Rede Agronomia

Rede dos Engenheiros Agrônomos do Brasil

Reflexões acerca de um predador chamado "HOMEM".

Reflexões acerca de um predador chamado “HOMEM”

 

Janilson Barros do Amaral¹

 

Eles denominam muitas espécies que os antecederam e sucederam de predadores, porém esquecem que os verdadeiros predadores são eles próprios, que transformam todos os outros seres vivos em presas, inclusive a sua própria espécie; e ainda não satisfeitos depredam e dilapidam o que não é vivo. Eles se acham no direito, tendo em vista que são seres racionais, de chamar as outras espécies de irracionais, mas nas suas atitudes são uns irracionais em espécie. E assim eles vão se perpetuando, já que são de gêneros diferentes, e vão gerando outros pequenos predadores, que vão sendo treinados para fazer a mesma coisa. Eles estão aumentando de maneira desproporcional; em 1804 eram um bilhão, em 1927 eram dois bilhões, chegando em 1959 a três bilhões, e em 1974 a quatro bilhões, em 1987 a cinco bilhões, em 1999 a seis bilhões e em 2011 já somavam sete bilhões; com uma previsão de atingir, até 2050, uma média de 10 bilhões; sem se preocuparem se a sua casa, chamada de “Planeta Terra”, vai conseguir suporta – los, já que tratam - se de predadores ao extremo. Mas eles não estão preocupados com isso, pois criaram prédios chamados indústrias para satisfazerem suas necessidades capitalistas e consumistas, e foram gerando restos, que uns chamam de resíduos, outros de lixo. E estes restos foram aumentando, fruto do seu consumismo desenfreado e exacerbado, e foram poluindo: o solo, as águas, o ar e toda a atmosfera.

Dessa forma, eles próprios foram sendo atingidos por muitas catástrofes como doenças de todas as espécies, mudanças climáticas, furacões, enchentes, chuvas contaminadas pelos seus próprios produtos que eles chamam de químicos; provando a sua natureza predadora. Também, não satisfeitos com tudo isso, foram derrubando as florestas, matando os animais, que eles próprios chamam de predadores; para, também, satisfazerem suas necessidades e seus confortos; causando desequilíbrios incontroláveis sobre o que reveste a sua própria casa, e que eles chamam de natureza, e que vive de uma forma harmônica e sustentável. E eles ainda querem criar a sustentabilidade, mas só provocam atos insustentáveis.

Ainda não satisfeitos com esses atos, eles destroem, também, o que não é vivo, para conseguir materiais que chamam de minerais; com o mesmo objetivo de satisfazer suas necessidades econômicas e produzir matéria prima para gerar produtos que satisfaçam seu consumismo insustentável. Gerando, por sua vez, mais impactos para o solo, o ar, as águas e a atmosfera; e consequentemente mais resíduos para o meio ambiente.

Eles possuem um instinto tão predador que predam eles próprios uns aos outros por motivos os mais banais: dinheiro, objetos materiais, inveja um do outro, e até para disputarem outros da mesma espécie, mas de gênero diferente que chamam de mulheres; pois acham, às vezes, que são proprietários uns dos outros.

Eles, de certa forma, só vão tomar conhecimento da sua própria irracionalidade, quando descobrirem que talvez seja tarde e irreversível reparar esses impactos que causam à sua própria casa, ao seu próprio planeta. Ou, talvez, quando descobrirem que pequenos pedaços de papel que eles fabricam, sacrificando as próprias árvores, e que chamam de dinheiro, não se comem; nem tampouco trazem os maiores bens que eles próprios precisam alcançar: o “amor a si próprio e ao próximo” e a “felicidade individual e coletiva”.

 

__________________

¹Engenheiro Agrônomo

Email: jbamaral@gmail.com

 

Exibições: 208

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Agronomia para adicionar comentários!

Entrar em Rede Agronomia

Comentário de Janilson Barros do Amaral em 23 novembro 2014 às 22:38

É pura verdade, Denise...

Comentário de IRANI de SOUZA PORTILHO em 23 novembro 2014 às 6:29

prezados  leitores  participantes.....na  minha opinião,  parece  que  os ETs...nesta  Terra  GAIA...somos  nós  mesmos,,,,,sim.....pois  a  Terra  ..na  verdade  nem  precisa do tal ""  cidadão  civilizado""...

Comentário de Rafael Salerno em 18 novembro 2014 às 20:56

Muito blá blá blá politicamente correto...

© 2021   Criado por Gilberto Fugimoto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço