 27/11/14, 69 exib.;
    • A Ciência da Terra, 2/10/14, 738 exib.;
    • A culpa que nos cabe nesse latifúndio, 25/8/14, 730 exib.; e
    • A nossa atuação como Profissionais de Agronomia, 2/8/14, 154 exibições.

    Impõe-se aqui, portanto, uma questão: se o interesse (pela categoria) é demonstrado por quem escreve o blog ou por quem o lê. Nesse último caso, as exibições não se limitam aos membros da Rede, mas a qualquer um que consulte o tema no Google.

This reply was deleted.